Entenda o Que é Este “Tripé Econômico”

 

Marina e Aécio têm prometido manter algo que a imprensa chama o “tripé econômico”.

São três variáveis econômicas que, segundo o meme, definem uma política econômica sadia e sustentável.

Eu aprendi a lidar com 50 variáveis ao mesmo tempo, e não três, e sempre me preocupava se não haveria uma 51ª nova, que pudesse ser a causa do problema.

E isto no nível de uma empresa. Imagine quantas variáveis soltas possui uma economia.

Adoraria se me convencessem que três é o bastante, eu teria que estudar bem menos.

Suspeito que tenha a ver com o máximo de variáveis que podem ser ilustradas num “Paper” acadêmico com um gráfico no máximo tridimensional.

O tripé seria

1. Metas de inflação,

2. Câmbio flutuante, ou seja, jamais fixo, e

3. Banco Central independente, juros flutuantes, mas com superavit.

Por que justamente estas três variáveis talvez no fundo quatro?

Por que um Banco Central independente do resto do governo, ingovernável portanto?

Por que duas variáveis são flutuantes e não previsíveis, e somente uma confiável?

Veja meu artigo onde sugiro sempre desconfiar da agenda oculta do entrevistado especialmente se o almoço é pago.

1. Será que este tripé não seria composto pelas variáveis ótimas que um grupo específico de “agentes econômicos” adora, mas não necessariamente boas para os demais?

2. Será que a Indústria não teria três variáveis bem diferentes que gostaria que fossem vigiadas e estabelecidas pelo Estado, com outras metas relativamente confiáveis dentro de um limite?

3. E será que o Comércio não teria outras três?

4. E para os Exportadores talvez fossem quatro, e em vez de câmbio flutuante gostariam justamente de Metas de Câmbio fixas, justamente o contrário, para ter o mínimo de previsibilidade nas suas exportações?

Três exportadoras quebraram em 2008 justamente porque o tripé era câmbio flutuante e não havia justamente Metas de Câmbio pré estabelecidas.

5. Será que no setor de Serviços, uma miscelânea que dá dó, não seriam cinco ou 25 variáveis desejadas?

E tem mais.

6. Por que a Indústria não luta pelo Ministério da Indústria e Comércio Independente, para não ter que conversar com mais ninguém no governo?

7. Por que os “agentes econômicos” da Agricultura não lutam pelo Ministério da Agricultura independente, e aí não teriam mais que conversar com senadores, deputados, funcionários públicos, e iriam direto conversar com seus colegas de sempre?

8. Por que alguém lutaria por um Banco Central independente, o que significa no fundo um Banco imprevisível, descolado do restante da política governamental?

A lavagem cerebral que nossos jornalistas econômicos realizam a favor deste único grupo é assustadora.

A lavagem cerebral que este grupo realizou em cima do Aécio é assustadora.

A lavagem cerebral que já fizeram na coitada da Marina que de tão pura jamais imaginaria que um assessor dileto, tão “Paz e Amor” como ela, teria uma agenda oculta que permitiria a seus alunos se tornarem milionários antes dos 30 anos.

Bom, não posso revelar quem são estes “agentes econômicos” específicos e setor representam.

Mas vocês podem tentar adivinhar.

Doarei 1000 Satochis para o primeiro que acertar.

Que Deus abençoe o tripé.

 

(Lido por 26097 pessoas até agora)

20 Comments on Entenda o Que é Este “Tripé Econômico”

  1. Enfim o tempo passou e foi mostrado que o humilde Marcio estava certo em suas previsões sobre o que aconteceria, muito bem embasadas, apesar que o articulista achar que só ele aprendeu a pensar.

    Mas pra quê aprender com a “história”, né. Basta confiar sempre nas nossas convicções. A realidade é mero incoveniente.

  2. “Por que duas variáveis são flutuantes e não previsíveis, e somente uma confiável?”
    Ahn… Hum… talvez porque se não fossem flutuantes e previsíveis, deixariam de ser variáveis para serem constantes?

