Meu Conselho Para os Jovens

 

Uma das matérias que deveria ser obrigatória no ensino médio é a Contabilidade.

Contabilidade, além de permitir todos a organizar melhor a sua vida financeira e não ser enganado por bancos, cônjuges, parceiros e sócios, permite outra coisa importante.

Ela ensina você a olhar o mundo sempre de dois importantes ângulos: o do débito e o do crédito. Nenhuma outra ciência o treina dessa forma, todas as outras ensinam uma visão unidimensional do mundo.

Contabilidade é bidimensional, um avanço.

Débito e Crédito. De onde vem, para onde vai. Quem recebe, quem paga. Investiu, como?

Gastou, no quê?

Permite de cara, analisar uma série de problemas da vida de uma forma mais completa, mais real.

Vou dar um exemplo de como nós contadores enxergamos o mundo sob esta forma de ver e observar.

Quando alguém me diz que ele/a tem “Direitos Adquiridos”, eu sempre pergunto “Contra Quem?”.

Isto você só aprende depois de estudar Contabilidade. Quando alguém diz que vai se aposentar, eu sempre pergunto “Com que dinheiro?”.

“Eu vou investir neste IPO”, e eu imediatamente pergunto “E como você vai desinvestir?”.

“Eu vou receber décimo terceiro e férias.” De quem?

“O governo paga elevados juros.” Com que receitas?

Eu diria que 90% dos erros que eu descubro com o pensamento dos economistas vem do fato de que eles não pensam bidimensionalmente, apesar de tratarem com os mesmos números que nós administradores e contadores.

Vejamos a questão dos juros. Por que os juros são elevados?

Porque os investimentos feitos pelos nossos economistas no passado, não estão gerando receitas.

Se os investimentos com dívida pública tivessem sido bem aplicados, gerariam receitas tais que seria fácil pagar os juros e lentamente saldar a dívida inicial.

Pergunte a um economista do nosso Tesouro “Onde vocês investiram estes 1,5 trilhões desta dívida interna (e a externa)?”.

Jornalistas, peçam o Demonstrativo de Investimento, que o Débito, o outro lado, do Demonstrativo de Dívidas, que é o crédito, aquilo que o governo deve.

Como torraram o dinheiro, economistas passaram a contrair mais dívidas, para pagar os juros das dívidas do passado. Nos Estados Unidos, Maddoff foi preso por fazer isto.

Mas no Brasil, a velha geração de jornalistas que estudou Jornalismo e não Contabilidade, sequer percebe a relação direta entre Maddoff e todos os nossos Ministros de Economia.

Isto mudou com Henrique Meirelles, a primeira vez que nossa dívida interna começou a diminuir.

Quem acha que recebe décimo terceiro e férias do patrão, não entende nada de Contabilidade. Décimo terceiro salário e férias, o crédito, são pagos com os produtos feitos pelo próprio trabalhador, o débito.

Assim sendo, décimo terceiro e férias são um engodo. É simplesmente uma postergação de dinheiro que os trabalhadores deveriam ter recebido em média seis meses antes, nos meses que produziram.

Permitir que os empresários retenham estes valores, para serem pagos somente 13 meses depois, está longe de ser uma conquista social, idem com férias. Férias significam ficar um mês sem trabalhar, não receber um salário 12 meses depois de ter trabalhado.

Novamente, para quem estudou Contabilidade, isto vem naturalmente, um reflexo, mas que permite você perceber uma série de engodos que intelectuais, ditos de esquerda, permitiram aos empresários tirar vantagens do proletariado.

Não há 13 meses no ano nem existe produção no mês de férias. O dinheiro tem que vir de algum lugar, algo que quem nunca estudou Contabilidade não aprende a enxergar.

Para saber porque o Brasil está atrasado coloque Debit and Credit no Google, e depois Débito e Crédito.

Peça para listar as imagens de ambos, não os sítios, e você perceberá que eles entendem mais de Contabilidade do que nós, faz parte do dia a dia deles, e ainda não faz parte do nosso.

Aprenda Contabilidade o mais rápido possível. Você deixará de ser enganado, como a maioria dos brasileiros o é, injustamente.

 

(Lido por 348 pessoas até agora)

UA-1184690-14