Sociedades Que Geram Aproveitadores e Espertos

 

 

Leio muitos livros, mas poucos conseguiram me tirar o sono como The Philosophy of Artificial Life.

Pensei várias vezes escrever este artigo quando estava na Veja, mas me faltou coragem. 

O livro trata de uma nova ciência que provavelmente revolucionará a ociologia: Denomina-se Vida Virtual ou Vida Artificial.

Surgiu há menos de 15 anos quando se percebeu que vida nada mais é do que troca e armazenamento de informações.

Troca que poderia ser recriada eletronicamente no computador, em vez de quimicamente numa pipeta.

O DNA é somente um complicado sistema químico de troca de informação.

Nada nesta ciência é definitivo, mas uma das experiências mais aterradoras pelas suas possíveis repercussões foi o Projeto Terris que vou resumir.

Criaram uma bactéria virtual, um programa de 14 instruções, que usava energia do computador e se reproduzia a cada ciclo e sofria mutações aleatórias.

Encheram o computador com 1 bilhão destas bactérias e depois de 1 milhão de ciclos abriram o computador para ver como tudo evoluiu.

A bactéria original havia sido eliminada por outra mais forte como era de se esperar, mas surgiram também um monte de bichos estranhos.

Bactérias bem menores que a rigor não deveriam sobreviver, conseguiam sobreviver porque roubavam.

Roubavam informações genéticas, pirateavam energia, usavam os outros para se reproduzirem, enganavam, distorciam informações.

Enfim, eram o que nós conhecemos como aproveitadores, espertos e parasitas.

Parasitas do ponto de vista científico são definidos como pessoas que nada ou pouco produzem, vivem do trabalho e energia dos outros. Podem até ajudar o hospedeiro, devolvendo 20% da energia em algo útil, mas é bem diferente de seu amigo que também lhe ajuda em 20% mas não vive da sua comida, da sua casa, da sua inteligência. Estes são os primeiros a usaram o argumento biológico da simbiose, como sendo um benefício mútuo ter 20 bilhões de bactérias no seu intestino vivendo as suas custas. Falta quantificar a relação e perceber que os 20 bilhões ganham com isto muito mais do que você.

São os corpos moles, os corruptos, os Gersons, os que mamam nas tetas do governo, os que trabalham no governo sem fazer absolutamente nada, os puxa-sacos do seu chefe, os que colam nas provas, os que não fazem o trabalho de grupo e recebem a mesma nota que você.

Os cientistas fizeram esta experiência uma centena de vezes e em todas apareceram “parasitas” no sentido biológico do termo, algo pelo jeito inevitável, uma constante da vida.

Consolo para o Brasil.

Se você está enojado com a corrupção, ineficiência, aparelhamento do Estado, pessoas mamando nas tetas dos empreendedores e trabalhadores braçais brasileiros, fique tranquilo que isto é natural, faz parte da natureza.

Karl Marx viveu da mesada de sua mãe, da herança do seu pai, da herança do pai de seu amigo Engels, do capital dos investidores de seus dois jornais, e sequer publicou dois de seus grandes livros. O Grundrisse e o terceiro volume do Capital.  Mas contribuiu imensamente para a literatura econômica do mundo, deve ter sido o economista mais influente que o mundo teve, influenciou a economia, até hoje, de uns 15 países. 

Países que dão certo, segundo esta visão, não são os que têm gênios como Presidentes, PHds como Ministros, mas os que lutam incessantemente contra o surgimento inevitável de aproveitadores, espertos e enganadores.

Algo que não fazemos. Damos oportunidades para que todos possam administrar órgãos públicos sem o mínimo preparo, e todo mundo acha isto sensato. Por que dar uma “reserva de mercado” para quem se prepara, como fazemos com jornalistas, advogados e médicos? 

Aproveitadores, espertos e enganadores se movimentam sempre na direção do dinheiro e do poder.

Por isto tendem a migrar para a política, paras as finanças do governo, para as licitações que detém 40% do nosso PIB.

São os que bajulam os grandes políticos e empresários.

O grande erro do socialismo foi sonhar que eliminariam o grande parasita da época, os engenheiros que criaram aquelas máquinas de produtividade, e queriam ficar com a mais valia produzida, que com o tempo viraram a burguesia e os capitalistas. 