  3. O mundo está bagunçado não é pelos leigos e sim pelos sábios! Eu gostaria de saber dos economistas uma coisa: porque quando uma empresa está falindo vocês culpa os trabalhadores e não o empresario? O trabalhador é uma ferramenta da empresa, a primeira coisa que acontece é a demissão em massa, o facão corta geral é isso mesmo? como sociólogo eu vejo as vaidades dos empresários e de seus familiares, quando não é pra gastar, eles gastam com carros de valores altos e viagens ao exterior, consomem produtos de altos valores, como pagar 25 mil reais numa bolsa ou mais e porque o trabalhador é culpado? Ao meu ver, o trabalhador é uma ferramenta da empresa, quando eu tenho que soltar um parafuso e não ter a chave, como vou realizar isso? Não me vem com isso que todos vem dizendo que o cabeça da empresa estudou para ser cabeça, porque para mim o trabalhador é o pé e a cabeça vai aonde o pé leva ela, sem o pé a cabeça não sai do lugar. por favor, sem essa coisa de sabe tudo, disso eu já estou cansado de ouvir e ver os sábios afundando o mundo!

  4. As ideias estão ai Kanitz, não precisa ter carinha e nomezinho para te satisfazer. O que escrevi foi objetivo.

  5. Mr. Boo, com toda a sua formação você ainda teme assumir suas ideias, se escondendo atrás de um codinome, sem foto. Zero credibilidade.

  6. Sr Kanitz, tenha humildade e estude economia ao invés de cagar regras. Sou engenheiro pelo ITA, fiz MBA e mestrado em economia e discordo completamente da sua visão de que os economistas são os culpados dos males da sociedade brasileira. Isso é muito simplista e superficial. A França é um contraponto a sua visão de que os economistas causam Estado. Administradores também causam Estado e intervencionismo na economia (olha só os Énarques!). O problema é a próprio povo que demanda Estado. O presidente da Petrobras é administrador e cometeu imoralidades e irresponsabilidades frente ao BB, entre outros problemas. Lembre da Enron, aquilo foi erro auditoria! Não é a formação Kanitz! O problema é muito maior que isso. Pense, por favor!

  7. Você que é um mané, senhor Skanitz, quer dizer que qualquer um que discorde do senhor é alguém que “não aprendeu a pensar”? Ora, tenha dó! Se filiar ao entendimento contrário ao seu é possível e não faz o cara um acefálo. Você sim é um acéfalo, pois desconsidera posicionamentos contrastantes e desconsidera principalmente que tudo que você prega deu EXTREMAMENTE ERRADO, haja vista os frutos amargos que estamos colhendo em nossa economia agora! Pense você!

  8. Marcio, repetir o que você aprendeu dos seus professores de economia mostra que você ainda não aprendeu a pensar.
    Argumentos que você usa como “historicamente” é o mais puro pensamento retrógrado conservador e não progressista. Pense.

  9. Bom…não sei se quem escreveu o artigo tem “algum” conhecimento de economia…mas o negócio é o seguinte…

    Meta inflacionária: é uma das principais políticas SOCIAIS que existem…se o país começa a ter descontrole da inflação, os primeiros prejudicados são os trabalhadores, que vêem seus salários serem corroídos pela inflação, enquanto as pessoas de poder aquisitivo mais alto tem acesso a instrumentos financeiros para se protegerem

    Câmbio Flutuante: reservas cambiais são necessárias para que o câmbio seja mantido a um nível fixo…hoje o país detém um grande volume de reservas que consegue fazer com que o saldo do balanço de pagamentos, que é o fluxo de moeda estrangeira, possa ser liquidado, MAS NEM SEMPRE FOI ASSIM…lembremos do período 98/99, quando nossa economia passou por um ataque especulativo por conta da FALTA de reservas cambiais, o que fez o dólar disparar (causando elevação dos índices inflacionários). Com o câmbio flutuante, é possível evitar estes movimentos bruscos, fazendo controle através de outras variáveis, como taxa de juros (usada também para controlar a inflação).
    Sobre as empresas de determinados setores quererem determinadas variáveis a nível X ou Y…no mercado financeiro possui meios para que elas se protejam de variações…o nível em que o câmbio estará são questões conjunturais e cabe ao mercado pesquisá-los, estimá-los e tomar as medidas para se proteger…e não ao governo delimitar estes níveis.

