Por Que as Metas de Inflação Não São “Zero de Inflação”?

 

Tempo de leitura: 90 segundos

Por que um Banco Central deveria “garantir” uma inflação de 4,5% ao ano e não zero de inflação?

Quem quer inflação, mesmo que seja pequena?

Mas essa é justamente a proposta contida nos “papers” de Larson, Rogoff que propuseram Inflation Targeting.

Eles propõem que o governo garanta uma inflação predefinida.

Inflação não é um flagelo que destrói o valor dos salários, preços e aposentadorias, etc?

Então, por que economistas estrangeiros a sugerem e nossos economistas brasileiros adotam?

Por que não se estabelece como meta “inflação zero”?

É o que a Administração Responsável das Nações faria, por uma razão muito simples.

Administração segue “first principles“, e o princípio básico de cada moeda é ter zero de inflação.

E nunca uma inflação predeterminada pelo governo.

Muitos dirão que inflação zero é impossível, mas nenhum dos “papers” desses economistas sequer explica porquê nem tenta o “impossível”.

Meta por meta prefiro a meta de inflação zero, mesmo porque as metas do nosso BC também nunca foram cumpridas.

Para estabelecer a meta de inflação zero, precisamos mudar o foco.

A pergunta que nós administradores faríamos é “Qual o aumento de produtividade que precisamos todo ano para que não haja aumento de inflação?”.

Compare com a pergunta que nossos economistas fazem: “Qual o aumento de juros que precisamos para abaixar a inflação?”.

Infelizmente o IBGE e o IPEA, e os think tanks como Casa das Garças, Instituto Millenium, nunca fizeram a pergunta relevante.

Esta visão de mundo dos Administradores sequer está nos seus radares.

Então respondam, por que todos vocês defendem essa política econômica de metas de inflação sem questionar?

Sigam Administração Responsável das Nações, se quiserem deixar de ser enganados.

 

(Lido por 349 pessoas até agora)

UA-1184690-14