Não imaginaram, como a pesquisa científica mostra ser natural, simplesmente estariam criando um novo tipo de agente aproveitador, esperto e enganador. 

Em administração sabemos que com o tempo toda instituição começa a ter desejos próprios e não mais lutam pelas causas que a originaram.

Por isto somos contra cargos vitalícios, privilégios, organizações sem accountability, governança, auditoria e controle.

Seja no governo ou num departamento de uma grande empresa. Temos um termo para isto, empresas elefantes. 

Não é fácil combater aproveitadores, espertos e enganadores.

A única forma de combater aproveitadores, espertos e enganadores é tolher a fonte de energia que sugam dos outros.

Cortando as suas fontes, suas mamatas, obrigando-os a trabalharem, a serem criativos, a produzirem algo de valor para a sociedade, propiciando assim um merecido sustento.

Mas o resultado mais inquietante da ciência da Vida Virtual é a constatação de que as sociedades que dão certo não são as que estabelecem políticas econômicas ou reengenharias sociais coletivas, mas as que se concentram no combate aos enganadores sociais.

Somos atrasados não porque temos mais aproveitadores do que os outros, os condenados portugueses que foram trazidos para cá.

Somos atrasados porque não lutamos ferozmente contra os enganadores que temos.

O socialismo provou que criam enganadores tanto quanto o capitalismo, o liberalismo, o fascismo.

A tragédia do Século XX e XXI é que tantos lutaram simplesmente para trocar 6 por meia dúzia.  

Algo para se pensar.

(Lido por 188 pessoas até agora)

22 Comments on Sociedades Que Geram Aproveitadores e Espertos

  1. “Bactérias bem menores que a rigor não deveriam sobreviver, conseguiam sobreviver porque roubavam informações genéticas, pirateavam energia, usavam os outros para se reproduzirem, enganavam, distorciam informações”, muito legal essa experimento, porque mostra um pouco da nossa natureza e como a nossa sociedade funciona. Mas, mesmo para ser um “parasita”, tem que ser competente e saber fazer alguma coisa direito… Concordo que deveríamos criar mecanismos para colocar para trabalhar os parasitas (afinal, ninguém gosta pagar altos impostos, para ter serviços de péssima qualidade), mas como fazer isso, se a própria natureza não conseguiu?!

  2. “Bactérias bem menores que a rigor não deveriam sobreviver, conseguiam sobreviver porque roubavam informações genéticas, pirateavam energia, usavam os outros para se reproduzirem, enganavam, distorciam informações”, muito legal essa experimento, porque mostra um pouco da nossa natureza e como a nossa sociedade funciona. Mas, mesmo para ser um “parasita”, tem que ser competente e saber fazer alguma coisa direito… Concordo que deveríamos criar mecanismos para colocar para trabalhar os parasitas (afinal, ninguém gosta pagar altos impostos, para ter serviços de péssima qualidade), mas como fazer isso, se a própria natureza não conseguiu?! Será que não era o caso de deixar a “cigarra” aproveitar o verão, até que o inverno chegue…

  3. “Bactérias bem menores que a rigor não deveriam sobreviver, conseguiam sobreviver porque roubavam informações genéticas, pirateavam energia, usavam os outros para se reproduzirem, enganavam, distorciam informações”, muito legal essa experimento, porque mostra um pouco da nossa natureza e como a nossa sociedade funciona. Mas, mesmo para ser um “parasita”, tem que ser competente e saber fazer alguma coisa direito… Concordo que deveríamos criar mecanismos para colocar para trabalhar os parasitas (afinal, ninguém gosta pagar altos impostos, para ter serviços de péssima qualidade), mas como fazer isso, se a própria natureza não conseguiu?! Será que não é o caso de deixar a cigarra aproveitar o verão, até que o inverno chegue…

  4. Podemos ter tudo se agirmos desonestamente, mas é tão bom ter o necessário de modo digno, sem pisar nos outros, roubando-lhes pedaços de felicidades. infelismente e vergonhosamente venho sendo roubado nos meus direitos de herança neste imóvel usado como séde pela ong, aonde alias, a entidade foi recentemente multada pela sub-prefeitura de itaquera por não possuir alvará de funcionamento para o local (processo n: 2014-0224.198-0).

