Este Engodo Chamado “Salário Mínimo”

O Salário Mínimo volta a ser pauta jornalística e é triste ver que ninguém alerta o engodo que é.

Fico triste com o número de “conquistas sociais”, criadas por pessoas “bem intencionadas”, que geram atraso e pobreza.

A ideia por trás do Salário Mínimo é que empresários e administradores são imbuídos de “espíritos animais”, segundo Keynes, e querem “maximizar lucro a todo custo”.

Por isto, intelectuais de esquerda precisam “intervir” na economia e nos preços de “mercado”, estabelecendo um patamar mínimo de R$ 540,00. Leiam a teoria.

Segundo intelectuais como Celso Furtado, nós administradores preferiríamos contratar por R$340,00, entregando máquinas caríssimas a funcionários desmotivados e rancorosos.

Por isto intelectuais esclarecidos precisam nos obrigar a pagar um salário “justo”.

Santa ignorância administrativa!

Mal sabem que preferimos contratar os melhores funcionários possíveis, respeitando a rentabilidade possível do produto.

Preferimos pagar bem aqueles com que convivemos, e pagar mal aqueles que nos servem mas nunca vemos, como estes intelectuais os que trabalham no Governo.

O Engodo está no seguinte. 90% dos que recebem o Salário Mínimo são jovens no seu primeiro emprego. Dois anos depois, com o mínimo de boa vontade e experiência, ganha-se mais do que isto.

O Salário Mínimo, portanto torna-se uma forte âncora para estabelecer o Salário Inicial de todo jovem trabalhador, independente do seu real valor.

O SM engana os melhores alunos que poderiam comandar R$ 640,00 ou R$ 720,00 no seu primeiro emprego a aceitarem o SM.

Foram os melhores alunos, não bebem e tiraram 10 em Matemática, teriam tudo para acertar acima do SM.

Mas, jovens inseguros não conseguem negociar o que realmente valem, quando o próprio Estado estabelece uma âncora inicial, o Salário Mínimo.

“Você começa com o Salário Mínimo, e depois que nós conhecermos você melhor, daremos o aumento de mérito”. Por que você não poderia começar com R$ 720,00 já que você tirou 10 em Matemática?

Porque o Salário Mínimo é oficial, é uma âncora muito forte para se contestar.

“Você começará com o SM, depois de conhecermos, a gente melhor”.

Infelizmente 90% aceita este engodo, não sabendo que depois de assinado o primeiro contrato, sua capacidade de renegociar vira zero.

Se não existisse o Salário Mínimo, cada um teria de negociar sabendo o salário médio da região, o salário de seus amigos mais burros, e lutar pelo seu interesse.

Mas nossos jovens aprendem que o Estado e os Sindicatos lutarão pelos interesses da classe, e portanto ninguém precisa a aprender a negociar,”nós faremos tudo isto por você”.

Lembre-se que a empresa está lhe contratando porque está crescendo 10% ao ano, e precisa de mais funcionários. Pagaria muito mais que o Salário Mínimo.

Só que nossos intelectuais não precisam estudar Técnicas de Negociação, recebem salário fixo do Estado, e não sabem que “quem renegocia, negocia mal.”

Ou seja, pedir um aumento para o seu patrão é muito mais arriscado do que pedir um bom salário inicial.

Se você disser não, o patrão deixa de ter um funcionário que obviamente está precisando.

Se você pedir um aumento, que na maioria das vezes é quando você está precisando, é você que terá de mudar de emprego, procurar outra empresa, perder contatos Fico.

Você agora tem muito mais a perder do que quando já estava desempregado.

Uma experiência feita no MIT mostra o poder do que chamamos de “ancoragem”.

Alunos foram divididos entre patrões e candidatos.

Patrões sabem o lucro do produto, o crescimento da empresa, o salário que estão pagando, o prejuízo que um mau funcionário causa.

Os candidatos sabiam o salários de seus amigos, a nota que tiraram em Matemática, e quanto queriam ganhar.

Depois de muita negociação, o salário acordado girava em torno de R$ 625,00.

Aí, dividiram (outros) alunos em dois grupos.

Um grupo via o número R$ 750,00 por um segundo projetado na parede. O outro grupo via o número R$ 460,00 projetado na parede.

Para a surpresa de todo mundo, o salário médio do primeiro grupo fechou em R$ 730,00, o do outro fechou em R$ 520,00.

Irracional, mas é o que aconteceu.

O número projetado na parede, como um sinal de Deus, serviu como uma âncora neurológica e teve uma influência acima do esperado.

O que você acha que o Salário Mínimo faz com o trabalhador que está negociando seu primeiro salário?

O exemplo do MIT na realidade era outro, no mesmo estilo, eu simplesmente “mudei” para o caso do SM.

O que nós do @PBE_BR faríamos: leia no próximo post. 

(Lido por 63 pessoas até agora)

UA-1184690-14