Por que Preferimos Gestores a Administradores?

 

Você prefere obedecer ordens e não ser responsabilizado por suas ações, ou prefere arcar com as consequências de seus erros compartilhado por aquele que te supervisionou?

Você prefere um emprego público ou abrir uma empresa própria?

Você prefere ganhar R$ 8.000,00 por mês garantido todo mês pelo Estado brasileiro, ou ganhar R$ 12.000,00 mas incerto, dependendo dos humores do “mercado” e sua competência?

Nós brasileiros preferimos o certo pelo incerto.

Preferimos obedecer e poder “tirar o corpo fora” quando tudo der errado do que assumir responsabilidade pelos nossos atos.

Preferimos culpar nossos chefes pelo fracasso das nossas instituições tão evidentes, a assumir que todos somos solidários no fracasso.

Preferimos obedecer a ter liberdade de ação.

Preferimos ser funcionário público e obedecer as dezenas de portarias, regulamentos e infernizar a vida dos que nos pedem autorizações, despachos e documentos, do que ter o mínimo de flexibilidade e compaixão.

Muitos sentem até saudades de uma ditadura, não há muita diferença entre o estilo Dilma e o estilo Delfim Netto, o economista da ditadura.

Ambos eram gestores, mandavam e desmandavam em todos os setores da economia.

Administradores que delegam poder, terceirizam funções, empoderam funcionários, orientam funcionários e não gritam ordens a empregados, estão na contramão da História do Brasil.

Queremos mandões, seja da direita militar ou da esquerda intervencionista do que uma empresa livre e democrática onde todos os stakeholders opinam e assumem as suas respectivas responsabilidades.

Preferimos pagar impostos do que doar para filantropia, preferimos escolas públicas do que participar em Associação de Pais de escolas por nós criadas.

Preferimos ser obedientes e omissos do que cidadãos participantes da nossa sociedade.

Até quando minha gente?

 

(Lido por 174 pessoas até agora)

7 Comments on Por que Preferimos Gestores a Administradores?

  1. Até termos um ambiente empresarial civilizado, onde quem a conta é de quem deve e não de quem pode pagar. Até que um empresário possa fazer o seu trabalho sem ter que contratar um contador, um tributarista, um advogado e um segurança só para ter uma quitanda sem ser multado e assaltado todos os dias.

  2. Infelimente ainda os líderes desse país enxergam a administração de pessoas como a teoria X. Nosso sistema político, jurídico, fiscal e econômico não ajuda ao brasileiro comum desenvolver uma carreira na área do empreendedorismo. Devido nossa pouca experiência como um país de juros baixos e a falta de regras claras.

    Espero que toda esse movimento que aconteceu em junho nas cidades brasileiras seja o embrião para criar um sistema que vise um estado mais enxuto e mais ágil de vez brigar por um transporte público gratuito.

    Questione nosso sistema eleitoral tão custoso? A burocracia para abrir empresas.
    Uso eficiente dos nossos impostos…..

  3. Kanitz !!! Parabens !!!! Otimo !!!! Todos principalmente os jovens devem saber esta distinção !!!! Vou postar na minha pagina no face com 17.000 seguidores !!!! Obrigado !!!! Abrs Chicão !!!!

  4. Stephen
    Estas situações a analise acaba caindo no filosófico,na subjetividade de cada um.Na verdade todos os animais acordam no dia seguinte,inclusive o homem preocupados com sua sobrevivência,aí começa interagir com o meio e com sua formação,é o caso de pegar um nenê suíço e criar na favela e levar o da favela e criar na Suíça.O caso social representado pela piramide mostra que temos que ter a maioria na base para manter o equilíbrio social.Não é fácil manter uma empresa aberta nesta fome tributaria para que os dirigentes desta nação possam viver nababesquamente. Caso o individuo,logicamente partindo de um minimo de preparação consiga conviver com o fato que vai sonegar,corromper e ajudar os políticos, por certo terá exito como empreendedor,caso queira garantir a sua sobrevivência e a velhice procura ser funcionário publico e entra no esquema da enganação que trabalha.(Desculpem os que fogem as regras,se é que os há).O lulla inchou o estado com gente e amigos dos sindicatos e o básico que o governo tem obrigação de oferecer piorou. Chega de filosofar,a Grécia berço da civilização esta pior que o Brasil,o Japão sem território e com terremotos aparece entre os primeiros do mundo.Tudo dependo do tempo e mil anos passarão.Calma!

  5. Parabéns, Professor! Conseguiu explicar com extrema clareza a diferença entre gestor e administrador. Muitos citam o exemplo de Bernardinho do vôlei, mas, francamente, não consigo imaginar esse excelente treinador ou um Felipão do futebol administrando uma empresa séria com gritos e total destempero com os seus colaboradores. Com certeza seriam processados por assédio moral. Alguém disse uma vez que quando uma criança americana vê um Bill Gates ou Mark Zuckerberg na TV logo pensa: “um dia serei igual a ele”. Já no Brasil, o mais comum é o pai rancoroso resmungar, ao lado da criança: “o que será que esse safado fez para se dar tão bem na vida”? Triste diferença cultural.

  6. Eu tenho interesse nas mudanças, porém, me sinto incapaz perante tantos absurdos, principalmente, políticos.

  7. Sr Kanitz; isso é evidente! façamos uma pesquisa sobre os formandos em todas as áreas, e as sua aspirações: é claro que emprego público! não é exigido do funcionário público metas, quotas de produção, qualidade, nem tampouco muita responsabilidade sobre os seus atos: um sonho para todos!! Eu preferí o lado oposto e administro (empiricamente) minha empresa e existem noites mal dormidas, problemas familiares pois a empresa que tenho funciona 24 horas, e como se não bastasse ando sobre o fio da navalha já que se eu não administrar com responsabilidade corro o risco de perder tudo e tendo como codinome “espírito animal” dado pelos pseudos administradores do país… nem precisa falar mais!!! abraço

Comente

Seu email nao sera publicado.




UA-1184690-14