A Profissão de Administrador

[pullquote]Segundo o STF, “qualquer um pode exercer a profissão de jornalista” frase bem conhecida de tantos administradores.[/pullquote]

Jornalistas reagiram como deveriam à decisão do Supremo de cancelar a necessidade de diploma de jornalismo.

Segundo o STF, “qualquer um pode exercer a profissão de jornalista” frase bem conhecida de tantos administradores.

Mas os jornalistas, ao contrário dos administradores, insurgiram.

Beth Costa presidente da Federação Nacional dos Jornalistas, escreve: não é  óbvio que precisamos de uma “regulamentação profissional que exija o mínimo de qualificação?”

É exigir demais pedir o mínimo de qualificação, para um presidente “eu entendo xongas” da Petrobras, segundo entrevista na Valor?

Vejam o estrago que fizeram nestas 4 empresas. Nenhum jornalista amador chegou perto de causar um prejuízo de 20 bilhões.

E estes mesmos “diplomados” nos acusam de querer um cartório, quando foram eles que decretaram o fechamento das escolas de administração no calar da Ditadura Vargas.

Os jornalistas conseguiram que o Senado aprovasse novamente um mínimo de qualificação profissional para exercer a profissão, que honestamente deveria ser extendida a todas as profissões, como já ocorre com advogado e engenheiro.

Aos administradores só posso alertar que vocês não merecem o diploma que possuem, se manterem esta passividade.

Aos jornalistas só peço que denunciem o corporativismo da  Lei 7988/45, e defendam agora o mínimo de qualificação para a “administração” deste país. 

O que inclue os donos dos jornais, que a Beth reclama.

“foram proprietários das empresas de comunicação, os maiores beneficiários da não-exigência do diploma”.

Se estes donos, que também não tem diploma de administração, forem substituídos por administradores socialmente responsáveis, tenho certeza que teremos empresas jornalísticas preocupadas com bom jornalismo, ética, qualidade e não somente maximização de lucros.

(Lido por 41 pessoas até agora)

10 Comments on A Profissão de Administrador

  1. A questão não é só de que modelo é melhor, mas de coerência. Vivemos em uma sociedade em que parte das profissões são controladas por equivalentes a guildas, como OAB, CREA, CFM e outros. Outras profissões porém não tem qualquer controle. Quando se tenta propor uma discussão sobre essa questão, quem tem mais poder apela para a tradição e outros argumentos subjetivos. Dizem que o mercado é que deve selecionar os melhores. Bom se assim, então deve ser assim para todos, ou não deve ser pra ninguém. Os juristas defensores da liberdade econômica raramente defendem a liberdade de escolha sobre o advogado ser ou não profissional licenciado. Imaginem pra ser juiz então? Mas porque no caso de administrar na função pública não usam o mesmo rigor? Simples, diminui o seu espaço de poder. No fundo a questão toda é essa. São corporações profissionais tradicionais lutando para manter maior espaço de poder. Não há nada interesse público aí.

  2. Toda profissão deveria ter uma prova que habilitasse o profissional para exercê-la.

  3. Não concordo. Não acho que transformar as profissões em guildas impenetráveis seja um bom caminho. Um diploma de uma faculdade que o sujeito escolhe aos 17, 18 anos não pode ser uma sentença pra vida toda.

  4. Kanitz,
    Mudando um pouco de assunto,já que você ressalta tanto a importância do administrador, seria interessante que você comentasse sobre as propostas do administrador Mitt Romney para governar os Estados Unidos, em um post futuro. O site dele explica extensamente os pontos defendidos pelo candidato.

  5. GRANDE EROS THANATOS, falou tudo mas não explicou nada. logo, vou explicar agora a tua lógica BRASILEIRA de ensino superior. Num pais que não tem ensino qualificado na base e no ensino médio. Vamos formar no ensino superior uma MASSA DE ANALFABETOS FUNCIONAIS. Pessoas que não PENSAM (córtex desativado). Servem de ESTATÍSTICA para governos de bandidos. Eles precisam dessa estatística para justificar RESULTADO. Logo, em um país onde tudo é MENTIRA E ENGANAÇÃO, como podemos ter Administradores formados e jornalistas formados? Pois esses SERES ARROGANTES só fazem seguir as regras que outros SERES ARROGANTES CRIARAM. Eu entendo o teu argumento! Mas, também entendo o que você quer dizer e defender com tais argumentos. Pois nessa sua LÓGICA, fica fácil de ELEGER IGNORANTES FUNCIONAIS. Pois, se o mundo é tão ruim, se os administradores e jornalistas com estudo só fazem seguir o sistema. Então, vamos continua ELEGENDO ANALFABETOS. Essa é a tua VERDADEIRA MENSAGEM DO TEU CÓRTEX! OS MEDÍOCRES DEVEM ESTAR NO PODER! Pois vai que um administrador ético, com carácter, e PREPARADO chegue no poder! Imagina! Você não ter mais ARGUMENTOS para falar do SERZINHO!

  6. “Ninguem está exigindo diploma e sim conhecimentos de administração. Troque diploma por exame de proficiencia ou q vc quizer. O que nao podemos é ter amadores brincando de administradores da coisa publica.”
    Até parece que a “coisa pública” é tratada neste país com a seriedade a que se referes.

  7. Ninguem esta exigindo diploma e sim conhecimentos de administração. Troque diploma por exame de proficiencia ou q vc quizer. O que nao podemos é ter amadores brincando de administradores da coisa publica.

  8. Meu caro Kanitz:
    O ser humano ainda não aprendeu que o determinismo foi implodido pela propria ciência->que apregoava sua validade – a Física, especialmente a Física Quantica. O nosso planeta é um minúsculo pó suspenso num universo que desconhecemos e o homem um grão se comparado a Terra; mas esse serzinho tem a arrogancia de planejar o futuro, controlar o comportamento humano, de criar valores para determinar ações que dependem exclusivamente das leis físicas…(Trocando de saco pra mala) Bem que me desculpem os Jornalistas, mas quem precisa de diploma para se submeter aos mandamentos do poder ecônomico, de escrevinhar de acordo com o seu Patrão, de ficar 4 anos dentro de uma sala para sair de lá cometendo erros de ortografia e sintaxe e ainda mais, sem nenhuma ideia decente no cortex; para o administrador não vejo necessidade de diploma, pois para manter a ilusão do que o planejado está sendo cumprido, executado não de pende de conceitos formais, de ciência e sim de fé; um pastor seria mais eficiente e eficaz do que um diplomado…

Comments are closed.

UA-1184690-14