Entenda o Que é Este “Tripé Econômico”

 

Marina e Aécio têm prometido manter algo que a imprensa chama o “tripé econômico”.

São três variáveis econômicas que, segundo o meme, definem uma política econômica sadia e sustentável.

Eu aprendi a lidar com 50 variáveis ao mesmo tempo, e não três, e sempre me preocupava se não haveria uma 51ª nova, que pudesse ser a causa do problema.

E isto no nível de uma empresa. Imagine quantas variáveis soltas possui uma economia.

Adoraria se me convencessem que três é o bastante, eu teria que estudar bem menos.

Suspeito que tenha a ver com o máximo de variáveis que podem ser ilustradas num “Paper” acadêmico com um gráfico no máximo tridimensional.

O tripé seria

1. Metas de inflação,

2. Câmbio flutuante, ou seja, jamais fixo, e

3. Banco Central independente, juros flutuantes, mas com superavit.

Por que justamente estas três variáveis talvez no fundo quatro?

Por que um Banco Central independente do resto do governo, ingovernável portanto?

Por que duas variáveis são flutuantes e não previsíveis, e somente uma confiável?

Veja meu artigo onde sugiro sempre desconfiar da agenda oculta do entrevistado especialmente se o almoço é pago.

1. Será que este tripé não seria composto pelas variáveis ótimas que um grupo específico de “agentes econômicos” adora, mas não necessariamente boas para os demais?

2. Será que a Indústria não teria três variáveis bem diferentes que gostaria que fossem vigiadas e estabelecidas pelo Estado, com outras metas relativamente confiáveis dentro de um limite?

3. E será que o Comércio não teria outras três?

4. E para os Exportadores talvez fossem quatro, e em vez de câmbio flutuante gostariam justamente de Metas de Câmbio fixas, justamente o contrário, para ter o mínimo de previsibilidade nas suas exportações?

Três exportadoras quebraram em 2008 justamente porque o tripé era câmbio flutuante e não havia justamente Metas de Câmbio pré estabelecidas.

5. Será que no setor de Serviços, uma miscelânea que dá dó, não seriam cinco ou 25 variáveis desejadas?

E tem mais.

6. Por que a Indústria não luta pelo Ministério da Indústria e Comércio Independente, para não ter que conversar com mais ninguém no governo?

7. Por que os “agentes econômicos” da Agricultura não lutam pelo Ministério da Agricultura independente, e aí não teriam mais que conversar com senadores, deputados, funcionários públicos, e iriam direto conversar com seus colegas de sempre?

8. Por que alguém lutaria por um Banco Central independente, o que significa no fundo um Banco imprevisível, descolado do restante da política governamental?

A lavagem cerebral que nossos jornalistas econômicos realizam a favor deste único grupo é assustadora.

A lavagem cerebral que este grupo realizou em cima do Aécio é assustadora.

A lavagem cerebral que já fizeram na coitada da Marina que de tão pura jamais imaginaria que um assessor dileto, tão “Paz e Amor” como ela, teria uma agenda oculta que permitiria a seus alunos se tornarem milionários antes dos 30 anos.

Bom, não posso revelar quem são estes “agentes econômicos” específicos e setor representam.

Mas vocês podem tentar adivinhar.

Doarei 1000 Satochis para o primeiro que acertar.

Que Deus abençoe o tripé.

 

(Lido por 15811 pessoas até agora)

UA-1184690-14