Pobre Paga Mais Imposto do Que Rico? II

 
Pobre Paga Mais do Que Rico, manchete em todos os jornais do Brasil.
Vejamos o estudo da Receita Federal.
Primeiro, esta tabela mostra o verdadeiro problema deste país.
Pobre é taxado em 41% pelo do Estado cuja função deveria distribuir a renda, e não arrecadá-la dos pobres.
Nossos pobres são 41% mais pobres do que deveriam porque nossos secretários e ministros da Fazenda gastam mais do que deveriam, e aí precisam criar impostos.
Sabemos que ricos pagam mais impostos porque ganham mais, mas mesmo proporcionalmente pagam mais, três pontos percentuais a mais, segundo esta tabela.
Portanto, nem a manchete que pobres pagam PROPORCIONALMENTE mais impostos é verdadeira.
Alguém quer corrigir as manchetes?

Compartilhe:
WhatsApp
Email
Facebook
Twitter
LinkedIn

Comentários

15 Responses

  1. Aliás, lendo o trabalho da Receita Federal, percebe-se uma falha ainda mais grave: Este quadro representa translação total da contribuição patronal para o INSS. Não está errada esta interpretação, é mera questão metodológica. Porém, ignorar esta informação prejudica a qualidade da crônica.

  2. é aquela história…
    assumindo que fulano come um frango inteiro e beltrano não come nenhum em determinado dia do ano 1998, podemos chegar a seguinte conclusão:
    – na média cada um comeu meio frango;
    – metade da amostra não ingeriu nenhuma caloria naquele dia de 1998.
    – o fato de não ter ingerido qualquer alimento em um dia de 1998 infere que em 2011 a situação permanece a mesma ou próxima dela?
    ou seja, é possível visualizar por vários ângulos determinados números.
    sempre fui admirador dos textos do Sr. Kanitz, mas essa série de “Pobre Paga Mais Imposto do Que Rico? II” me deixou com a pulga atrás da orelha em relação às metodologias empregadas…
    não quero criar polêmica, mas apenas fornecer um retorno/feed back a alguém que costumo ler atentamente há inúmeros anos.

    1. Quem não come frango não paga imposto.
      E a sociedade que precisamos é uma sociedade onde os Ricos em vez de comerem caviar, compram BMW pagando 100% de impostos, deixem de serem consumistas, e invistam em aumento de produção e geração de emprego.
      Mas se você rodolfo vai apontar que devido a isto estarão pagando menos impostos ( de consumo ) ficaremos mais pobres do que a China.

  3. O problema não está em quem paga mais o menos imposto.
    A diferença crucial é que o RICO tem condições financeiras de pagar mais ou menos imposto, já o pobre… coitado.

  4. Pobres, incluindo classe média 98 porcento da poulação.
    Ricos 1,5 porcento.Super ricos 0,5 porcento.
    Será que o governo, sobreviveria cobrando impostos só dos ricos?

  5. Kannitz,
    a metodologia da Receita me parece sem lógica real. Como a carga tributária brasileira é baseada em 50% no consumo e 27% na renda, me parece que o estudo carece de coerência.
    Vejam este gráfico, no link abaixo, um estudo de 2009 do DIEESE que mostra um sistema fiscal regressivo e mais injusto ainda:
    http://brasilfatosedados.wordpress.com/2011/06/30/carga-tributaria-post-a-ser-publicado-3/
    A distribuição fiscal brasileira pode ser vista aqui nestes outros gráficos, e que se mostra coerente com uma carga baseada no consumo, e não na renda e na propriedade:
    http://brasilfatosedados.wordpress.com/2011/06/30/carga-tributaria-post-a-ser-publicado-8/
    Demais dados sobre a carga tributária brasileira, em comparação com outros países e sua evolução desde 1947 pode ser analisada com seriedade aqui neste link também:
    http://brasilfatosedados.wordpress.com/
    Espero que os mais de 40 gráficos sobre a carga tributária brasileira, e sua história, ajudem a todos a entender e analisar esta questão com seriedade, e não com preconceitos e em defensa de interesses próprios.
    Abcs,
    Augusto de Carvalho

