As Duas Formas de se Sair de Uma Recessão

 

Uma é reduzindo os juros e estimulando o endividamento das famílias, via crédito consignado, empréstimos do BNDES.

É a clássica solução Monetarista e Keynesiana.

Essas políticas econômicas resolvem o problema a curto prazo, garantem a reeleição como foi no caso da Dilma, mas complicam os governos futuros.

Primeiro, deixa a população com uma conta cavalar de juros, e juros sobre juros, reduzindo o consumo efetivo no futuro.

Segundo, cria uma bolha de consumo inflacionária.

Terceiro, cria essa inadimplência bancária, gerando prejuízos e incerteza no fluxo dos Bancos.

Existe outra forma de lidar com recessões, proposta pela corrente de administradores responsáveis das nações.

Planejamento prévio anti-recessão, criando reservas financeiras.

Na Administração Responsável das Nações, os administradores não endividam o povo com juros cavalares, nem submetem bancos a essa futura inadimplência.

Na Administração Responsável das Nações, planejamos anos antes, estimulando a população a ter reservas financeiras adequadas.

Aí, numa recessão, é a população quem decide quanto gastar de suas reservas, sem dívidas, sem crédito consignado, sem inadimplência.

E não o Governo numa Matriz Econômica mal executada.

É a sabedoria milenar de poupar nos sete anos de vacas gordas, para gastar nos sete anos de vacas magras.

E não se endividar com banqueiros como rezam os Monetaristas e os Keynesianos.

 

Compartilhe:
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Comentários

Mais Recentes

Outros Assuntos

Outros Canais

Receba os artigos por e-mail
Leia Mais

Artigos Relacionados

Taxação de Dividendos

Taxar dividendos distribuídos faz todo o sentido, mas somente com a isenção dos lucros reinvestidos. Taxar lucro e dividendos é dupla taxação do mesmo fato

Artigo Completo »