Você é Contra a Economia de Mercado?

 

Tempo de leitura: 45 segundos 

 

Veja esta manchete de hoje. “Cunha vincula impeachment a voto favorável do PT na comissão de ética”.

Aqui está havendo uma clara transação comercial, mas fora dos padrões éticos da “Economia de Mercado”.

Houve um acordo de “bigode” entre a Dilma e Cunha, às escondidas, que ela o livraria do processo de ética (débito) e ele a livraria do processo de impeachment (crédito de igual valor).

Como na Economia de Mercado: eu lhe faço o que você quer e você me entrega o que eu quero.

Só que na Economia de Mercado temos três vantagens sobre esta “Economia do Fio do Bigode”.

Na Economia de Mercado ambos os “favores” precisam ser quantificados, publicados e auditados.

Exemplo: Contrato Público Celebrado em 1/11/2015 entre Dilma Rousseff e Eduardo Cunha.

Neste ato, Dilma Rousseff, CPF, acorda que pagará a Eduardo Cunha, CPF, R$ 2 bilhões para que este não dê continuidade ao processo de impeachment.

Eduardo Cunha, por sua vez, pagará a Dilma Rousseff, R$ 2 bilhões para o PT, para que seus deputados não votem no processo de ética.

Estabelece-se o Foro de São Paulo, filial de Caracas, para redimir quaisquer dúvidas deste contrato.

É assim que funciona a Economia de Mercado.

Tudo às claras, os preços visíveis nos supermercados, cartões de crédito que garantem o pagamento, inspeção imediata do produto comprado.

Cunha não precisaria usar um jornalista do Estado de São Paulo, para que ele publicasse na primeira página um recado para a Dilma.

“Lembre-se de nosso Fio do Bigode. Temos um contrato não assinado entre nós, que você precisa cumprir.”

O jornalista que serviu de intermediário é um dos muitos que são contra a Economia de Mercado, senão estaria escrevendo este texto, e não eu.

A Economia de Mercado, na esfera pública, mostraria também o que alguns de vocês espero já tenham percebido.

Cunha está dando algo muito mais valioso para o PT do que está recebendo em troca.

Por isto o socialismo brasileiro faliu.

Numa economia onde não prevalece a economia de mercado, temos milhares de fios dos bigodes com valores assimétricos.

“Eu arrumo um emprego vitalício no BNDES para a sua irmã e você vota em mim na próxima eleição.”

“Eu lhe dou a USINA de Barnabé e em troca você doa R$ 500.000,00 para o PT.”

“Eu libero a verba para a ponte que será superfaturada, e você aprova o orçamento de 2016.”

“Eu lhe dou nota 10 no seu Doutorado de Economia, e você vota em mim para a próxima Chefia de Departamento.”

Numa Economia de Mercado, tudo isto seria impossível.

Mas nossa esquerda ainda prefere os fios do bigode, por quê?

 

(Lido por 43 pessoas até agora)

UA-1184690-14