    Estou aguardando o término do inventário para poder entrar na justiça e fazer valer os meus direitos nesse imóvel. Através de mentiras e falsas promessas, o presidente da ONG UNIÃO BEM ESTAR, veio na época a minha casa em Mogi das Cruzes, em 2010, e aproveitando o meu abatimento e tristeza pelo falecimento de minha mãe, ele me propos que eu assina-se um documento em cartório autorizando a instalação de um telecentro comunitário da prefeitura juntamente com a séde de sua ong, prometendo que após 1 ano, ele tiraria tudo e o imóvel seria alugado para que pudesse gerar renda para ambas as familias, sendo que os demais herdeiros não seriam contrarios, pois possuem uma boa situação financeira na vida. Apesar dele ter me passado um valor em dinheiro como “AJUDA DE CORAÇÃO”, sendo que essa AJUDA na verdade tinha o intento dele tomar posse de tudo e ter total liberdade na ocupação do imóvel, sem eu reclamar, me contentando com essa “AJUDA DE CORAÇÃO” , mas como ela não representaria nada em vantagens para mim, fui contra e acabei recebendo varias ofensas da parte dele, e ficando claro que nesses anos todos (5 anos) que ele mora e usuflui do imóvel, ele vem obtendo imensas vantagens financeiras provenientes das duas enormes salas comerciais ocupadas pela ong alem da moradia nos fundos, sendo tudo parte de um plano desleal.

    Tudo isso foi um “GOLPE” da parte dele sendo que até hoje ele vem ocupando o imóvel de forma exclusiva, de onde gera renda para o sustento da sua familia em detrimento a minha, que tambem precisava usufluir do mesmo direito. Em 2012 eu fiz diversas denuncias a prefeitura de são paulo,(Secretária Municipal de Participação eParceria) conseguindo impedir a continuação do convênio de telecentro ( TELECENTRO UNIÃO BEM ESTAR), esse convênio foi recentemente fechado em definitivo por falhas no estatuto da ong. Recentemente tambem, fiz denuncia pelo funcionamento ilegal e clandestino da ONG UNIÃO BEM ESTAR sendo ela então multada pela Sub-Prefeitura de Itaquera (Processo n: 2014-0224.198-0).

    Infelismente o presidente dessa ONG UNIÃO BEM ESTAR, pessoa desonesta e aproveitadora, vem agindo como um “LADRÃO” de direitos pertencentes a outro herdeiro, pessoas assim acham que vão se dar bem na vida através de falcatruas e usam o nome de DEUS quando recebem algumas vantagens na vida, mas se esquecem que tudo é passageiro e a verdade das coisas prevalece sempre. ROBERTO SEIMARU LIMA

  5. Bem escrito, com bons argumentos. Pena que no fim meteu Deus na história.

  6. O artigo tem um ar criativo, tenta estabelecer analogias interessantes, porém, se baseia em observações míopes. Percebe-se que o autor não conhece a vida de Karl Marx. Ele foi um espertalhão e aproveitador como pessoa, e erigiu sua teoria econômica partindo de um filósofo grego antigo, Epicuro, cujas teses são absurdas, para dizer o mínimo. Só um filósofo antigo fraco e cheio de lacunas de pensamento poderia servir de sustentáculo ao marxismo. Leiam as teses de Epicuro e constatarão. “O socialismo provou que criam enganadores tanto quanto o capitalismo, o liberalismo, o fascismo” – é mentira. O autor também desconhece a história dos movimentos de esquerda e o que é o liberalismo. As catástrofes, exclusões e guerras que ocorreram sob o liberalismo não faziam parte do planejamento de seus estadistas e governantes. Foram fatalidades, eventos imprevistos, pois a contradição e a perplexidade estão na alma humana, que nenhum sistema pode resolver de fora para dentro. A esquerda, por sua vez, planeja as crueldades que no momento certo põe em prática. Seus representantes passam a vida dissimulando, pois a mendacidade neles se torna um automatismo quase invencível, é algo tétrico. Ou seja, o melhor caminho para entender o que realmente acontece é ler, estudar e continuar buscando (e, nesse esforço, amar a verdade e fiar-se também na intuição). Não se contente com os pressupostos do que é a esquerda e do que é o liberalismo, noções que circulam fragmentadas no discurso da mídia e dos formadores de opinião. No mais das vezes, esses representantes estão tão engolfados nos jogos de poder, que se tornaram incapazes de se distanciar dos assuntos e vê-los com alguma isenção, enxergando seu próprio papel neles. Nada dispensa a busca individual. Bom feriado a todos e que Deus nos proteja.

