Precisamos Acabar Com o Vestibular

O vestibular unificado está destruindo o nosso ensino médio e a habilidade de pensar por si.

Escolas privadas e pais preocupados com seus filhos passarem no vestibular, acabam dirigindo o ensino médio exclusivamente para as matérias do vestibular.

São testes de múltipla escolha e todos os alunos acham que isso é educação.

A vida não lhes oferece múltiplas escolhas e basta vocês escolherem a melhor.

Essa é uma visão equivocada da vida que nossos filhos acreditam.

Ou são obrigados a escrever uma redação onde precisam propor uma solução para o Brasil.

O SAT americano nada tem a ver com as matérias do ensino médio, ele mede raciocínio verbal e raciocínio quantitativo.

Testes de QI, que medem sua capacidade de raciocinar, preveem 50% do seu sucesso na vida, o resto é esforço e atitude.

O SAT é um teste de QI e não de matérias do ensino médio, não há como se “preparar” para um SAT.

Por isso os Estados Unidos não desperdiçam fortunas com cursinhos, onde professores show entretêm a galera com piadas de tempos em tempos.

Na China é semelhante. Lá o sistema permite você escolher uma matéria em especial, aquela da sua profissão, e também divide entre raciocínio verbal e quantitativo.

Prestei o vestibular para a Universidade de Londres e meu assunto escolhido foi Economia, que uso até hoje.

Hoje em dia quase 90% dos vestibulandos entram, e a verdadeira seleção se faz no primeiro ano da Faculdade.

Isso é feito também na Argentina, todos entram, mas onde metade desiste por perceber que escolheu a profissão errada, e os menos qualificados são eliminados.

Se as empresas selecionassem seus funcionários como nós escolhemos nossos alunos, estariam todas quebradas.

Achamos absurdo escolher qualquer pessoa sem avaliar seu QI emocional, sem uma entrevista pessoal, sem uma dinâmica de grupo para verificar liderança, por exemplo.

Aí reclamam que não temos líderes no Brasil.

Compartilhe:
WhatsApp
Email
Facebook
Twitter
LinkedIn

Comentários

9 Responses

  1. Vai demorar para a mentalidade imposta pela turma do Paulo Freire ser modificada, infelizmente isso vem de décadas e vai demorar outras décadas para mudar.

    Veja o exemplo do artigo sobre casa própria/compra de imóveis, grande parte dos leitores rejeita a ideia de que um imóvel não é um bom negócio, é um costume errado porém muito fortemente assimilado pela população brasileira.

    Um outro exemplo: poderíamos ter planos de saúde para toda a população através de vouchers com o mesmo dispêndio atual da soma de verbas de saúde federais, estaduais e municipais de hoje.
    Porém viriam ataques de todos os lados contra a substituição de um serviço público por um privado.

    1. Já os ancapzinhos e liberaisinhos, estão ditando a “moda” na Economia brasileira desde os anos 90. E desde então o país vem andando para trás. Antes, era 5x maior que a China. Após a onda neo-liberal, e sua continuação de 2016 pra cá, nos levaram a ser mais de 10x menor q a China e caímos da 7ª economia do mundo para a 13ª posição.
      E a culpa é do Paulo Freire.

  2. Essa é uma boa discussão, Professor! A formação de líderes nunca foi uma preocupação dos nossos órgãos (in)competentes. Isto foi alegremente delegado para as empresas e assumido parcialmente por algumas escolas de negócios e instituições do Sistema S. Imagine o que poderíamos conseguir investindo na formação em liderança para professores do ensino básico. Humanos aprendem com outros humanos. Quanto antes se começa, melhor. Grande abraço!

