Nosso Desastroso Sistema de Crédito

 

Praticamente todos os nossos setores são sazonais ou cíclicos.

Causados por variações de temperatura, meses de férias escolares, e bobagens populistas como décimo terceiro salário quando só existem 12 meses de produção.

Empresas se adequam para a produção básica mínima, e dependem de financiamento bancário para o excedente, como as vendas de Natal.

O problema do nosso sistema de crédito é tão sério quanto o da Previdência, mas nada disso é discutido, sequer sabido.

  1. Nossos Bancos não se preocupam mais com Análise de Crédito, até venderam a Serasa.
  2. A Esquerda brasileira nem se incomodou quando a Serasa foi vendida para uma multinacional, com o banco de dados mais precioso que temos.
  3. Nossos Bancos, na falta de Administradores Financeiros devido à extinção em 1946 das Escolas de Administração e Finanças, foram desenvolvidos por Engenheiros da Poli.
  4. Por isso centralizaram tudo e hoje na verdade temos é cinco grandes computadores rodando os algoritmos econométricos desenvolvidos por estes mesmos engenheiros.
  5. Acabamos com a figura do Gerente de Banco que tinha autonomia para abrir uma exceção.
  6. Destruímos os Demonstrativos Financeiros de todas as nossas empresas com o aplaudido Plano Real que achou que demonstrativos “corrigidos monetariamente” geravam inflação. Santa ignorância!
  7. Inviabilizamos empréstimos bancários pelo tamanho colossal da Dívida Interna endossada por todos os nossos Ministros da Fazenda.
  8. Sequer temos Cursos de Análise de Crédito no Brasil.
  9. Por isso temos um setor de Crédito e Cobrança que utiliza 200.000 pessoas para corrigir essa falta de análises prévias.
  10. Não temos 10.000 Bancos Pequenos e Comunitários, que conhecem a fundo seus municípios.
  11. Dependemos do crédito do BNDES, e suas alocações por critérios políticos.
  12. Emprestamos somente para quem prova que já tem o dinheiro, como no desconto de duplicatas. Um de nossos cinco bancos até se orgulha de ser um Banco Brasileiro de Descontos, Bra-desco.
  13. Não temos um sistema de recuperação de empresas com problemas de crédito. A Lei de Recuperação foi escrita por advogados e não por Especialistas em Finanças e Crédito Empresarial.

Tem muito mais, porque nem a FIESP, nem a FGV, nem a USP possuem grupos de Estudo em Administração Creditícia elaborando soluções para esse problema.

E aí tem gente que acha que a nossa economia irá crescer em 2018, e a direita vencerá (apertado) as eleições.

Alckmin, Bolsonaro, Doria, Serra não têm a menor noção das necessidades de crédito das empresas, só querem financiar consumidores, Keynesianos que todos seus assessores são.

 

(Lido por 1012 pessoas até agora)

UA-1184690-14