  7. Não achei informação sobre o “Projeto Terris”. Tem alguma referência?

  8. Caro Professor Kanitz, “O socialismo provou que criam enganadores tanto quanto o capitalismo, o liberalismo, o fascismo.” Acho esta equiparação muito infeliz. Primeiro que o socialismo não é um sistema, mas uma ideologia. O capitalismo sim é um sistema. Tem como fundamento a meritocracia, a liberdade e a livre iniciativa. O socialismo é a ideologia do parasitismo, do distribuir a riqueza dos outros para os mais espertos e que se dizem mais necessitados. Marx é o canalha que transformou seu parasitismo em ideologia para se justificar e de tantos mundo a fora, especialmente políticos e ditos intelectuais de esquerda. Isto também vale para professores, jornalistas e corporativistas em geral. O erro do socialismo foi ter existido, nunca produziu nada de útil para a sociedade. É o velho comunismo remodelado, confisca o lucro e não mais as propriedades e os meios de produção. Concordo que em todos os lugares temos aproveitadores mas no Brasil isto se transformou em política de governo.

  9. Meu caro, a igreja Católica foi a responsável pelo desenvolvimento ocidental, com base na ética e moral judaica cristã, na filosofia grega e no direito romano. O conhecimento foi mantido e transmitido graças as congregações religiosas católicas. Vieram para o Brasil colônia ensinar índios e pobres, não as cortes. A grade de ensino atual foi montada com base no pensamento de Antonio Gamsci e no modelo construtivista para implantar o socialismo no Brasil, coisa que o PT vem fazendo com perfeição e sem percebermos.

  10. As pessoas que assistem TV e Rádio sem pagar pelos serviços prestados pela TV e Rádio são o que na sua definição.

    Em vez de pagar pelos serviços, muitos preferem ter tudo de graça e assistir os anúncios, que pagam no fundo este “serviço”grátis.

  11. Realmente temos de lutar contra este “cancer” que destroi o país. Contudo, vejo que esta luta é solitária, pois uma centena de pessoas não consegue fazer absolutamente nada. Ainda prevalece a antiga receita quando o povo resolve protestar contra o estado: “vamos dar ao povo pão e circo” !!
    isto têm funcionado até hoje com todas as benesses que o estado distribui à sociedade, tais como auxílios sem a pessoa precisar trabalhar, leve leite, leve gás, etc….

  12. Antônio Carlos,

    “saber como foi montada a grade de ensino até hoje seguida em todas as nossas escolas e qual foi a entidade autora”
    Gostaria de saber mais sobre o tema.
    Até onde eu sabia a igreja católica fundamentou o sistema educacional ocidental. Durante a idade média, o “conhecimento” foi mantido pela igreja, que o conservou e o manipulou, havendo uma separação progressiva na idade moderna e contemporânea. Mais detalhado que isso, não sei.
    Você teria alguma referência?

  13. Prezado vando,

    você perguntou : “Teoricamente, mesmo prestando serviço para uma entidade, o mesmo está sendo parasita. Ou não?”

    Resposta: Não

    Veja

    “Se este cidadão é contratado para realizar determinada tarefa e a faz bem, este está sendo parasita da entidade, ao mesmo tempo que a entidade está “parasitando” pela mais-valia do próprio “parasita”.”

    Recomendo que você estude Biologia, mais especificamente “relações
    ecológicas”.

    -> Isso não é parasitismo. Parasitismo pressupõe benefício unilateral. A empresa troca o serviço do funcionário pelo salário. Ambos se beneficiam. Algo mais para protocooperação.

