Capitalismo de Estado e Capitalismo Democrático

 

O livro Privataria Tucana, com seu sucesso estrondoso, mostra claramente como os brasileiros estão mal informados.

Vamos responder a pergunta do último post sobre este assunto:

Por que a Telebras tinha 83% das suas ações em poder do setor privado, se era uma empresa Estatal?

Se fazia parte do Capitalismo do Estado?

Vejamos.

O Socialismo Moderno, aquele do PSDB e algumas alas do PT, percebeu que o Socialismo de hoje precisa também de muito capital.

Capital para fazer estradas, linhas telefônicas, máquinas caras, etc.

Ao contrário do PCdoB, PCB, PSOL e MST que ainda acham que podemos criar uma nação eficiente com um Foice e um Martelo, que de fato custam pouco.

Por isto, o Socialismo Moderno virou Capitalismo de Estado.

Onde o Estado é o grande capitalista, onde é o Estado que controla e estimula a formação de Capital. O sonho de Karl Marx e Gramsci.

No Capitalismo de Estado, não existe a figura do Capitalista individual de Karl Marx, como manda o princípio Socialista.

Por isto, no caso da telefonia no Brasil, da Telesp e Telebras, o próprio consumidor de telefone precisava fornecer ao Estado o Capital necessário para levar toda a infraestrutura de cobre até a sua casa, para poder instalar um telefone.

Isto porque o Estado não gera Capital, todos os impostos arrecadados iam rapidamente para inflar salários públicos, e pouco dos impostos são investidos em infraestrutura, como é até hoje no Brasil.

O consumidor de um telefone precisava pagar R$ 10.000,00 por um “Plano de Expansão”.

Pagava inclusive antecipadamente, e ao longo de 3 anos a Telebras investia e levava a “linha” até a sua casa.

Só os ricos tinham R$ 10.000,00 para pagar antecipadamente por um telefone, e a verdade inconveniente que é escondida do povo brasileiro é que o Capitalismo de Estado foi o maior causador da Exclusão Social deste país por mais de 50 anos.

Somente 10 milhões de brasileiros tinham como pagar o capital necessário para ter uma linha telefônica, ter acesso ao Google, internet, ensino a distância, redes sociais, contatos, web pages etc.

O resto do Brasil era excluído porque no Capitalismo de Estado, o Estado não permite a figura do capitalista independente. Aquele que poderia lhe suprir a linha de telefone em troca de dividendos anuais.

Com a desestatização da telefonia, 200 milhões de brasileiros foram incluídos socialmente, via internet, ensino a distância, emails, redes sociais, porque com a introdução do Capitalismo Democrático, quem financia agora a “linha” de telefone são os pequenos acionistas destas empresas.

No Capitalismo Democrático existe a separação do Consumidor e do Capitalista.

No Capitalismo de Estado, como vimos, consumidor e capitalista eram a mesma pessoa.

Por isto, todo consumidor virava um acionista da Telebras, sem saber. (Recebiam uma “cautela”, só o nome dava para desconfiar, e todos venderam estas “cautelas” a preço de banana.)

No Capitalismo Democrático, o consumidor não paga R$ 10.000,00 adiantado, nem paga juros sobre este dinheiro se ele for tomado emprestado.

Recebe a linha telefônica sem pagar nada, zero, sem esperar 3 anos a fio.

Começa a trabalhar com mais produtividade imediatamente, começa a ser incluído, a ser mais produtivo desde o momento zero, e não depois de 3 anos, se a Telebras cumprisse o prazo de entrega, o que nunca ocorria.

O consumidor paga sim uma tarifa de telefone mais cara, porque agora inclui os dividendos dos Capitalistas que adiantaram o dinheiro.

Mas isto veremos, nem se tornaria problema.

Com a introdução de mais 200 milhões de consumidores, os custos fixos rateados sobre uma base maior e os ganhos de eficiência tornaram as tarifas mais baratas, mesmo com o adicional dos dividendos dos capitalistas.

O que aumentou foi o uso intensivo do telefone e celular, que mesmo assim é bem menor do que os juros não recebidos dos R$ 10.000,00 outrora pedidos.

Aliás, todos os R$ 100 bilhões investidos viraram pó. Muitos brasileiros ainda têm seus telefones nas suas Declarações de Bens de 1994, a R$ 4.000,00 cada, porque ter telefone era um enorme investimento. 

(Lido por 570 pessoas até agora)

11 Comments on Capitalismo de Estado e Capitalismo Democrático

  1. Quem sempre teve reserva de mercado foram as estatais, Petrobras, Correio, Banco do Brasil, Telebrás, Vale, Caixa Economica.
    Franco, o buraco é mais embaixo, tem muito que o capitalismo tem de errado, seja o capitalismo de estado e o democrático.
    Primeiro passo para você é optar pela transparencia social e responsabiliade pessoal. Coloque o seu sobrenome e email, sempre que criticar os outros,

  2. Erik,
    Você pode comprar 10.000 açoes da Telesp e ser o capitalista do seu celular e telefone fixo, Idem com Petrobras Vale Natura etc.
    Assim você anulará o efeito de pagar dividendos sobre um capital que você não dispunha, e achar errado que outros lhe ajudem a viver.

  3. “O consumidor paga sim uma tarifa de telefone mais cara, porque agora inclui os dividendos dos Capitalistas que adiantaram o dinheiro” =O deixe eu ver se entendi, eu devo então pagar ETERNAMENTE (em forma de tarifa)OS DIVIDENDOS (JUROS) dos R$ 10.000,00 que “os capitalistas’ ME ADIANTARAM?

  4. Franco said…
    A Telebras foi criada simplesmente porque os capitalistas a que voce se refere, quando se trata de INVESTIR competitivamente no BRASIL simplesmente NÃO o fazem a não ser que tenham RESERVA de mercado)o. OU o fazem COM dinheiro do BNDES ou seja, do governo.
    Quanto ao livro o que aconteceu hoje é história, são fatos e só não enxerga quem não quer ou não quer estudar.
    (favor deletar comentario anterior)

  5. A Telebras foi criada simplesmente porque os capitalistas que voce se refere, quand se trata de INVESTIR competitivamente no BRASIL simplesmente NÃO o fazem a não ser que tenham RESERVA de mercado. OU o fazem COM dinheiro do BNDES ou seja, do governo. Quanteceu é HISTORIA são FATOS e todo mundo sabe. Quanto a livro o que aconteceu hoje é história, são faão enxerga quem não quer ou não quer estudar.

  6. POR FAVOR MANDE URGENTE PARA A FOLHA , VEJA E ESTADAO SEU ARTIGO. E O MAIS IMPORTANTE, MANDE PARA O BISPO DA TV RECORD.

  7. Caro Kanitz, baseado em vários fatores, sejam de ordem pessoal ou profissional, despindo-se de ideias e ideologias, me questiono às vezes ou melhor quase sempre, onde esta o erro, em pensar demasiadamente, tentando mudar, lógico que toda mudança espera-se para melhorar algo ou alguma coisa. Agora com o devido respeito às nossas instituições sociais, políticas e monetárias, o Brasil certamente é o melhor país do mundo, para alguns “previlegiados”, que jazem em Brasília. Terra do nunca e onde tudo acontece, e nada se produz efetivamente. Pois o poder está na mão de povo, dos quais 90% não sabem como pensar, ou melhor na verdade “pensar cansa”.

  8. Não entendo porque você está tão incomodado com este livro. Tão incomodado que se utiliza de argumentos superficiais e parciais para denegri-lo. A impressão é de que você sequer leu o livro completamente.

Comente

Seu email nao sera publicado.




UA-1184690-14