Entenda o Que Acontece no Brasil

 

Tempo de leitura : 45 segundos

 

Em Harvard estudávamos pelo método de resolução de problemas. No máximo li uns 10 livros acadêmicos, um sendo “O Jogo do Controle Orçamentário”, The Game Of Budget Control.

Que infelizmente nem traduzido foi, mas me marcou com uma grande lição.

Toda teoria administrativa, todo sistema de controle e organização de uma instituição, com o tempo viram um “jogo” onde os incompetentes aprendem a manipular as regras.

Por isto os gurus de administração sempre saem com fórmulas novas, que enchem as livrarias de aeroporto, e que agora vou revelar o segredo.

A maioria são ideias velhas, mas revestidas de roupagem nova e com regras novas ainda não manipuladas.

É isto o que está ocorrendo no Brasil, seja na direita seja na esquerda.

Dilma e o PT estão se apegando às regras do Brasil, manipulando-as.

Presidentes de Sindicatos Patronais empresariais manipulam as regras para se elegerem eternamente, como Abram Szajman na Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo, e Paulo Skaf na FIESP.

Por isto, ensinava Harvard, os sistemas administrativos precisam ser mudados de tempos em tempos, porque a galera sempre aprende a manipular o sistema.

Acho que o livro recomendava uma reviravolta a cada cinco anos.

Nossas instituições estão totalmente tomadas por pessoas espertas que aprenderam as “regras”.

Como não temos uma cultura administrativa, muitos acham que a solução é tirar o PT, quando o que se deve fazer é mudar constantemente as regras.

O que para todos os vices, eu sei, vai parecer assustador, “um perigo”.

Será um perigo se estas novas regras forem regidas pelas mesmas moscas de sempre, e não por pessoas que estudaram administração, o mínimo que deveria ser exigido de um gestor.

Eduardo Cunha é um exemplo de sábio manipulador das regras, o PT atual e a esquerda brasileira também.

A disparidade de renda entre os funcionários públicos exercendo as mesmas funções é três vezes maior do que no capitalismo, onde seria extremamente contraproducente.

Eu tive colegas professores da USP que ganhavam três vezes mais porque usavam e lutavam por diversas artimanhas jurídicas e “equiparações”.

Países sem “inovação” em administração, nos métodos de controle e avaliação de tempos em tempos serão presas dos parasitas que aprenderam a manipular os resultados em vez de alcançá-los.

Por exemplo, as pedaladas fiscais.

Compartilhe:
WhatsApp
Email
Facebook
Twitter
LinkedIn

Comentários

5 Responses

  1. Perfeito! Agora sim, o senhor acertou em cheio! Mas senti a falta de uma frase: “Sempre em benefício próprio”.
    Sei que fica meio que sub-entendido, mas isso, sempre tem que ficar bem claro!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Mais Recentes

Outros Assuntos

Outros Canais

Receba os artigos por e-mail
Leia Mais

Artigos Relacionados

A Cultura do Desapego

Uns 20 anos atrás, o meu amigo e presidente da Alcoa, Alain Belda, me mostrava a fábrica no Maranhão. Inspecionando as instalações, Belda me apresenta

Artigo Completo »