A “Quarta Classe”

 

Uma das maiores bobagens disseminadas pelo Brasil e pelo mundo é a noção de que somos divididos em somente duas classes.

O mundo na realidade é dividido em N classes, algo que você intuitivamente já sabia, mas para simplificar vou reduzi-las para somente sete Classes, a seguir.

A Sétima Classe. São todos aqueles com Q.I. até 80. Vide o gráfico. São aqueles que só têm a sua força de trabalho para vender.

Em termos de força intelectual ficam devendo.

Mas mesmo assim conseguem cuidar de máquinas, fazer trabalho repetitivo, obedecer ordens e serem produtivos para a sociedade.

A Sexta Classe. Aqueles com Q.I. Até 90.

A Quinta Classe. Aqueles com Q.I. Até 100.

Essas duas Classes provavelmente são até tão inteligentes quanto a média, mas por não terem tempo ou condições para estudar ou “refletir sobre o mundo” tiram notas mais baixas no teste de QI.

Estes também se viram, basta um pouco de supervisão, contato e aconselhamento da Terceira e Segunda Classes.

A Quarta Classe são aqueles com Q.I. entre 100 e 110.

São mais espertos do que necessariamente inteligentes.

É a classe má, perversa, enganadora, mentirosa.

As outras seis Classes são essencialmente do bem, com as exceções de sempre.

A Terceira Classe são aqueles com Q.I. entre 110 e 120, são os bacharéis de Faculdades, os que serão o segundo escalão das empresas, do governo e das ONGs.

São os que fazem acontecer, que trabalham para coordenar, planejar, motivar, essenciais para todas as sociedades.

A Segunda Classe são aqueles com Q.I. entre 120 e 130, os mestres e doutores.

Serão os Diretores, os Presidentes, os Sócios e os Líderes da Sociedade.

São aqueles que sabem analisar problemas complexos e tomar decisões complicadas e nos liderar fora das crises que ocorrem de tempos em tempos.

E finalmente temos a Primeira Classe.

São aqueles com Q.I. acima de 130, os gênios, os cientistas, os Nerds, os Prêmios Nobel, os inventores, os inovadores, como aqueles engenheiros têxteis da era industrial.

A Primeira Classe se vira sozinha, mas deixa um enorme legado em termos de quebra de paradigmas, teorias, sistemas, etc…

São meio excêntricos de fato, muitas vezes incompreendidos e solitários.

Agora vem a tese central que explica o que aconteceu no mundo.

Numa sociedade eficiente, os conhecimentos adquiridos pelas classes superiores precisam ser lentamente transmitidos às classes inferiores, em cascata da Primeira até a Sétima. Vide o gráfico.

Embora cada classe prefira escrever para a sua própria classe, povos que entendem essa dinâmica criam mecanismos para cada classe difundir conhecimento para a classe mais à sua esquerda.

Por isso temos livros científicos, livros de autoajuda, artigos em jornais, congressos, faculdades, cada classe instruindo a classe logo abaixo.

O mundo seguia basicamente esse modelo com sucesso por mais de 2000 anos.

O que variava era a rapidez de transmissão, no Brasil super mais lenta.

Hoje essa disseminação de conhecimento classe abaixo, deveria ser muito mais rápida graças à internet, mas não é.

Ela foi interrompida pela Quarta Classe.

A Quarta Classe tomou o poder impedindo que a disseminação de conhecimento da Primeira Classe fosse efetivamente transmitida para as classes mais necessitadas.

Continuam ensinando Karl Marx, em vez de Elon Musk.

E assim perpetuam a pobreza, mas não a deles, impedindo o progresso dos mais necessitados.

É a Quarta Classe que é dominada por intelectuais medíocres e frustrados, jornalistas medíocres e incompetentes, economistas medíocres e fakes, artistas de terceira.

Medíocre significa média, lembrem-se disso.

Substituíram conhecimento por narrativas, interpretações Derridianas, mentiras fabricadas e o Fake News.

Por isso a Quarta Classe precisa tanto controlar a imprensa, as faculdades, os artistas, as novelas, etc.

E eles até vendem o peixe que Marilena Chauí ou Leandro Karnal são da Primeira Classe.

Como a Quarta Classe tem um Q.I. de 105 em média, e portanto superior a 55% da população, enganando as três classes que mais precisam de conhecimento, eles ganham todas as eleições e controlam o governo eternamente.

E aí surgem os nossos problemas.

A Quarta Classe é suficientemente inteligente para enganar o povo, mas não o suficiente para governar um país, vide Dilma ou Eduardo Suplicy.

A Quarta Classe não quer que metade da população aprenda com a metade mais inteligente do Brasil, e sim com ela.

O objetivo da Quarta Classe é manter a metade da população na ignorância, por isso o ensino Estatizado será sempre de péssima qualidade.

A Quarta Classe prefere ensinar Português a Ciências.

Prefere ser eleita para a Academia de Letras do que a Academia de Ciências, vide FHC.

A Quarta Classe prefere ensinar Economia a Administração.

Prefere ensinar História da Idade Média a Contabilidade.

Prefere Estudos do Gênero a Finanças Pessoais, Filosofia ao Ensino Profissional.

É a Quarta Classe que dissemina o ódio, “a luta de classes” para impedir que os mais necessitados leiam sobre o progresso de quem a faz.

Boa parte da minha vida como escritor, colunista na Veja, foi transmitir conhecimentos das primeiras classes, para as classes mais necessitadas.

Contornando assim essa censura ferrenha da Quarta Classe.

Eu até sou conhecido por escrever coisas complexas de forma simples, mas isso foi sempre de propósito dado o meu objetivo.

Se você faz parte das três primeiras ou das três últimas Classes, tem um inimigo comum.

Essa Quarta Classe que domina a imprensa, as universidades, os Ministérios da Educação, tudo com o objetivo de manter a população mais ignorante do que eles.

Precisamos fazer uma nova Revolução, a luta contra essa barreira de ignorância imposta pela Quarta Classe.

“Inteligentes do mundo uni-vos. Vocês só terão as mentiras da Quarta Classe a perder.”

 

(Lido por 4941 pessoas até agora)

UA-1184690-14