Gustavo Franco e a Âncora Cambial

Em 2002 ano que Lula toma posse,  40% da Dívida Interna era em Dólar e não em Real.

Era a política da âncora cambial, iniciada em 1994.

Dívida interna deveria ser sempre em real, reza a boa administração financeira e o bom senso.

A não ser se sua empresa é uma exportadora, o que governos não são.

Portanto, era má política financeira o Tesouro ter 40% da nossa dívida interna indexada ao dólar, a âncora cambial. Incorríamos em Cross Currency Risk, pois a receita de impostos é em real e as despesas com juros eram em dólar.

O que significava que crises externas sempre desencadeavam também uma crise interna, tornando ambas as dívidas – interna e externa – mais difíceis de serem paga.

Como de fato ocorreu no fim do primeiro mandato de FHC.

                                  Ancaora 1

Nos 7 anos da gestão Henrique Meirelles no Banco Central, mudamos o perfil da dívida interna dramaticamente.

Não se pode dizer que foi uma simples continuação da política econômica de FHC, como muitos estão argumentando inclusive aqui nos comentários, porque foi uma mudança de 180 graus como mostra o gráfico abaixo.

Hoje temos um dívida interna  0% atrelada em dólar, 100% em real.

Ancora2

Ou seja, uma crise externa não mais afetará a dívida interna, como ficou provado em 2008.

Como temos reservas expressivas em dólares, financiadas por dívidas internas sem dúvida, o próximo governo, na realidade, receberá uma dívida 140% em Real, e Reservas em dólar de 40%, que entram como redutor da dívida, 140%-40% = 100%.

Ou seja, uma crise externa agora REDUZ A DÍVIDA INTERNA.

Em vez de termos dois problemas, não temos nenhum, porque o que perdemos de um lado compensamos parcialmente do outro.

Prova disto é que passamos incólumes a crise de 2008, ao contrário do que previam a maioria dos acadêmicos ligados ao PSDB, PMDB, DEM etc.

Em vez de pedir socorro ao FMI, como fizemos em 1998, o FMI pediu socorro ao Brasil.

Isto não é continuação da política econômica do governo anterior, de forma alguma.

Estou defendendo que o Lula e Meirelles, não “traíram” o PT mantendo a política “neoliberal” do governo anterior porque simplesmente não mantiveram a política de FHC, graças a Deus. Implantaram a política sensata de Henrique Meirelles.

Mudaram esta política de FHC, com ideias novas, abordagens novas, algo que muitos petistas radicais não estão percebendo.

Nenhum governo futuro, acredito, irá reintroduzir a âncora cambial novamente, muito menos criar dívidas INTERNAS atreladas ao dólar. 

Nunca mais.

Portanto, investidor estrangeiro e brasileiro, fique tranquilo na intranquilidade que talvez teremos no futuro.

Você não precisa sair fugindo comprando dólar e mandando o dinheiro para um banco estrangeiro no exterior.

Você estará mais seguro comprando títulos do governo brasileiro, denominados em reais, como fez Warren Buffet.

Preciso dizer mais? 

(Lido por 203 pessoas até agora)

UA-1184690-14