Haddad e o PT Quebraram a Prefeitura de São Paulo

 

Anexo do Balanço Final da Gestão Haddad depois de quatro anos de governo.

Haddad deixa dívidas de curto prazo R$ 7 bilhões, mais dívidas de longo prazo de R$ 197 bi.

Só que a Prefeitura tem somente 105 bilhões de ativos para pagar essa conta, a rigor muito menos.

Ou seja, um deixa rombo de R$ 99 bilhões, que ele chama apropriadamente de Passivo a Descoberto.

Passivo a Descoberto é o termo que se usa para empresas quebradas.

É o valor que fornecedores, funcionários e aposentados JAMAIS irão receber na totalidade.

Por isso no setor privado se exige a Falência imediata e a distribuição justa e equitativa desses R$ 105 bilhões que ainda restam.

Mas como essa falência de São Paulo está sendo escondida do público, a distribuição desses ativos em vez de justa e equitativa, será injusta e favorecida.

Alguns receberão 100%, e provavelmente funcionários e aposentados receberão zero.

Se eu fosse funcionário ou aposentado, eu lutaria pela Falência Já da Prefeitura, e jamais votaria no Haddad para presidente com Lula seu mandante.

 

(Lido por 2952 pessoas até agora)

9 Comments on Haddad e o PT Quebraram a Prefeitura de São Paulo

  1. Kanitz, só um detalhe, o Balanço a ser utilizado deveria ser o de 2016, pois 2017 já era a gestão Dória. Inclusive a dívida de curto prazo caiu de 13 bilhões para 7, apesar da de longo prazo ter aumentado, provavelmente deve ser um aumento do passivo atuarial previdenciário.

    Realmente essa é a prova matemática de que essa previdência do município de SP não existe, não passa de uma ilusão.

  2. SR. ADALBERTO
    Analfabetismo intelectual (sic) existe (ou desonestidade intelectual).
    Não existe mais comunismo nos países de democracia liberal ocidental. Isto é uma estupidez. No Brasil, o PT, PCdoB, Psol, a rigor, não são comunistas. Nenhum deles prega a estatização total da economia. Todos estão operando nos marcos da economia liberal. Apenas, uns advogam mais que outros maior ou menor intervenção do Estado na economia. Isso até agora, porque o Sr. Bolsonaro está propondo uma Ditadura Bolsonariana “liberal” (para horror do Kanitz rsss)

  3. Mais uma vez está distorcendo a conta incluindo a dívida pública. Faz o seguinte: refaz a conta igualzinha relativa a 2013 e aí a gente conversa.

    Numa pesquisa bem rápida achei isso aqui ó: http://transparencia.prefeitura.sp.gov.br/contas/Paginas/DividaPublica.aspx

    … que menciona dois fatos interessantes:

    1) Em maio de 2000, a Prefeitura de São Paulo celebrou contrato de refinanciamento de dívidas com a União.

    2) Em fevereiro de 2016, houve Desincorporação de saldo devedor no valor de R$ 47.827.416.991,83 […] O saldo devedor da dívida que era de aproximadamente R$73,1 bilhões ao final de 2015, passou a R$ 27,5 bilhões em fevereiro de 2016,

  4. Kanitz vc é um homem sábio te admiro muito… Isso mesmo fora PT!
    Abraços,
    Mirian Ruiz

  5. Olá Kanitz ..aseria importante citar as fontes destes números ( se puder usar fontes ofiociais melhor )..de mais parabens!

  6. Em tempo, o período em que o Brasil esteve mais quebrado foi com os militares, quando teve que decretar a moratória da dívida pública.

  7. Haddad foi quem conseguiu grau de investimento para a Prefeitura de São Paulo. Estava quebrada ao longo de varias administrações.

  8. De longe não sou simpatizante do PT, tampouco do Haddad, mas entendo que atribuir o passivo descoberto da PMSP a gestão Haddad é, no mínimo, desonestidade intelectual, pois basta apenas dar uma rápida lida nos principais itens do balanço patrimonial da PMSP para perceber que a principal obrigação é o passivo atuarial dos servidores públicos, passivo este que vem se formando há várias administrações. Desta forma, se tivermos que atribuir culpa sobre os números, devemos remontar desde a Administração e Vereança municipal que aprovou planos de aposentadoria e benefícios insustentáveis para a cidade. Portanto, não me parece justo atribuir a culpa a apenas uma administração. Além disso, seria bom avaliar com um pouco mais de carinho a efetiva realização das dívidas ativas de longo prazo reconhecidas no balanço. Apesar de existir metodologia aplicada para constituição do “impairment”, seria importante saber se a redução de apenas 40% sobre a dívida ativa bruta seria razoável considerando a efetiva realização desses ativos no futuro. Isso também é um problema que cobre várias Administrações no Passado e, de longe, é o principal item dos R$ 105B do Ativo que presumivelmente faria frente ao Passivo total de R$ 197B.

  9. Só vota em COMUNISTA que não tem capacitação necessária para discernir entre o certo e o errado!!!

Comente

Seu email nao sera publicado.




UA-1184690-14