O Custo das Nossas Reservas

Leiam, e tentem de imediato achar três erros primários, que invalidam os cálculos feitos.

O debate sobre o custo de nossas reservas internacionais é um interessante exemplo da visão da Economia Administrativa.

Acadêmicos acusaram o então Presidente Henrique Meirelles de desperdiçar 45 bilhões ao ano, valor superior ao total de investimentos públicos daquele.

Foi um dado que visava derrubar o Presidente do BC mais longevo deste país.

Acusação por sinal gravíssima que mereceria imediata demissão do culpado e investigação pelo Ministério Público.

Leiam, e tentem de imediato achar três erros primários de economia, que invalidam a manchete abaixo.

Reservas externas custam R$ 45 bilhões ao País.

A manutenção das reservas internacionais superiores a US$ 280 bilhões custa ao contribuinte brasileiro cerca de R$ 45 bilhões ao ano (o equivalente a 1,5% do Produto Interno Bruto), segundo estimativas de economistas.

O valor supera o total de investimentos públicos previstos para 2010.

As reservas custam caro porque o BC aplica a maior parte dos recursos em títulos públicos de países desenvolvidos.

A taxa básica brasileira está em 10,75% ao ano.

A diferença entre o juro externo e interno é o custo das reservas.

Pare para pensar antes do continuar.

Erro Número 1. O governo recebe impostos sobre estes 10,75%, entre 15 a 38%. Impostos não são custos para o governo, mas sim receita. Portanto é 8% e não 10%.

Erro Número 2. Juro Nominal não é o juro real.

Por isto, Economistas Administrativos usam para os seus cálculos o Juro Real, que como o nome indica, é o verdadeiro juro.

O juro real hoje, depois do IR, é mais próximo de 3% do que de 10,75%. Ou seja, o custo seria 1/3 do noticiado, os 15 bilhões. 

Erro Número 3. Esqueceram de incluir o custo de não ter reservas de R$ 280 bilhões.

O custo que teríamos com a brutal recessão dos Estados Unidos e Europa, e que essas reservas nos permitiram evitar.

Se a crise tivesse a mesma intensidade no Brasil, o custo seria na casa dos 100 bilhões, em incentivos , quantitative easing, etc.

Nos Estados Unidos já está em 3 trilhões, por baixo o custo desta crise.

Na Crise de 1998, quando não tínhamos estas reservas acumuladas por Meirelles, só o empréstimo do FMI foi de 40 bilhões, e de dólares.

Compartilhe:
WhatsApp
Email
Facebook
Twitter
LinkedIn

Comentários

12 Responses

  1. Ainda esqueceram de mencionar o custo de se gastar essas reservas. A inflação provocada pelo eventual uso desse dinheiro na economia pressionaria a taxa de juros pra cima, transformando a reserva em mais juros a serem pagos no futuro.
    Jornalistas geralmente não possuem conhecimento técnico sobre o que escrevem. Simplesmente dizem o que pensam sobre assuntos que não dominam, motivados por interesses políticos seus ou dos jornais que os pagam. Não existe imprensa imparcial no Brasil, se é que existe em algum lugar do mundo, porque não existe ser humano imparcial.

  2. Amém, é o que dá termos uma presidenta com diploma de Economia.
    Não é atoa que bricam que o primeiro economista foi Cabral.
    Quando saiu não sabia aonde estava, quando chegou não sabia aonde estava e tudo com dinheiro público.

  3. Particularmente, avalio que a saída de Meirelles aponta para uma política de juros SELIC menores e mais ousados. Em outras palavras, indica o começo de um enfrentamento aos banqueiros.

  4. O custo das reservas é alto pois as reservas são altas.
    As reservas são altas pois foram acumuladas para segurar o câmbio.
    O Cãmbio valorizava pois o pais recebia muitos investimentos.
    E os investidores investiam no brazil pois ele tinha uma boa reserva de dólares. Assim como é na China.
    O investidor converte o dinheiro em uma moeda e ogoverno converte parte dessa moeda na oeda do investidor. É um acordo de cavalheiros que parece atrair os investidores.
    Isso faz o brasil crescer. Todo empresário que sem cliente e sem investidor não há empresa que cresça.
    Mas os sindicalistas não tem essa idéia. E deixa a nossa presidente – que só para lembrar não tem feminino – começar a brincar com os sólidos fundamentos econômicos construído ao longo de quase 2 décadas e vai ver ignorância e invesimento não cabem dentro da mesma cabeça.

  5. A saída do Meirelles não tem a ver com custo de reservas.
    A propósito, o elevado custo das reservas coloca frente-a-frente, competitivamente no mercado de títulos, o Banco Central e o Tesouro Nacional, único emissor de títulos brasileiros. Esta matemática de custos exige maior elaboração do que é comentado pela mídia.
    Qual é o volume ótimo de reservas internacionais? Qual a composição das reservas? É necessário ter em sua maioria dólares dos EUA? São questões mais amplas sobre as reservas internacionais.

  6. Tudo o que tiver que ser feito deverá ser feito de maneira transparente e gradual. Qualquer rompimento abrupto com a situação vigente causa pânico e é prejudicial a ordem existente. Parar de estocar dolares no tesouro americano é uma medida correta, principalmente quando isso esta sendo feito a custa de empréstimos. A economia Americano tem deficit comercial, o governo Americano faz emissão de moeda sem se preocupar com a desvalorização do dólar. Os governos poderiam pensar em criar uma moeda mundial com base nos valores de um conjunto de comodites.

  7. Professor Kanitz… por + “elementar”…,para o “povão” (an)(alfa)(beto)…realmente o que conta… é na hora de pagar/receber “contas”… acima/abaixo,dentro/fora, visíveis/invisíveis…presentes/passadas…???
    Dona Lya Luft …em seu “Ganhos e Perdas”… só fez texto… e muita gente entendeu “as contas”…KKKK…
    Será que …posição/ponto de observação/níveis de acesso/natureza de papéis…coisas assim…podem ajudar… compreender cenários/contextos…etc…??? Pois quando os impostos levam o lazer de qualidade/alegria/paz…daqueles que ainda querem para si+seus+outros com seus…paz/alegria/lazer de qualidade…pagos com o próprio trabalho/ofício/negócio/serviço…parece que as “contas” ficam mais “complexas” é assim ???
    Boa tarde !

  8. Não penso tenha saido por esse motivo; 15 bilhões?
    Tava assistindo o Palmeiras tava ganhando levou o empate no fim do jogo, primeiro tempo.A nossa economia tá estabilizada, sem nenhuma surpresa de última hora e taxas de
    juros internas a níveis civilizadas. Caso consiga fazer isso, o nosso
    Brasil terá muitos ganhos, a nossa economia terá muito mais progresso .
    Voltou o jogo…2 tempo…

  9. Concordo que as reservas externas são fundamentais e o custo líquido de 15 bilhões é baixo. Mas será que não deveríamos considerar o fato de a inflação americana ser maior do que o juros pago pelo FED? Assim se a inflação americana for de 2% ao ano e a taxa de juros paga para as nossas reservas for de 0,25% ao ano, será que não estaremos perdendo dinheiro através do juros negativo?

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Mais Recentes

Outros Assuntos

Outros Canais

Receba os artigos por e-mail
Leia Mais

Artigos Relacionados