Pobre Paga Mais Imposto do Que Rico?

[pullquote]Impostos sobre consumo são feitos para coibir o consumismo, e incentivar a poupança[/pullquote]










Entre no Google, e pesquise a frase Pobre Paga Mais Imposto do Que Rico, e você verá muita gente famosa declarando esta falsa enormidade.

Basta consultar a tabela do Imposto de Renda.

Até R$ 1.499,00 paga-se zero.

Pobre paga zero, sobre tudo que ganha.

Já é meio caminho andado para rebater este meme que circula por aí.

E quem ganha R$ 2.246,00 paga R$ 56,07.

Mas um rico ou médico de classe média que ganha R$ 44.618,00 pagará R$ 11.577,33.

0u seja 206 vezes mais.

E estamos falando de alguém que, depois dos impostos, leva para casa R$ 29.000,00 por mês, longe de ser rico e sim classe média.

De onde vem estas manchetes que vemos em tantos lugares?  

Alguém viu Rico pagar 206 vezes mais Imposto de Renda do Que Classe Média, e Infinitamente Mais do Que Pobre? 

Pessoal, cuidado com o que vocês leem hoje em dia.

206 vezes não é erro de arredondamento. 

O que estes políticos populistas querem dizer, é que pobre paga proporcionalmente mais de seu salário, do que rico.

Mas a palavra proporcionalmente fica fora da manchete.

Mas nem isto é verdade.

No exemplo acima, o Rico ganhou 19 vezes mais que a classe média e pagou 206 vezes mais imposto.

Fico por aqui. Muitos irão discordar porque não inclui os impostos sobre consumo.

Impostos sobre consumo são feitos para coibir o consumismo, e incentivar a poupança e o investimento para aumento de produção e geração de empregos.

Neste sentido é um imposto que queremos, por sermos pobres.

E se Ricos recusam consumir e gastar o que ganham em artigos de luxo, consumo conspícuo, evitando assim pagar estes impostos, tem gente que é contra.

Algo Para Se Pensar. 

Esta história se complica mais ainda, porque os políticos incluem impostos sobre o consumo, e mentem sobre estes também, o que irei discutir num próximo post.

http://www.receita.fazenda.gov.br/Publico/estudotributarios/estatisticas/03CargaTributariasobreSalarios.pdf

(Lido por 391 pessoas até agora)

25 Comments on Pobre Paga Mais Imposto do Que Rico?

  1. Proporcionalmente rico paga mais imposto do que pobre, o motivo é simples tem dinheiro e consome mais.

  2. Os pobres não pagam mais impostos do que os ricos, mas sem dúvida os pobres são mais prejudicados pelos impostos do que os ricos.
    Aliás, a maioria dos mercados é dominado pelos ricos. Cobrar impostos aos ricos significa que eles irão aumentar os preços, reduzir os salários e de novo quem sofre é o pobre que trabalha para o rico e ainda precisa comprar comida dos ricos…
    Enfim, de todas as maneiras, quem mais paga impostos é o pobre porque mesmo pagando menos ele é sempre o mais prejudicado.

  3. Já li muitos papers neste blog, mas este realmente parece bastante confuso e carece de uma análise mais imparcial e profunda.
    Gostaria que o Prof. Kanitz fizesse os devidos comentários acerca das observações dos leitores acima. Afinal, estamos aqui não só como leitores passivos discutindo entre si.
    Abraços.

  4. Oras ! Só falei que a análise era parcial e tosca na análise; e que já li muitas análises bem mais embasadas dele; portanto que mal há em dizer que o post é ruim ?!
    E, ainda por cima chamei a atenção, como outros, pelo ‘esquecimento’ dos impostos indiretos.
    Se isto não é debater…Não estou pedindo para só concordarem com o que falei. Meu protesto é o contrário, quanto a falha no raciocínio e, a manchete marketeira.