    Banco Central independente: a justificativa é histórica. O Banco Central por todo o governo Lula teve autonomia para agir (por isso que Henrique Meirelles foi colocado lá…para ser INDEPENDENTE)…dessa forma o governo poderia gastar, fazer os programas sociais e o Banco Central controlaria a inflação através de política monetária. Em relação à questão de superávit…provavelmente vocês estão vendo no noticiário como estão as contas do governo…e todo este gasto tem impacto inflacionário, além de desestimular o investimento do setor privado, responsável por grande parte dos empregos.

    No final das contas…as políticas do atual governo estão levando o país para a direção contrária do que está sendo feito…tenta se estimular de todos os lados a atividade econômica, mas os empresários não são leigos como o resto da população que continua aprovando o governo que está sendo feito…
    Uma hora ou outra o desemprego começará a aumentar…ai eu gostaria de ver qual a reação dos militantes de esquerda, que são praticamente CONTRA o tripé econômico por terem o único argumento pífio de que banqueiros e empresários são os únicos beneficiados do TRIPÉ ECONÔMICO…
    Engraçado é que…Estados Unidos passaram por uma crise enorme e estão se recuperando bem…enquanto dizem que o Brasil não teve problema nenhum na época, mas hoje está colhendo os frutos de políticas irresponsáveis de gasto público e estímulo de crédito exacerbado…

    As cenas dos próximos capítulos serão interessantes…até a Dilma ta recorrendo a pessoas mais liberais para tentar se livrar de sua própria herança…

    Respondendo à pergunta 4: Três exportadoras não quebraram por causa do câmbio flutuantes…Sadia, Votorantim Celulose e Aracruz Celulose tiveram problemas porque começaram a tomar riscos no mercado financeiro…vender mais contratos de dólares do que sua produção conseguiria garantir

    Sobre o estímulo de determinados agentes do mercado por parte do governo…é histórico essa proximidade do governo de grandes produtores…desde o século XIX…quem dita as regras sempre foram os que tem mais recursos…
    O que deveria ser feito é…o governo se preocupar em prover educação de qualidade e segurança realmente efetiva…e deixar o resto do mercado preocupar com produção…pois isto estimula cada vez mais a eficiência…consequentemente a RENDA do país como um todo…

    É costume tupiniquim ficar criticando também outros países como o gigante Imperialista Estados Unidos…que teve seus méritos na condução de políticas econômicas e se tornou um país hegemônico…
    Criticamos…mas no fim…sempre temos vontade de ir comprar em Miami produtos MELHORES e MAIS BARATOS que os nossos, que são tidos como ORGULHO NACIONAL… pff…somos um país de hipócritas…

  10. Um dos economistas mais famosos deste país mandava imprimir uma série especial somente para ele. Vivia pagando tudo com notas novinhas, foi assim que descobri. Crime perfeito, nada de 3%, contas na Suíça, etc.

  11. Eduardo Cury, lamento não entendi nada. Mas você não ganhou os 1.000 satochis. A quem interessa um Banco Central independente da democracia brasileira, da vontade dos eleitores.

    Todo brasileiro tem interesses, mas nós não saímos pedindo Ministério da Saúde Independente, Ministério do Turismo Independente. Só vocês. Perdeu os 1000 satochis a toa. Sorry.

  12. Paul Krugman, Joseph Stiglitz, que são economistas com prêmios Nobel, não defendem o Banco Central independente, e dizem que Brasil, Índia e China passaram melhor pela crise de 2008 do que EUA e Europa, com sua ideologia neoliberal de Bancos Centrais independentes. No Brasil, o Bacen já tem alto grau de autonomia. Ser independente da política é ser independente do povo, que pelo menos vota nos governos. O Bacen não deixaria de ser dependente daqueles que escolhem sua diretoria, ou seja, os bancos e os interesses financeiros internacionais. O Banco Central tem várias funções importantes, de controle da inflação, garantir nível de salários e renda, fiscalizar e regularizar o mercado financeiro. Sendo independente, praticamente a única função será controle cego da inflação, o que garante os ganhos de rentistas e especuladores, mas prejudica salários, renda e também a função fiscalizadora do mercado.