    1. Augusto,
      O Estudo do Dieese também é muito mais ideológico do que da Receita. Como você mesmo apontou, nossa carga tributária é baseada no consumo, e não na renda ganha, o que é correto. Taxa o consumismo, e beneficia a poupança. Quem poupa no Brasil e oferece esta poupaça para a sociedade, investindo em aumento da produção e gerando empregos, de fato é menos taxado.
      Isto que muitos queremos. Gostaria que você fosse um dêles. Taxar os ricos é transformar investimento em gastos públicos, e parece que é isto que você está defendendo.

  6. Srs,
    3% a mais é realmente pouca diferença.
    40% de carga tributária para quem ganha salário mínimo é um absurdo.
    Sem dúvida a carga tributária para assalariados é altíssima.
    Minha dúvida…
    Toda essa discussão começou com a afirmativa do Buffet, que foi uma “buffetada” (sic) no governo americano, de que ele pagava pouco imposto. No entanto, pelo que entendi, o contexto era sobre grandes fortunas e não como assalariado, coisa que ele não é.
    Pergunta: quais mecanismos poderiam ser usados para tributar mais seus ganhos como investidor e como dono de empresas sem haver risco de evasão fiscal ou por subterfúgios como o mercado negro de bens de luxo?
    Ainda neste contexto…
    Muitas empresas usam o recurso da PJ para pagar diretores e outros altos funcionários (altos ganhos), neste caso o imposto é menor também. correto?

  7. Eu acredito como todos aqui que a carga tributária é alta e penaliza a todos, é claro uns mais do que outros. Na minha opinião deveria haver uma política clara e transparente de diminuição de impostos nos alimentos, saúde, escola e telefonia…assim todos seriam beneficiados. No entanto para existir diminuição de receita, o governo deve ser além de mais eficiente, muito mas muito menos corrupto…e aí que mora o grande problema, pois o governo não deseja ser menos corrupto e os eleitores adoram e idolatram governos corruptos e populistas, tanto é que vivem votando neles e perpetuando os mesmos no poder…assim não evoluímos. Ou os eleitores e cidadões e suas instituições que o representam (como o Judiciário) saem do Jardim da Infância, crescem e endurecem o jogo, ou ficaremos sempre sendo o país da promessa onde uns poucos engolem quase todo o bolo.

  8. Tirando a parte analítica e filosófica.Um comentario a parte: Pobre não paga imposto.. não tem renda. Classe média.. paga imposto.. é retido na fonte…. rico que é rico não paga imposto… sonega e não acontece nada. Este é um problema.

  9. A manchete usando singulares (pobre; rico) realmente leva a um equívoco. De que o indivíduo tem sua renda mais dilapidada do que outro. A diferença de 3% entre o topo e a base também pode ser considerada falaciosa, pois há muito menos ricos (>30 SM) do pobres (<2 SM), o que faz com que o CONJUNTO DOS POBRES paguem mais do que o CONJUNTO DOS RICOS. E mais um outro aspecto: o estudo se declara uma análise SIMPLIFICADA, e constata, no processo de simplificação, de que o sistema tributário brasileiro é por demais complexo, com meandros que precisam ser ignorados para podermos entender. Isto faz com que os que tem menos poder de questionamento e de "burlamento" sejam mais taxados do que aqueles que tem este poder, de contratar "bons" contadores, admnistradores e advogados...

  10. Isso serve para os ricos que trabalham. Há quem conheça os meios de se ganhar dinheiro pagando menos imposto, normalmente via setor financeiro, não pelo setor produtivo.
    É como explicou o Warren Bufett, naquele artigo bombástico.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Mais Recentes

Outros Assuntos

Outros Canais

Receba os artigos por e-mail
Leia Mais

Artigos Relacionados