  5. Em relação ao IRPF essa objeção tem sentido. Pois como muitos consideram o IR é o unico imposto ‘inteligente’ (progressivo).
    Já na caso dos outros impostos como pro exemplo o ICMS o pobre proporcionalmente paga mais como podemos ver:
    POBRE -> SALARIO = CONSUMO
    RICO -> SALARIO = CONSUMO + POUPANÇA
    dessa forma pode-se ver q a incidência do imposto sobre os ricos é menor pois nao incide sobre o total do salario, apenas sobre o consumo..

  6. Pode discordar à vontade, mas dizer que só por você discordar o post é ruim écoisade quemacha que os outros só devem concordar…

  7. Dr. Kanitz, muito interessante levantar este tema. Tambem estou cansado com esta histório de pobre pagar mais imposto. Coisa de socialista que perdeu a bandeira.
    Quem paga imposto é consumidor o resto transfere para o custo do produto ou serviço. Rico consome muito mais do que pobre, logo paga mais imposto. Para reduzir a carga tributaria dos pobres é so reduzir os impostos sobre os produtos basicos de consumo, comida etc

  8. Números dizem o que a gente quiser; mentem – poderia citar inúmeros casos: Enron, Grécia, etc.
    Essa é uma discussão longe de simplificações.
    O artigo demonstra, na verdade, o preconceito, a ascepção, a segregação social, e a manipulação de palavras e números para explicar um ideal.

  9. Stephen Kanitz,
    A comparação entre pobre e Rico que você esta fazendo se refere a pessoas que estão do mesmo lado da moeda, ou seja, são empregados… Quando recebem seus salários tem os impostos descontados na fonte, mas se compararmos com o outro lado da moeda e analisarmos os donos de empresas e investidores, pessoas ultra Ricas, percebemos que pagam menos impostos que os pobres, pois donos de empresas e investidores nem tocam no dinheiro; simplesmente reinveste.

  10. Prof. Kanitz,
    os “famosos” que declaram tal enormidade estão se valendo do volume arrecadado no agregado. Nessa ótica, a afirmativa é verdade, dado que no Brasil temos mais pobres que ricos (mais gente nas primeiras faixas que nas últimas).
    Sobre os comentários: besteira total ficar dizendo que a “qualidade” dos posts está piorando. Vocês apenas não concordam com o que está escrito e partem pro ataque.

  11. Estimado Kanitz, como já foi dito aqui, sua comparação é um tanto tendenciosa. Realmente é muito difícil encontrar assalariados nessa faixa de 44.618,00..aliás, de onde veio esse número quebrado?
    Normalmente o profissional acaba abrindo empresa para receber este montante e pagar menos impostos no país do jeitinho.
    A palavra “proporcionalmente” que o senhor questiona já está implícita para bom entendedor.
    É óbvio que quem ganha mais “oficialmente” vai pagar mais impostos. Digo “oficialmente” porque um rico costuma ter um bom contador que o ajuda a pagar menos impostos.
    Conforme escreveu outro colega, a impressão que dá é que a reportagem tendenciosa faz o rico parecer um coitado. É claro que o rico paga mais impostos e usa pouco ou nada do que o governo deveria lhe dar. As cotas, por exemplo estão cortando a vagas em universidades para filhos de ricos que pagam mais impostos. Rico não usa SUS, etc. Resumindo, o rico subsidia o serviço público mal administrado para os menos ricos.
    Agora usando números:
    44.618,00 – 11.577,33 = 33.040,67
    O rico tem 33.040,67 pra comprar comida, pagar saúde, educação, transporte, se divertir e ainda sobra pra investir.
    Quem ganha 1499,00 paga zero de imposto direto, mas em compensação, paga os indiretos que podem chegar a 50% do valor do produto. Compras no mercado, carro, combustível, transporte, etc.
    Sobra quanto pra investir em cursos de aperfeiçoamento com o objetivo de crescer sua renda? Sobra quanto pra investir e aumentar seu patrimônio a longo prazo?
    Isso sem contar que a taxa de juros pra quem ganha pouco é absurdamente maior do que pra quem ganha muito. Basta ver o cheque especial para clientes prime.
    Não estou falando mal de ricos, muito pelo contrário. Acho que o governo deveria ter uma política administrativa de forma que permitisse que mais pessoas ficassem ricas e, desta forma, pagassem mais impostos.
    A melhor forma de fazer isso é diminuir a carga tributária indireta e colocar educação financeira como obrigatória nas escolas de ensino fundamental, médio e universidades.
    Não seria mais lógico a longo prazo?

