Como Não Fizemos a Transição da Empresa de Controle Familiar Para a Empresa Profissional Democrática

 

Tempo de leitura : 75 segundos

 

Os Estados Unidos são o que são porque fizeram a transição da empresa de controle familiar, tipo Odebrecht, Pão de Açúcar, Editora Abril.

Empresas familiares são centralizadoras, hegemônicas, amadoras e ditatoriais, mas os Estados Unidos fizeram a transição nos idos de 1900 para empresas de capital aberto, democráticas e profissionais e o Brasil ainda nem sequer acha que isto seja necessário.

Haja visto meus problemas neste sentido, todos, inclusive nossos professores de administração adoram empresas familiares.

O Prof. Jacques Marcovitch, da FEA, único administrador a chegar a ser Reitor da USP, no auge de sua carreira escreve “Pioneiros & Empreendedores” uma defesa aos grandes empresários deste país, não aos grandes administradores que ele como professor não produziu.

Nossos Juízes do Trabalho, Líderes do PSOL, PT, PSDB, Unicamp, equacionam Capitalismo com Empresa Familiar, e por isto são ferrenhos opositores, com toda razão.

Os Ministros Toffoli e Lewandowski são contra a empresa familiar, mas não sabem disto.

Sergio Moro é contra a empresa familiar, mas não sabe disto e todos acham que foi o Capitalismo que destruiu a Petrobras, e não a Monarquia, a monarquia da empresa familiar.

Empresas de capital democrático não subornam empresas como a Petrobras porque não são controladas por uma única família.

Eu sei que existem exceções, mas normalmente são empresas europeias com acordos de acionistas, uma aberração democrática.

O Brasil continua essencialmente o país da empresa familiar.

Temos no máximo cinco empresas de capital efetivamente pulverizado, Lojas Renner para citar um único caso.

Por isto o Brasil é mal administrado, por isto temos esta luta sangrenta entre esquerda e direita, e pior, uma direita retrógrada, corrupta e essencialmente fascista, que apoia e financia governos como o PT.

Mas não é o Capitalismo que é o responsável.

É nossa idolatria pelos empresários e não pelo administrador, que ainda não temos nem queremos.

Em vez de empresas profissionais, sem controle majoritário dos 1%, administradores por vocês sabem quem, a maioria de nossas empresas são administradas pelos filhos do dono que dão sustentação a governos fascistas como o PT.

O PT não é um partido de esquerda.

É um partido fascista onde substituímos empresários pró Hitler como Krupp, Thyssen, Farben, Flick, por Gerdau, Lawrence Pih, Matarazzo e Vasconcellos.

E Lula soube transitar muito bem entre estes banqueiros, empresários e os sindicatos, USP e Unicamp.

Mas Lula e o PT jamais seriam possíveis sem o financiamento de campanha de empresas familiares, praticamente as únicas que financiaram o PT.

Pensem nisto na próxima vez que acharem que o Brasil não precisa de empresas administradas por profissionais especializados em vez dos filhos do dono.

 

(Lido por 26 pessoas até agora)

UA-1184690-14