A Teoria da Acumulação do Capital

A teoria da acumulação do capital de Karl Marx, adotada por uma dezenas de outros economistas, afirma que capitalistas são motivados a acumularem capital sem cessar.

“Acumulação, acumulação. A função histórica da burguesia é acumular capital somente pelo prazer de acumular mais capital.”

Óbvio que essa teoria tem muito mais detalhes, como constante reinvestimento do lucro para aumentar o capital, constante aumento da produção, e assim por diante.

Só que essa previsão não se comprovou na prática.

Se Marx estivesse certo, hoje os donos do capital do mundo seriam os engenheiros têxteis.

Além do mais a indústria têxtil deteria todos os Bancos, a Petrobras, o Google.

E não teriam sido desbancadas por programadores com zero capital como Zuckerberg e Musk.

Só que essa hipótese equivocada se tornou muito útil para a Ciência Econômica em geral.

Lhe propiciou uma direção previsível, uma dinâmica constante, um instrumento de política econômica.

Bastava colocar uma cenoura na frente de um burguês, e ele iria na direção determinada pelos desenvolvimentistas.

Mas a teoria de acumulação de capital não é tão simples assim, uma reta que cresce para sempre.

Marx nunca poupou um centavo na vida, portanto não percebeu o óbvio.

Trabalhar cansa, acumular capital somente pelo prazer de acumular cansa muito mais.

Por isso nós burgueses poupamos somente o necessário.

O necessário para termos um colchão de segurança e um capital para uma aposentadoria digna.

Vejam o meu caso. Aos 52 anos já havia “acumulado” o suficiente, e passei a trabalhar meio período, desacumulando lentamente meu capital.

Esses fundos de pensão trilionários, estão hoje desacumulando com o envelhecimento da população.

A indústria brasileira está se desindustrializando porque suas ineficiências e prejuízos estão desacumulando seu capital.

Até falirem por desacumularem a totalidade do capital.

Se somarmos todo o capital total do Brasil, teremos algo em torno 28 trilhões.

Subtraindo a colossal dívida previdenciária e outras dívidas, estamos exatamente com zero capital, provando que Marx e os marxistas estavam errados.

Se somarmos o capital de todas as empresas brasileiras que quebraram desde 1859, quando Das Kapital foi escrito, o saldo é absurdamente negativo.

A pergunta que marxistas deveriam fazer é: por que o capital é tão difícil de ser mantido?

Em vez de gritar morte à burguesia e aos ricos do Brasil.

Compartilhe:
WhatsApp
Email
Facebook
Twitter
LinkedIn

Comentários

8 Responses

  1. bem colocado. por isso defendo uma direita e esquerda para o século XXI… em tempos de sustentabilidade e emergência climática, não dá pra ficar com a mentalidade fixa do século XIX.

    1. exatamente, Leocadio. O Professor, assim como a maioria dos marxistas de hoje, parte de um estudo/teoria de Marx, observada no século XIX, qdo a industrialização ainda era á vapor e carvão.
      Mesmo com a recente revolução tecnológica recente, muita coisa vem mudando no mundo e novas formas de trabalho e produção vem sendo desenvolvidas e outras decrescendo até o seu desaparecimento. Como vc bem escreveu, o que precisamos é INTELIGÊNCIA. Coisa que é negligenciada pela maioria de nossa população, seja da turma de cima, seja na turma de baixo…

  2. O problema é que esse artigo fica entre nós, quem de fato precisaria ter essa consciência acaba não tem a oportunidade de estuda-lo. Nosso grande desafio é disseminar assuntos dessa natureza PARA TODAS ESCOLAS.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Mais Recentes

Outros Assuntos

Outros Canais

Receba os artigos por e-mail
Leia Mais

Artigos Relacionados