  12. Bom Dia,
    Concordo com o Eduardo que eu acredito que vem a ser a grande injustiça em relação aos pagamentos de impostos, é a diferença que temos ao pagar os valores de tributos agregados no valor final ao consumidor. Nesse caso os pobres sentirão um peso maior no bolso do que os ricos ao comprarem os produtos em um supermecado. Mas isso é uma questão da reforma tributária. O que eu acho é que a diferença entre os valores das faixas de tributação no Brasil são muito estreitas e deveriam ser alongadas.
    Agora sejamos justos, quem é assalariado no Brasil não foge do leão, já os empresários e outros profissionais sempre utilizam se mecanismos para pagar menos impostos (disfarçando retiradas, isenções, etc).
    E sejamos sinceros quem quem gosta de pagar impostos e tributar o fruto do seu trabalho em prol de um sistema falido que irá utilizar os recursos de forma equivocadas.

  13. Quem disse que os ricos são assalariados? Os ricos acumulam patrimônio através de suas empresas…
    Parece-me que a necessidade de escrever todos os dias está jogando a qualidade das análises lá pra baixo!

  14. Se orgulhar de pagar impostos, super injustos.
    Realmente o fundo do poço tem porão.

  15. seu texto realmente não leva a lugar nenhum, basicamente pelo que você quer dizer é que vale a pena então ser pobre e coitados dos ricos???

  16. estatística é conhecida como a arte de torturar os números até eles dizerem o que você quer…realmente uma pena

  17. Rodolfo,
    você pressupõe que o empresário vai agir de má fé e ser corrupto. Nesses casos não se combate dificultando o negócio e gerando óleo para a máquina do Estado, mas com fiscalização.
    Desconfio que mesmo que o empresário pague via Simples Nacional ele não recolherá menos proporcionalmente que um assalariado. Faça os cálculos e coloque aqui. De repente me convencerá do contrário.
    Bruno
    PS: minha análise não foi utópica, se baseia nos critérios da Receita Federal e como ela faz os cálculos.

  18. Kanitz
    chega desse proselitismo a favor dos ricos. Sua análises estão perdendo a qualidade. Como já disseram aí acima o pior é o imposto sobre o consumo. Cai na real, olha na janela e vê se não existe problema de distribuição (administração como você gosta) de riqueza no mundo.Não pode ser que no final das contas você tenha adotado a politica de ser um petista as avessas. Sua razoável neutralidade era o que atraia no blog…agora você vem com estes cálculos ideológicos do peso do imposto descontextualizando ou esquecendo todos os outros impostos indiretos !!! Cansativo

  19. Prezado Bruno,
    um empresário (de má-fé) pode “criar” diversas despesas e abater seu lucro.
    um assalariado pode abater o quê? Menos de R$ 2.000,00 por dependente/ano?
    Fora, dependendo do setor, o “empresário” enquadrar sua empresa no Simples Nacional mediante “omissão de receita”.
    Não estou questionando o FG meu amigo.
    Na prática, mesmo na hipotese de que você estivesse correto, há o seguinte:
    1º a lei é para todos;
    2º os assalariados compulsoriamente pagam IR;
    3º os empresarios declaram a RFB homologa (IR – imposto por homologação).
    A brecha é essa. Mesmo na melhor hipotese, ou aquela utópica que você descreveu (sem qualquer tipo de engenharia financeira), o assalariado SEMPRE é cumpridor e tem seu IR devidamente recolhido. Já o empresário ou “empresário” declara e depois recolhe. Percebeu a brecha? (é apenas um aspecto. o Outro já citei, eng. financeira, basta ver a discussão de algumas carreiras profissionais se vale a pena prestar serviço como PF ou PJ)

