Por Que Eu Não Compro Títulos Públicos

 

Tempo de leitura: 45 segundos

 

  1. Porque o dinheiro é imediatamente gasto em despesas de pessoal e não investido em projetos que gerem renda. Você no fundo está fazendo uma doação e não uma aplicação financeira.
  1. Não sendo o seu dinheiro aplicado num investimento, não há retorno. Muito menos retorno financeiro acima dos juros, como em países não administrados por professores incompetentes.
  1. A única forma destes professores pagarem juros e seu dinheiro de volta é via taxação forçada e criminosa, especialmente sendo sobre pobres e os jovens.
  1. Nenhum investidor estrangeiro investe mais nesses títulos, só idiota da classe média e desinformado.a. Aí protestam nas ruas contra a Dilma, ao mesmo tempo em que financiam o governo com seu dinheiro.
  1. O suposto juro de 14% menos IR e inflação dá um juro real depois de IR de somente 2%, e não 14% como todos pensam.
  1. Os Vermelhos na foto abaixo, que não sabem fazer conta, acham que você é que é o bandido, que leva 9% do PIB todo ano e não somente 1,3%.a. Um dia virá o calote porque o Brasil está quebrado e será sobre vocês, o 1% que tantos odeiam.
  2.  Na realidade são eles que levaram e gastaram 100% da sua poupança neles mesmos, em salários e aposentadorias sem fim, mas os Vermelhos só sabem mentir e não raciocinar.
  1. O Brasil está quebrado, portanto não dá para pagar todo mundo.
  1. Eu até apoio os Vermelhos, se é para não pagar algo é para não pagar você, que deu dinheiro para bandidos e que faz parte do 1% mais ricos do Brasil.
  1. Vocês se ferram, mas nós os 99% mais pobres, e os mais espertos que não vivem do Bolsa Juros, nos sairemos bem.a. Entre ferrar 1% para salvar 99% de um futuro negro, pagando dívidas e juros para perfeitos idiotas, você faria o mesmo.b. Por isto eu não aplico em títulos públicos mesmo quando os ministros eram o Maílson, Malan, e muito menos Mantega.
Compartilhe:
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Comentários

22 Responses

  1. É sério isso, professor? Sua sugestão a um fundo de pensão seria aplicar em que? “Doação” com retorno real de 3% é tão mal assim? Ja foi muito mais alto na época que você não compra também, não? Forte Abraço.

  2. Professor, o senhor sempre publica coisas que nos levam a reflexão. Geralmente temas bons e relevantes, eventualmente alguma bobagem que evidentemente, por sua história, tem todo o direito. Até porque a bobagem de hoje pode ser a verdade de amanhã. Contudo, me preocupa ao ver que tem se tornado o profeta do apocalipse. Use seu cérebro privilegiado da livre docência para falar sobre tudo. Menos sobre a administração pública do Brasil. Não entre para a história como mais um chato do “eu te disse”. grande abraço.

  3. No fundo o artigo tem algo de razão. O risco existe e enquanto estivermos nas mãos dos vermelhos ele é real.
    Um titulo de curtissimo prazo pode até se safar… mas apostar a longo prazo é igual a apostar suas fichas na aposentadoria do governo (INSS).
    Acho que quem tem confiança deve até apostar nos Titulos, mas igual a uma aposta de roleta russa… funciona quase que como uma piramide… enquanto tiver gente apostando nos titulos eles se mantém… quando começar a debandada o governo quebra e o calote acontece.
    Entra nos blogs que ensinam a reconhecer uma piramide financeira… vão ver que os titulos se encaixam muito nesse tipo de investimento… só o lastro é que é maior e por isso leva mais tempo para quebrar.

    1. Victor, o Vermelho é um Jornal, que está na verdade no topo do Post, lá em cima tem uma foto, é a foto do Jornal Vermelho.

  4. A parte mais engraçada foi a do investidor estrangeiro rs

    PS: o dinheiro é usado pelo país, inclusive para projetos sociais, para educação, saúde etc etc

      1. Verdade, os impostos que pagamos também são para isso.

        E aí, vamos parar de comprar e começar a roubar, saquear?

