Brasil – 40 Anos de Estagnação

Lendo um estudo do economista Claudio González, ele chama atenção que nesses últimos 40 anos, o Brasil cresceu somente 0,7% per capita por ano.

Isso mesmo, um fracasso, desumano com relação à pobreza que todos esses governos pretendiam combater.

Fomos enganados pela estatística de crescimento do PIB sem levar em conta o crescimento da população.

O PIB cresceu nesses anos uma média de 3,5% ao ano.

Mas nossa população cresceu de 120 para 210 milhões de pessoas nesse período, 75% de crescimento.

Crescemos porque tínhamos mais pessoas trabalhando, não por causa de “políticas econômicas” bem-sucedidas.

Algo que venho alertando há décadas.

Colocado de outra forma, nossa produtividade per capita cresceu somente 0,7% ao ano por nada menos que 40 anos.

Uma vergonha!

Tivemos 40 anos de “políticas econômicas desenvolvimentistas”, que obviamente fracassaram.

Nossos mais famosos desenvolvimentistas como Celso Furtado, José Serra, Bresser Pereira, Nelson Barbosa, Luiz Gonzaga Belluzzo, Maria da Conceição Tavares, Luciano Coutinho todos discípulos de Gunnar Myrdal e Raúl Prebisch provavelmente eram idealistas e bem-intencionados.

Gostaria de saber como eles se sentem hoje, diante da triste realidade.

O Desenvolvimentismo nos custou trilhões em subsídios, estatais, investimentos do Estado, empréstimos do BNDES que nunca foram pagos, Universidade para Todos com suas inadimplências, com esse resultado pífio.

Não consigo entender como tantos jornalistas, professores, ricos, pobres e classe média irão eleger mais uma vez um governo “desenvolvimentista”, nos condenando a mais 40 anos do mesmo.

Compartilhe:
WhatsApp
Email
Facebook
Twitter
LinkedIn

Comentários

14 Responses

  1. …”Não consigo entender como tantos jornalistas, professores, ricos, pobres e classe média irão eleger mais uma vez um governo “desenvolvimentista”, nos condenando a mais 40 anos do mesmo.”

    É simples de entender, mestre.
    Deve-se avaliar a questão entre serem burros ou mal intencionados. Se não são a primeira hipótese inescapavelmente são a segunda.
    E pasmem, como o são…

  2. Até durante o regime militar, que os vermelhos chamam erroneamente de extrema direita, a economia foi estatizante! E esses filhotes do tio Marx continuam acusando o capitalismo como vilão.

  3. Mais um a dar razão para Ciro Gomes!
    50 anos de Desenvolvimentismo (não esse mentiroso que o prof. Kanitz está erroneamente falando), o Brasil cresceu acima de 6%.
    Nos últimos 40 anos, de Neoliberalismo e Privatização (doação), o país estagnou. Teve um voo de galinha durante a pujança das commodities de 2002 a 2009, mas de lá pra cá, voltou ao receituário que nos levou novamente à Estagnação, mais Neoliberalismo, mais privatização (Doação) e o crescimento neste período não chegou ao 1%. Os últimos 5 anos (Temer + Bolsonaro) estão aí para provar como a política Neoliberal só faz é andar para trás, Tudo Piorou!!!

    O pai Ciro Gomes acertou de novo…

  4. “A ignorância é o pior mal”.Eis a razão destas escolhas destes ladrões e incompetentes mal caráter que não tem nenhum compromisso com a nação e o povo brasileiro. Mas a luz no final do túnel com este novo governo. Basta olhar as reformas feitas os contratos assinados, o lucro das estatais e o compromisso com o povo e a nação brasileira.

  5. Infelizmente, prof. Kanitz, boa parte das pessoas não têm a menor ideia sobre o que o Sr. escreveu. Mais ainda: demonstram total incapacidade assimilar. Sim, a somatória dos 40 anos é trágica mas, infelizmente, todos os desatinos e acertos desse período não são identificados por grande parte do eleitorado (não só aqui!). Como disse o deputado João Calmon, “se no fim quem decide é o povo, vamos educar o povo”. Não o fizemos.
    Abraço!

  6. A Zema Santos resumiu tudo: Educação. A Educação liberta. Com Educação, a pessoa que já tem acesso à informação, consegue entender a informação, analisá-la e formar opinião. E daí reagir. É uma questão de cidadania. Mas só isso não basta, né? Os nossos dirigentes têm que ter vontade política para fazer as políticas públicas. E o povo também tem que sair da inação, do comodismo, e fiscalizar, cobrar, votar…

  7. Por enquanto, com voto OBRIGATÓRIO, o povo não decide nada !!!! Temos que acabar com este cancer que está matando o Brasil.
    Quando o voto deixar de ser obrigatório e mudarmos as regras eleitorais, ( como já escrevi aqui ) aí sim vamos colocar no comando da Nação gente honesta e competente.

  8. Idolatria estatista é um bom sinônimo para “desenvolvimentismo”.

    É por conta dessa religião estatista que estamos patinando na lama do subdesenvolvimento.

  9. É uma forma de apresentar um resultado e uma conclusão. A outra poderia ser, cresceu 0,70% o PIB per Capita apesar de alto crescimento demográfico da população com baixa instrução e desorganização social.

  10. É complicado cobrar aumento da produtividade se até hoje graduandos de administração ainda estudam coisas da década de 70-80. Grade Curricular igual a decada de 90.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Mais Recentes

Outros Assuntos

Outros Canais

Receba os artigos por e-mail
Leia Mais

Artigos Relacionados

Só Existem Duas Classes?

É difícil entender por que um número de professores universitários ainda acredita que o mundo é composto de somente duas classes definidas pelas suas relações

Artigo Completo »

The Hubris Of Michael Sandel 

In “Tiranny Of Meritocracy” Michael Sandel cleverly omits the discussion on whether Tenure is philosophically moral. Sandel is Tenured by merit. Should Sandel teach a brilliant

Artigo Completo »