Se Karl Marx Tivesse Estudado Administração II

 

Karl Marx fez vários erros perdoáveis.

Afinal viveu 200 anos atrás, a realidade era outra, o mundo mudou.

A direita vive criticando estes pequenos detalhes, esquecendo o que Karl Marx disse de fundamental e que perdura até hoje, mesmo que nestas questões ele esteja totalmente errado, por não ter estudado os textos de administração que já existiam na época.

É por isto que Marx possui tantos adeptos e que estão crescendo dia a dia. Por pura ignorância e mau caratismo. São professores de estatais que procuram uma teoria que os possibilite ficar no poder.

A ideia seminal de Karl Marx é que somos a consequência do nosso regime de produção.

Marx afirmava que o ser humano se molda não pela religião, valores familiares, costumes que fizeram sucesso no passado ou ideais filosóficos, mas sim pela estrutura de produção.

Foi uma proposição revolucionária, e empolgou gerações de sociólogos, cientistas políticos, economistas e assistentes sociais.

Era novo, num momento de grandes transformações, e comprovável a olhos vistos.

Era uma ideia que iria confrontar o conservadorismo existente, que acredita que nossos valores e comportamento eram determinados pela cultura e tradições, pela religião, família e seus valores familiares, ou pelas ideias de grandes filósofos, como Aristóteles, Platão, São Tomás de Aquino, Camus, etc.

Karl Marx sugeriu uma nova possibilidade, os meios de produção, a relação homem-trabalho, a relação capitalismo ou socialismo.

Por isto tantos jovens são fascinados pelo socialismo, com seus valores de altruísmo, bondade e solidariedade, e são contra os valores depravados de seus pais, como todos os adolescentes.

Todo jovem sabe que jamais vai conseguir mudar a cultura, a religião, muito menos mudar a sua família ou criar uma nova escola filosófica.

Mas mudar o regime de produção via guerrilha, como fez a Dilma, em grupo, com o uso de armas, para o socialismo, parece muito mais simples.

E para Marx, simplório que era, o mundo era preto ou branco, como os jovens veem o mundo, e é somente na velha idade que se percebem os cinzas. É o que aconteceu com a Dilma.

Todo idoso rico sabe que não adianta ser rico num ambiente moral e ético inaceitável, e com razão.

Infelizmente Karl Marx fez faculdade de Filosofia, e não uma das dezenas de Escolas de Comércio que já existiam na época para perceber o erro fundamental que cometeu, e o enorme mal que ele iria causar para a humanidade.

Estudou Hegel e não Luca Pacioli.

Karl Marx chegou perto, sem dúvida, e empolgou sociólogos, cientistas políticos, economistas que estavam fora do debate como melhorar o mundo espiritual e humano das pessoas.

Estes em vez de corrigir o erro fundamental de Karl Marx, o abraçaram porque ele lhes deu uma teoria para mudar o mundo, teoria que lhes faltava.

Basta ler Das Capital para ver o erros matemáticos flagrantes. Por isto nenhum engenheiro, contador ou financista que eu conheço é marxista.

Quem entende o mínimo de contabilidade percebe claramente as bobagens escritas.

Também nunca aderiram ao marxismo os teólogos, defensores da família, defensores de Aristóteles, Camus e São Tomás de Aquino porque já tinham a sua teoria.

O erro fundamental de Karl Marx é que não é o regime político que afeta o ser humano, é a comunidade a qual ele próprio quer pertencer.

O próprio Karl Marx escolheu não ser um trabalhador e sim um professor de Filosofia, mas não conseguiu. Não conseguiu se estabelecer em nenhuma profissão, pertencer a nenhuma comunidade. Morreu tendo somente onze pessoas no seu funeral, um ser humano que nunca conseguiu fazer uma comunidade.

Suas duas filhas se suicidaram, e mais três filhos morreram porque Marx não tinha dinheiro para contratar médicos.

Marx gastava seus recursos viajando de congresso comunista para congresso comunista.

Quando Jenny, sua esposa, pegou varíola devido à precariedade higiênica da casa de Marx, ele saiu desesperadamente, mas não à procura de um médico.

Saiu desesperadamente à procura de um amigo que lhe pudesse emprestar em torno de R$ 200,00 para contratar um médico.

Não são os meios de produção que determinam o comportamento de uma sociedade, mas sim o tipo de empresa em que você trabalha.

Para se trabalhar em conjunto, algo que Marx nunca teve que fazer porque como tantos professores preferia trabalhar sozinho, há inúmeras adaptações e concessões a fazer.

No início da industrialização, uma das primeiras adaptações necessária para se trabalhar em conjunto, conjunto de 200 a 1.000 pessoas por exemplo, era ter que chegar na empresa na hora certa.

Imaginem a revolta de ex-agricultores, que acordavam quando queriam especialmente depois de uma noite de bebedeira, ter que chegar numa empresa às 8h em ponto, porque disto depende a cooperação humana.

Trabalhar numa fábrica com horários a cumprir, de fato determina o comportamento de um ser humano mais do que a Bíblia, conservadorismo, Camus ou Aristóteles.

Um dos grandes problemas da empresa moderna onde pessoas desconhecidas, com especialidades distintas, se juntam para serem mais produtivas do que trabalhando individualmente, como fazia Marx, precisam se adaptar aos valores desta comunidade.

E a primeira mudança é o cumprimento de horário.

Se você quer somente trabalhar junto por 8 horas, todos precisam estar no mesmo local nas mesmas horas.

Nos idos do capitalismo trabalhava-se 10 horas no início, porque ninguém estava acostumado nem queria pontualidade.

Não é por acaso que a Inglaterra se destacou na industrialização, porque pontualidade já era um valor britânico.

O erro fundamental de Karl Marx é que é o tipo de estrutura societária criada pelas pessoas que se juntam para um trabalho coletivo. A comunidade é que determina o ser humano, não o capitalismo ou o socialismo.

Marx chegou perto, mas errou no essencial.

Ou seja, seu comportamento como ser humano de fato é influenciado pelo regime de trabalho, mas não pelo “modo de produção” como escreveu Karl Marx, mas pelo regime societário que a empresa onde você trabalha foi juridicamente estruturada.

Que por sinal pode até ser a sua, e como você combinou conviver com seus sócios e colaboradores.

É mais do que conhecido por administradores que

Empresas Estatais,

Empresas Privadas,

Empresas Limitadas,

Empresas de Capital Aberto,

Empresas de Capital Fechado,

Ongs,

Entidades Sem Fim Lucrativos,

Empresas de Responsabilidade Ilimitada,

Repartições Públicas,

Micro Empresas,

cada uma gera culturas próprias, formas próprias de convivência, reações diferentes no comportamento humano.

Karl Marx inclusive inverteu as bolas. Hoje é mais provável que você é que vai preferir trabalhar na Google e não na Eletrobras, numa empresa familiar ou numa Ong, criar a sua empresa ou trabalhar numa outra.

Mas muitos irão preferir trabalhar na Eletrobras, mais do que na Google.

Ou seja, não é o modo de produção que determina o ser humano, é o ser humano que decide que “modo de produção” prefere, escolhendo o tipo de empresa de cooperação humana que prefere.

Tragicamente foram o comunismo e o socialismo que fecharam esta porta para os nossos jovens.

Em Cuba existe somente um tipo de empresa.

No Brasil todas as estatais são regidas pelo mesmo regime de governança, controle e contabilidade.

Karl Marx vai continuar com suas ideias a nos manter na pobreza e no atraso, por ter lido Hegel e não quem deveria.

 

(Lido por 259 pessoas até agora)

UA-1184690-14