Deputados Estão Certos em Rejeitar a Previdência

 

O Ministro da Previdência, Marcelo Caetano, que redigiu a reforma da previdência, está preocupado.

Deputados não querem aprovar a reforma, pois seriam considerados culpados pela perda da aposentadoria da população.

Quando os verdadeiros culpados são outros, os próprios Ministros da Previdência e da Fazenda.

Desde a gestão do primeiro Ministro da Fazenda e do Ministro da Previdência, todos os Ministros seguintes passaram a gastar todo o dinheiro que nós contribuímos para as nossas aposentadorias, nada menos que 28% de nossos salários.

Gastaram tudo em obras faraônicas, super salários, aposentadorias para quem nunca contribuiu.

No ano passado, por exemplo, nós contribuímos com 360 bilhões que deveriam ter sido contabilizados, a crédito, como Dívidas a Pagar a Longo Prazo.

E não como Receitas a Gastar do governo como fizeram, uma enorme pedalada contábil e mentirosa.

O débito nos dois casos é o mesmo, Depósitos ou Caixa do Governo.

Que nossos Ministros da Fazenda meteram a mão no Caixa logo em seguida, mesmo sabendo que tinham uma Dívida a Pagar em 30 anos.

Todos os nossos Ministros da Fazenda e da Previdência, ou porque não entendem de contabilidade, ou porque são burros, gastaram os sucessivos 360 bilhões que nós depositamos ano após ano.

Mesmo sabendo que eles iriam complicar a vida dos Ministros da Fazenda, seus colegas, 30 anos depois.

Em 30 anos irão faltar 11 trilhões, 30 x 360, mais até.

O resumo da ópera da rejeição acima é que esses 30 anos já chegaram.

E como o dinheiro sumiu, não há como pagar os aposentados e os que vão se aposentar.

Zero, nada, o dinheiro todo sumiu.

E ninguém percebeu ou reclamou? Só uma pessoa 30 anos atrás, na Veja.

Como essa verdade não é divulgada, os Deputados não querem obviamente ser crucificados por um crime, e crime é, que não cometeram.

A ordem das coisas para resolvermos a Reforma da Previdência seria esta:

1. Refazer a Contabilidade da Previdência, colocando corretamente os últimos 30 anos como Dívida a Pagar e não como Receitas a Gastar.

2. Sergio Moro revelaria o maior roubo da História do Brasil. Algo em torno de 11 trilhões e pediria de volta o nosso dinheiro gasto indevidamente pelos nossos brilhantes economistas, ou a grande maioria.

3. A Polícia Federal prende todos os nossos Ministros da Fazenda desde Delfim Netto até Guido Mantega, por imperícia contábil e administrativa.

4. Convocam-se os Deputados para fazer uma Previdência de cunho social e emergencial, já que o dinheiro de todo mundo sumiu.

5. Aí os Deputados sairiam como heróis e legislariam que, apesar de tudo, todos poderiam ainda ganhar suas aposentadorias após os 65 anos.

6. Que funcionários públicos, que perderam tudo e estavam sabendo dessas pedaladas de nossos economistas famosos, ainda receberiam R$ 2.000,00 por mês apesar de todo o dinheiro depositado ter sumido.

Quem fez essa reforma que acaba de ser rejeitada foi, adivinhem, um economista, o atual Ministro da Previdência, e deu no que deu.

Deu no que deu como todos os que me seguem também previram. Esse pessoal não acerta uma.

Mas ano que vem poderemos fazer a coisa certa, não é mesmo?

 

(Lido por 866 pessoas até agora)

UA-1184690-14