Precisamos Urgentemente de Jornais Comunitários

Recentemente a Globo noticiou a morte de 10 nigerianos e a queda de um 737 na Etiópia com nenhum brasileiro a bordo.

Sensacionalismo puro.

A notícia para um telespectador seria se o 737 continua seguro, algo que a Globo não disse nem seus jornalistas são capazes de garantir.

Nesses últimos 20 anos, nossos jornais e TVs noticiaram mais de 40 ataques em colégios nos Estados Unidos e Europa, nenhum brasileiro sendo envolvido.

Portanto, um jovem que assiste a Globo achará que essas matanças são normais e ainda notarão que o assassino terá os seus 15 minutos de glória.

Se você é um zero à esquerda, poderá ser a sua chance, mesmo que a última.

Quando pesquisei as 50 Melhores Entidades Que Fazem O Bem, achei que a Esquerda iria divulgar essas obras sociais diariamente.

Nenhum sequer aparecia na emocionante premiação do Prêmio Bem Eficiente por 10 anos seguidos.

Jornais comunitários teriam coberto esse evento, e ficariam orgulhosos das entidades premiadas de suas comunidades.

Você ficaria sabendo dos assaltos e mortes no seu bairro, algo que lhe interessa, sim.

Quanto mais monopolista o jornal e TV, menos notícias relevantes ao leitor ele irá noticiar.

Pior, esse monopólio conquistado pelos jornais impedem a pequena e média empresa de anunciarem seus produtos.

É justamente essa imprensa de Esquerda que contribui para a concentração da renda nesse país, e eles nem sabem disso.

Para quebrar esse monopólio precisamos de não jornalistas.

Pessoas dispostas a fazerem pequenos jornais, financiadas por pequenas e médias empresas com seus anúncios locais, cobrindo notícias que realmente interessam.

Da sua comunidade, da escola do seu filho, do hospital comunitário, entrevistando o delegado do seu bairro, da Ong que atua ao lado de sua casa, do seu vizinho que está entre a vida e a morte e você nem estava sabendo.

(Lido por 1056 pessoas até agora)

8 Comments on Precisamos Urgentemente de Jornais Comunitários

  1. Enquanto isso, todos os grandes veículos noticiam modorrentamente as mesmas notícias.
    Viva as redes sociais!

  2. Boa tarde caro professor.
    Por onde começar já que não sou do ramo jornalístico? Sebrae? Como seria está modelo de negócio?
    Favor me ajude pois queria fazer dessa ideia um modelo de negócio!
    Obrigado

  3. Caro Professor Kanitz, excelentes os seus comentários! Aprecio muito a sua capacidade e competência analítica para enxergar a realidade das coisas fora da caixinha! Parabéns e continue assim por favor! Fui seu aluno no mestrado na FEA USP e até hoje não compreendo como o senhor com sua inteligência e competência aguentou ficar naquele meio….

  4. Somos anestesiados com a queda de Boeing na Etoópia para não nos ligarmos no prefeito que que mexer em nossos bolsos com aumentos absurdos no valor venal de nossos imóveis.

  5. Curitiba está sem jornal pr’oprio, e com um pouco de elite como foi a Gazeta do povo! Como pode acabar?E inacreditável . Sentimos muito! Ficamos se liderança , sem alma literária que fale objetivamente por todos globalmente !

  6. Você está certíssimo! Um grande país rico e paquidérmico e, portanto, fácil de ser espoliado, é a mina de ouro de esquerdistas e afins. Ainda me lembro daquele seu artigo publicado na Veja, “O Brasil precisa de fiscais”, que incorpora o óbvio que ninguém vê.

Comente

Seu email nao sera publicado.




UA-1184690-14