A Consciência da Paternidade

 

Se eu tivesse que definir a História do Mundo dos últimos 4.000 anos em uma única frase, seria esta: A lenta conscientização da Paternidade Masculina.

Por trás desta frase se encontra uma série de movimentos religiosos, familiares, políticos e econômicos.

Embora eu tenha convicção disto, temo que não tenha a capacidade de transmitir esta “verdade” diante de tanto que já foi escrito ao contrário.

Homens caçadores coletadores nunca imaginaram que aqueles filhos eram seus, não havia na época a noção de paternidade.

A ideia de que 9 meses depois uma mulher estava dando a luz ao seu filho, somente surge depois da agricultura.

Por isso homens cuidavam de todos os filhos, tinham um interesse mais geral da sociedade como um todo.

Até hoje vemos muito mais homens que mulheres se especializando em sociologia, economia, socialismo e política, que são formas de aumentar as chances de sobrevivência do bando e não necessariamente da sua própria família, conceito que desconheciam.

Homens caçadores coletadores desenvolveram o gene do “bem comum” mais do que o gene da paternidade e “família”.

Acontece que mais dia menos dia alguns homens acabaram descobrindo a verdade.

Que aquelas crianças eram 50% suas, e não 100% das mães.

Descobriram que eram “pais”, e não somente homens.

Esta é na minha opinião a grande “verdade” ou “conhecimento” que Adão irá descobrir, e que mudará a vida no “paraíso coletador caçador” para sempre.

Seria uma constatação difícil e complicada.

Primeiro estes primeiros homens precisariam desenvolver o conceito de tempo, os 9 meses por exemplo, que não é tão trivial assim.

Até hoje muitos animais nem têm esta noção, nem mesmo muitas tribos na África.

Palavra como “futuro” não existe, somente o passado.

Chineses até hoje ficam de “costas” para o futuro, e não de frente como nós ficamos.

Mesmo depois de aprender o conceito de tempo, fazer a correlação entre sexo hoje e nascimento nove meses depois não é tão fácil assim.

Só iríamos entender o conceito de causa e efeito, ação e reação com Isaac Newton, milhares de anos depois.

Imaginem o seguinte diálogo entre Fred e Wilma dos Flintstones, que equivocadamente eram retratados como marido e mulher.

Wilma eu estava pensando comigo, você não vê uma correlação entre a vez que nós fizemos amor nove meses atrás e o nascimento deste seu filho?

Bobagem Fred, quantas vezes nós transamos e não deu em nada!

Ou então:

Wilma, eu acho que aquele filho que nasce de dentro de você é de alguma forma uma extensão de mim.

Bobagem Fred, e quando nasce menina é a extensão do quê?

Ou então:

Wilma, acho que este seu filho também é meu. 

– Bobagem Fred, todos os filhos são inseminados pelos deuses. E eu sou sua deusa, não sua mulher.

Até hoje ensinamos que bebês são trazidos pela cegonha, em pleno século XXI.

Pelo menos até os 5 anos, todos nós somos tão ignorantes como os homens da caverna.

Até hoje ensinamos que Maria foi inseminada pelo Espírito Santo.

Buddha também era o filho primogênito da representante de uma Deusa na Terra, Devanaguy.

Temos dezenas de mitos em que uma virgem dá a luz sem que um homem a tenha possuído.

A consciência da Paternidade Masculina, está longe de ter sido totalmente sedimentada na maioria dos homens, em pleno século XXI.

Aqueles que a têm, tendem a ser de Direita. Se preocupam com a educação e saúde de seus filhos.

Quem não a têm, tendem a ser de Esquerda. Terceirizam a educação e saúde de seus filhos para o Estado, não contribuem para o sustento da família, lutam pela Renda Mínima ou Bolsa Família.

 

(Lido por 695 pessoas até agora)

UA-1184690-14