O Engodo da Nossa Previdência “Social”

 

A nossa Previdência é de concepção marxista, socialista, de segurança social.

Voltada para os mais pobres, a maioria da área rural, que não dispunham de bancos para fazerem poupança ou volume para gerarem taxas de administração para custear um fundo financeiro e atuarial.

Foi concebida para quem não tinha mais como trabalhar, e era contemplado com um salário mínimo para o resto da vida.

Nossa Previdência segue portanto a concepção de Karl Marx, “de cada um segundo sua capacidade produtiva, para cada um segundo suas necessidades”.

Nesse caso, os mais produtivos, seriam vocês mais jovens, que pagam pelos mais velhos aposentados, como eu.

Por isso intelectuais esquerdistas dizem que não há deficit na Previdência.

“Temos jovens mais do que suficientes para pagarem os velhos, num regime de escravidão.”

Mas aí vem as contradições dos socialistas brasileiros.

Não faz sentido a Prof. Maria da Conceição Tavares, marxista até a alma, ter quatro aposentadorias, quando ela deveria ter somente uma e não quatro pagas pelos mais jovens.

Nem tampouco Fernando Henrique Cardoso, ex-marxista, ter se aposentado aos 32 anos com dinheiro do Estado, quando ele deveria estar trabalhando “segundo sua capacidade”.

Muito menos receber R$ 26.000,00 de aposentadoria, palestrante que é, piorando nossos índices de renda distribuída.

A Direita possui outra forma de Previdência Social, chamada Acumulação Solidária, mais honesta e justa.

Toda geração de Direita acumula recursos num fundo financeiro e atuarial chamado Fundo de Pensão, propiciando poupança para infraestrutura e investimentos em média por 30 anos, e baixando os juros a níveis americanos.

Esses investimentos geram juros e dividendos, que ao longo de 30 anos suprem, e de sobra, as aposentadorias futuras.

É Solidário na sua concepção, porque se você morrer aos 50 tudo que você investiu é automaticamente doado aos que continuam vivos, barateando o custo para todos.

No sistema de Acumulação Solidária você pode ter quantas aposentadorias quiser, pois é você mesmo quem está pagando pelas quatro aposentadorias que receber, respeitando o equilíbrio financeiro e atuarial de tudo que você contribuiu.

E sua aposentadoria depende de quanto você contribuiu, e quanto e quando pretende se aposentar, e não quanto os outros professores ganham.

A grande hipocrisia dos intelectuais de esquerda, é que uma vez aposentados, eles mentem fazendo crer que nosso sistema é de Direita.

“Eu contribuí para essas quatro aposentadorias”, diz Maria da Conceição Tavares”, que sabe muito bem que ela contribuiu para as aposentadorias de quatro professores, que se aposentaram às custas dela.

“A ditadura me aposentou com o salário de R$ 25.000,00”, diz Fernando Henrique Cardoso sabendo muito bem que aos 32 anos ele não havia contribuído o suficiente para se aposentar.

“Eu trabalhei e contribuí por 30 anos”, diz a maioria dessa esquerda aposentada, sabendo muito bem que as contribuições sumiram, para pagar esquerdistas mais velhos do que eles.

E o que é pior, desde 1998, nós conseguimos, via mudança na Constituição, mudar o regime previdenciário de Socialista para Acumulação Solidária, e nenhum Ministro da Fazenda se adaptou.

“Art 201. A partir de hoje a Previdência observará critérios que observem seu equilíbrio financeiro e atuarial.”

Ou seja, não precisamos de uma Reforma, precisamos é de Ministros da Fazenda que saibam ler a nossa Constituição e compreendê-la.

Deem um Google e vejam por si mesmos.

Ilustração: Claudia Rocha Franco Lopes, entendeudireito.com.br

 

(Lido por 1355 pessoas até agora)

UA-1184690-14