Uma Sugestão ao Auxílio Emergencial

Quando o governo distribuiu os 200 bilhões de benefícios do auxílio emergencial, 45% dos R$ 600,00 por pessoa volta imediatamente como impostos de R$ 270,00.

O que significa que o custo para o governo é na realidade de R$ 330,00 e não R$ 600,00 por beneficiado.

Preciso repetir? Não custa 200 bilhões.

Minha sugestão, como administrador, é que seja debitado como despesa da União o valor líquido, e assim impactaria menos o teto dos gastos.

Mas o que estão fazendo é contabilizar os 90 bilhões de impostos como Receita da União, Receita “adicional”, que os políticos acham que é para se gastar.

Minha solução seria colocar os impostos do auxílio emergencial pelo líquido, o que aliviaria o teto dos gastos, em vez de aumentá-los colocando-os como receitas de impostos.

(Lido por 1009 pessoas até agora)

8 Comments on Uma Sugestão ao Auxílio Emergencial

  1. Infelizmente neste país atos e fatos dos governos na maioria das vezes são mostrados ao povo de maneira deturpada, para que depois possam se justificar, pelo bem ou pelo mal,como este que estamos vivenciando sem nada podermos fazer para mudar o rumo da solução.

  2. … depois desta Sugestão, temos de exigir a privatização do Ministério da economia.
    Parabéns Professor.

  3. Prof. Kanitz tenho pensado muito em seus temas e vejo com extrema preocupação o futuro, pois as atividades pensantes que fizeram o homem chegar a lua estão desaparecendo, visto que aplicativos em matemática e outros são criados a todo tempo, e logo a máquina tomará as decisões por nós. Esta geração não pensa ou pensa muito pouco, mas não o suficiente para entender, pois a qualidade do ensino em vez de melhorar exigindo o máximo prefere marcar a régua por baixo em qualidade muito além do mínimo necessário.

  4. Parabéns, professor. Muito obrigado.
    Seu texto mostra o valor dos “detalhes” nessa montanha de dinheiro público.
    Detalhes, pequenos detalhes . . .
    Saudações.

  5. Parabéns Professor, no lugar dos 600,00 do auxílio faz de 300,00 e vai matar a fome e o desespero de muitos brasileiros. Não tenho dúvidas que vai acontecer e suas brilhantes ideias só ajuda esse belo País

  6. Vamos falar daquela palavra que ficou famosa nos anos 80 e 90 : Paradigma…O que vc. falou é muito simples, é básico, tal como a conta do português no balcão da venda e com o lápiz na orelha. Mas infelizmente, muitos técnicos do governo não pensam assim, e os marketeiros principalmente, que querem hiperdimencionar a coisa a fim de mais valoriza-la. Espero que a sua, me desculpe a sinceridade, equação de balcao de venda, dê certo. Não é por que vc. é o Stephen Kanitz que tem obrigação de apresentar um novo teorema econômico para essa situação….Parabéns, e pra que querer reinventar a roda, não é mesmo ?! acho que vc não precisa e nem está mais com “saco” para isso.

Comente

Seu email nao sera publicado.




UA-1184690-14