        Vamos sonegar imposto, já que é cheio de corrupto?

        Meu deus, é cada idiota

  5. Pelo que entendi, é que o Brasil está quebrado e virá um calote. Este calote será nos títulos públicos. Risco alto pra pouco ganho real.
    OK.
    Mas então, onde investir ?

  6. entendo que “os vermelhos” estão no governo hoje, mas quando não estavam, a ciranda era a mesma! Aliás, essa ciranda de usar os jovens para pagar os mais velhos, começou com os governos militares (será que eles também eram comunistas?).

  7. essa eterna briga entre ricos e pobres………um conselho para cada lado…….primeiro para os ricos: ´´ parem de enriquecer e deixem os outros ganharem tambem´´ . Agora para os pobres: ´´pelo amor de Deus , parem de gerar filhos .No maximo dois´´.

  8. Professor, seus artigos são bons, mas esse aí foi o pior que já li. Sugere ao governo gastar menos e precisar fazer menos dividas.
    Quem não deve, não paga juros. Agora, quem economiza, vai investir onde?
    Abrir empresas, pagar impostos e morrer com menos dois anos de vida. Fala sério!

  9. Quanto foi o jabaculê dos bancões para patrocionar este artigo? Os bancos morrem de medo de você tirar o seu dinheirinho dos fundos de “investimentos” deles e aplicar diretamente no TD, perdendo o spread que dá um dinheiro mole para o clube da FEBRABAN.

    Aliás, falando em bancões, eles são os maiores investidores do TD, ao lado dos fundos de pensão.

  10. Vejamos:

    1 – Os governos, não só bananeiro, vivem de consumir poupança. fazem isso porque se cobrassem impostos diretamente a opulação perceberia a exploração, não da burguesia, mas da aristocracia governante. (em qq tempo).

    2 – Os bancos são os despositários da poupança alheia desde que o colchão tornou-se péssimo guardião. Afinal se os BCs expandiam o montante de “moeda” circulante, o resultado era a desvalorização da unidade monetária frente os bens e serviços consumíveis, como se um IMPOSTO SOBRE A POUPANÇA. Portanto guardar o dinheiro era o mesmo que sofrer “SOBRETRIBUTAÇÃO”. Assim a idéia de investir sepultou a idéia de guardar.

    3 – Os bancos se tornaram depositários de poupança alheia sob a idéia de investi-la e assim faze-la render ou não perder tanto o seu valor diante do IMPOSTO INFLACIONÁRIO.

    4 – Os governos, almejando obter para seus gastos o máximo de poupança da população, tornou os emprestimos entre pessoas SEM GARANTIA JUDICIAL. Só paga quem quiser e os processos são custosos e longos para o cidadão. Contudo para os bancos são palatáveis.

    …e foi assim que os bancos se tornaram o meio de se poupar ou tomar poupança emprestado.
    Claro que há o TD, mas o fato é a SANHA do Estado por CONSUMIR os bens e serviços disonibilizados pelos que trabalham e produzem.

    O Estado tranfere, por intermédio do dinheiro, a produção da sociedade civil para os RECEBEDORES de IMPOSTOS que, cada vez mais CONSOMEM os bens e serviços produzidos pelos PAGADORES de IMPOSTOS.

    Trata-se de transferência de riquezas dos produtores para os recebedores de impostos. Sejam eles diretos, indiretos e inflacionários (onde um lado fabrica o dinheiro usando-o como FIM para consumo, não como MEIO de TROCA entre bens e serviços: por isso a sociedade empobrece tanto mais dinheiro possui).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Mais Recentes

Outros Assuntos

Outros Canais

Receba os artigos por e-mail
Leia Mais

Artigos Relacionados

Taxação de Dividendos

Taxar dividendos distribuídos faz todo o sentido, mas somente com a isenção dos lucros reinvestidos. Taxar lucro e dividendos é dupla taxação do mesmo fato

Artigo Completo »