  13. Prezado Prof. Kanitz,

    Em primeiro lugar, foram apresentados dois gráficos mostrando o péssimo resultado da atual “Nova Diretriz Econômica”, com forte intervenção no Banco Central, com alta inflação e baixo superávit. Não aparece nos gráficos o baixo crescimento econômico atual e futuro e os baixos índices de confiança dos investidores, nos piores níveis da crise de 2008.

    Em segundo lugar foi dito que exite um grupo “oculto” da “elite bancária” que está manipulando os candidatos de oposição para deixarem os juros altos e quebrarem outros setores, como o industrial e agropecuário.Mas a candidatura do governo está sendo bancada em 16 milhões pelo setor bancário, enquanto a melhor candidata da oposição, não recebeu nem a metade disto.

    Acho que quem está sendo claramente manipulado e sofrendo “lavagem cerebral” por uma candidatura é o Sr. Kanitz! Este texto é quase faz um “plágio” de uma propaganda eleitoral que mostra banqueiros dando um golpe na população carente, que vê seu prato de comida desaparecer.

    Triste ver alguém tão respeitado sendo somente massa de manobra de quem está no poder…

  14. Caro Professor … creio que se Marina usar discurso diferente do que adotou a tendencia seria criar turbulencia no mercado e a imprensa corneteira faria o resto. para manter o status quo jogariam galoes de gasolina no assunto na tentativa de afunda-la.
    entao, depois da posse far-se-ao as correções de rumo adequadas ainda mais que a visão que se tem dos numeros governamentais são um tanto nebulosos para quem esta´ de fora..

    enfim, atravessaremos a ponte quando chegarmos a ela, dizia meu superior.

  15. A independência não significa que é ingerenciável. A independência é autonomia. O BC tem uma meta e pode usar as ferramentas sem pressão do governo.
    É fácil “afrouxar” em época de eleição, mas isso tem consequencias sérias.
    Para não ter isso, da-se autonomia (pelo menos teórica). Eu quero ver na prática.
    Na Argentina a “presidenta” usa o BC deles como bem quiser e estamos vendo o resultado nos jornais…
    Porém, eles precisam entregar a meta, caso contrário, os diretores são demitidos.
    Vamos pensar na Petrobrás. O petróleo é um bem da União, mas não necessariamente a empresa precisa ser. Ela pode entrar em concorrência com as demais. Privatização já! Precisamos buscar eficiência em todos os setores, o BC também

  16. É Kanitz, o cofre que imprime a moeda é guardado a “sete chaves” e desconhecido da população brasileira.

  17. Acho que frase não deve ser dele, porque na internet os direitos autorais são, digamos, mais frágeis, mas concordo:
    “Deixe-me emitir e controlar o dinheiro de uma nação e não me importarei
    com quem redige as leis”. – Mayer Amschel Rothschild

  18. Antigamente era tudo mais simples, chamávamos de tripé os amigos que, abençoados pela natureza, pareciam ter desenvolvido um terceiro ponto de apoio. Não duvido que cada setor da sociedade tenha um tripé ideal, mas isto não tem utilidade para o país mas sim para quem pretenda colocar seus objetivos acima dos outros.De mais a mais o Mantega não desmontou o tripé por não concordar com ele, mas porque, simplesmente, não consegue controlar 3 variáveis ai mesmo tempo.

  19. É nítida a agenda oculta comandada, especialmente, pelos Bancos. O tripé econômico é repetido com tanta insistência que acaba tirando a necessidade de pensarmos nos “porquês”, como se não houvesse outra alternativa. Ainda bem que tenho o hábito de ler os seus textos, professor. Me liberta do “óbvio vendido” e me faz pensar.

Comente

Seu email nao sera publicado.




UA-1184690-14