  3. Certa ocasião, na minha carreira de professor universitário na Un. Est. de Maringá (no Paraná), fui avisado pelo Chefe do Departamento de Física que um grupo de três alunos foram reclamar de minhas aulas. O Chefe então lhes perguntou qual era o problema. E, eles prontamente responderam – Na prova, esse professor está exigindo que a gente interprete os textos sobre as leis de Newton, em vez de pedir ‘múltipla escolha’. Sabiamente o Chefe respondeu -“Meninos, eu acho que vocês se matricularam aqui por engano! Aqui não é Cursinho de Vestibular…”

  4. Querido professor,

    Tenho visão diferente e, respeitosamente, gostaria de a apresentar.

    O vestibular unificado está ligado à meritocracia e não destrói a habilidade de pensar por si, mas a utiliza.

    Claro que testes de múltipla escolha não é educação, é forma de aferir determinado conhecimento.

    Claro que a vida nos oferece múltiplas escolhas sempre, tanto que podemos escolher as que nos parecem melhor.

    Ou alunos serem obrigados a escrever uma redação é uma forma de aferir português, raciocínio e expressão. Se precisam propor uma solução para o Brasil, é consequência da ideologização do ensino. Falha de quem a avalia, não da existência de avaliação.

    Se testes de QI, que medem sua capacidade de raciocinar, preveem 50% do seu sucesso na vida, o conhecimento é fundamental. Lembro de amigos, que fizeram medicina, gastando horas e horas decorando informações. Por isso, os exames de fim de curso. Temos muitos bacharéis em direito que não são advogados, simplesmente porque não conseguem passar no exame da Ordem. Esqueceram de estudar.

    Não conheço o SAT mas se é um teste só de QI e não de matérias, beira a eugenia, anulando o esforço de muitos. Eu, pessoalmente, preferiria consultar um médico ou engenheiro conhecimentos sólidos a um de alto QI. Vale o mesmo para o piloto do avião em que viajo.

    Se os Estados Unidos não desperdiçam fortunas com cursinhos, provavelmente é porque têm um ensino médio que realmente ensina, e não uma asneira como nossa progressão continuada, onde o aluno simplesmente passa de ano, sem provas, e se diploma sem nada saber.

    Na China ser semelhante, nada prova. O sistema permitir você escolher uma matéria em especial, aquela da sua profissão, é uma miopia, pois esse conhecimento pouco vale, já que o aluno vai APRENDER e não só utilizar o que sabe. A falta de um base de conhecimento geral mínimo dificulta o aprendizado e forma pessoas incapazes até de compreender o mundo em que vive. Talvez agrade os dirigentes chineses. Aconteceu com uma colega, que acreditava piamente que só precisava saber matemática, por trabalhar com contabilidade. Imagine o resultado…

    É o que penso. Abração!

  5. Desde há muito os vestibulares tem sido dirigidos por interesses não de escolas particulares mas de escolas publicas e universidades publicas que tem promovido infelizmente a mediocrização do ensino superior no Brasil . Quem milita na seleção e recrutamento de novos talentos para empresas sabem do que falo . Teste de QI é o mais ultrapassado que temos . Alguém falou em quoeficiente emocional , então sonhou . Temos hoje um aparato de possibilidades mas do que adianta ? Conhecimento , repertório cada vez mais medíocre . Capacidade de aprender por si mesmo , zero , o sistema não ensina. Há algum tempo se fala em competência de ” capacidade de Aprender ” ou mesmo ” aprender a aprender ” , e isso porque no sistema de ensino não se ensina e ninguém sabe . Os privilegiados que são autodidatas se destacam e por isso tem méritos . Vamos acordar ??? Se o sistema Paulo Freire mediocriza vamos mudar , mas a platitude não vai resolver !!! sorry mestre !!

  6. Fui professor por algum tempo, mas acabei desistindo. Considero que, como professor, fracassei. O motivo? Não consegui inventar uma método para ensinar a quem não quer aprender. Todos parecem estar satisfeitos com suas respectivas ignorâncias; neste particular posso dizer que Paulo Freire realmente tem sido um sucesso.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Mais Recentes

Outros Assuntos

Outros Canais

Receba os artigos por e-mail
Leia Mais

Artigos Relacionados