  20. Professor, como disse o Eduardo, a carga tributária é elevado ao levarmos em consideração o volume total de impostos pagos pelos cidadãos, em relação a sua renda: ao contrário dos países desenvolvidos, que tem como base de sua tributação a renda e o patrimônio, no Brasil nossa base é sobre o consumo: mais de 50% do volume arrecadado.
    E nossas alíquotas são muito altas, e para as classes de baixa renda, significam uma parcela muito mais alta de impostos.
    E esta comparação que o senhor fez, bastante simplificada, só é válida para a tributação sobre a renda dos assalariados. Há que se lembrar que dividendos são isentos de imposto de renda.
    Considerando que o imposto sobre a renda de pessoas jurídicas tem alíquota de 10% sobre o lucro líquido até o valor de R$ 20 mil por ano, e alíquota máxima de 25% sobre o valor que ultrapassar R$ 20 mil, já dá pra perceber uma grande diferença.
    Sem contar que a grande maioria das empresas recolhe os tributos de forma presumida, e tem um lucro ainda maior que o oferecido à tributação.
    E a imensa maioria das grandes rendas do país são derivadas de dividendos, não de salário.
    Ainda mais grave quando o imposto é calculado sobre ganho de capital, de apenas 15%. O certo deveria ser corrigir o valor inicial investido e jogar o lucro na tabela progressiva do imposto de renda. Mas isso pode valer outro post.
    Um abraço.

  21. O recolhimento de IR independe se você é empregado ou empregador, recebe salário via carteira assinada ou pró-labore. O fato gerador é auferir renda. Empresários que ganham mais pagam sim, proporcionalmente, mais imposto.
    Não há sofisma algum no texto do Kanitz. Apenas uma ressalva: se usarmos o simulador de alíquota efetiva da Receita Federal, quem recebe R$ 2.246,00 paga R$ 50,95 e IR, e quem recebe R$ 44.618,00 paga R$ 11.546,00. Uma relação maior ainda: cerca de 226 vezes.
    Ansioso estou pelo próximo post.
    Bruno
    blog Opinião de Administrador

  22. kanitz,
    Diga-me quantas pessoas físicas recebem essa quantia de mais de R$ 40 mil?
    Existem muitas pessoas com certeza, mas que recebem com vínculo empregatício e sujeito à retenção de IR são outros quinhentos?
    A maioria dos que recebem isso no país, mesmo que declarado, provavelmente o fazem via pro labore, distribuição de lucros, prestação de serviços entre PJs, atividade rural etc.
    A sua afirmação é verdadeira apenas entre os assalariados. Um assalariado que ganha mais de R$ 40 mil paga “X” vezes mais do que um assalariado que ganha pouco acima da faixa de isenção.
    Você, professor universitário de carreira(e com retenção em folha), provavelmente recolheu ao longo da vida mais IR do que muitos da lista dos 100 mais ricos do país.
    Trata-se de um puro sofisma.

  23. mas a afirmação de que pobre paga, proporcionalmente, mais imposto do que rico, está mais relacionada à carga excessiva de impostos sobre produtos, e não ao imposto de renda. um pobre paga o mesmo imposto por um litro de leite que um rico. não seria melhor se a arrecadação de impostos privilegiasse a renda, e menos os produtos? pelo menos foi isso que eu aprendi na escola há uns 15 anos… rs.

Comments are closed.

UA-1184690-14