    Referência: http://pt.wikipedia.org/wiki/Rela%C3%A7%C3%A3o_ecol%C3%B3gica

  14. Sensacional! Sensacional! Fiquei com receio da conclusão quando li “O único sistema político que combate o parasitismo social é o Liberalismo, que prega um Estado enxuto e eficiente sem parasitas e um monte de funcionários que fazem praticamente nada”, pois tenho medo do estado se estatizar (via PPPs, por exemplo). Mas a educação eficiente, me salvou!

  15. E a pergunta que não quer calar, qual a solução para tudo isso?

  16. Bem lembrado o assunto da publicidade. As agências – todas – se tornaram em nossas inimigas, pois nos vendem mentiras com uma eficiência perigosa e predatória e os profissionais mais competentes são laureados por sua eficiência e criatividade. Estamos fritos, cada dia mais.

  17. Finalmente, um artigo que – realmente – “manda o povo pensar.” Parabéns. Nos resta constatar, com suprema tristeza, que não lutaremos contra os parasitas que temos porque a principal fonte deles é a religião e esta é sagrada. Portanto, o assunto é tabu e quem o sinaliza é tido como inimigo social. Convido-o a procurar saber como foi montada a grade de ensino até hoje seguida em todas as nossas escolas e qual foi a entidade autora.

  18. Na verdade, o sistema como um todo é um parasitismo. Pegue, por exemplo, o sistema de marketing praticado atualmente. As empresas buscam até técnicas neurológicas para conseguir fazer com que as pessoas comprem seus produtos/serviços. Exemplo disso é o neuromarketing. Utiliza-se de técnicas capazes de atingir o inconsciente dos consumidores para “empurrar” produtos nas pessoas. De certa forma, isso nada mais é do que o parasitismo da organizações sobre o consumidor. Por outro lado, infelizmente, sendo bem realista, cada cidadão precisa conseguir o sustento de si e sua família. Teoricamente, mesmo prestando serviço para uma entidade, o mesmo está sendo parasita. Ou não? Se este cidadão é contratado para realizar determinada tarefa e a faz bem, este está sendo parasita da entidade, ao mesmo tempo que a entidade está “parasitando” pela mais-valia do próprio “parasita”. Em função disso acredito que o parasitismo é parte integrante do sistema de forma inerente, inseparável, etc.

  19. Concordo com a ideia de que o parasitismo social ameaça sufocar os setores produtivos. Não lembro que economista observou que uma das razões para os Milagres Econômicos dos países derrotados na II Guerra foi o fato de que certos grupos que dominavam esses países tiveram quebrado o domínio que tinham sobre seus Estados e suas economias, o que permitiu que certos entraves à atividade produtiva fossem eliminados. O que eu me pergunto é como conciliar a ação do Estado, de que mesmo países que combatem duramente o parasitismo social-sobre isso, um livro interessante é Mr. Lang e o Problema Vital do Brasil, de Monteiro Lobato-, acham bom lançar mão de vez em quando, o que, por sua vez, dá origem a novas distorções e abusos (veja, por exemplo, o poder dos rizicultores japoneses, que barram, há décadas, a importação de arroz estrangeiro- muito mais barato- sob as desculpas de defender a segurança alimentar do país e a cultura tradicional ligada ao plantio do arroz). Desde que o Império começou a tratar da iluminação pública da Corte, passando pelos investimentos industriais e de infraestrutura do Getulismo e do Regime Militar, temos usado o Estado para realizar certas tarefas (se não me engano, no Governo Castello Branco o Estado não conseguiu investidores para a telefonia e tomou a seu cargo tomar conta dela e no Governo Médici o mesmo aconteceu a indústria Petroquímica). Quem deve substituí-lo? Em quê deve ser ele substituído?
    Em uma empresa, os diretores e, em última instância, os acionistas resolvem a questão de acordo com seus interesses, que, espera-se (e para tal, são criados incentivos e punições), estão alinhados com os da empresa. No Brasil, os acionistas somos nós e não só não chegaram a um consenso, eles também ignoram a questão. Realmente, algo para se pensar!

Comments are closed.

UA-1184690-14