Programa de Governo do Partido Bem Eficiente – Educação II

Cumprimento do Programa

Nenhum professor cumpre o programa estabelecido. Alunos sempre perguntam o que irá cair na prova, porque depende do que foi dado, não do que o Ministério da Educação ou a comissão de pais e alunos estabeleceu.

Ninguém termina um curso de História no Brasil, as aulas terminam antes.

Para garantir que o programa do curso seja cumprido, o Partido Bem Eficiente fará uma única medida.

As provas finais serão redigidas por órgão independente, versando sobre o conteúdo do programa, e não o programa dado pelo professor.

Se o professor não está dando o curso, os alunos que reclamem ou estudem sozinhos.

Queremos médicos e engenheiros que saibam a matéria completa, e não somente a matéria dada em aula.

Partido Bem Eficiente 2014.

Contribua para o PBE simplesmente nos seguindo @PBE_2014 no Twitter 

Compartilhe:
WhatsApp
Email
Facebook
Twitter
LinkedIn

Comentários

8 Responses

  1. Não seria melhor planejar de forma precisa e cronológica o ano letivo? Receio que a médio prazo isso pode dispensar a presença do docente nas escolas.
    A administração, informa o programa no início do semestre e os alunos fazem as provas.
    Qual seria o papel do professor nesse processo?

  2. Qual seria o papel do professor nesse processo?
    O papel do professor seria ensinar!
    Kanitz, outras duas sugestões para o plano:
    1- padronizar as salas de aulas que dão certo. Nesse caso seria interessante fazer benchmarking no setor privado.
    2- criar plano de carreira para o professor. É muito difícil atrair os melhores talentos para o magistério sem um bom plano de carreira.

  3. não é isto que a OAb faz com bachareis de qualquer faculdade? os numeros não demonstram isto, baixo indice de aprovação? a culpa é da OAB ou das faculdades que brincam de formar pessoas?

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Mais Recentes

Outros Assuntos

Outros Canais

Receba os artigos por e-mail
Leia Mais

Artigos Relacionados

O País do Desperdício

  Por 70 anos insistimos que o crescimento do PIB é função do Estado. Economistas simplificam o problema como uma função de investimentos em capital

Artigo Completo »