A Previdência Foi Deficitária Desde o Primeiro Dia

Fico abismado com a ignorância desses professores que saem a campo dizendo que não há deficit na Previdência.

E dos jornalistas que os entrevistam.

A Previdência começou deficitária desde o primeiro ano de vida.

A lei Eloy Chaves de 1923 concedeu de imediato aposentadorias a todos que tivessem 50 anos de idade, justamente os velhos que nada haviam contribuído.

“Art. 12. Aposentadoria ao empregado ou operário que tenha prestado, pelo menos, 30 anos de serviço e tenha 50 anos de idade.”

Daí o deficit inicial da Previdência, por incluir quem não havia contribuído um único centavo.

Deficit que somente foi se agravando ano após ano.

No ano seguinte, milhares de velhos que haviam contribuído somente um ano também se aposentaram com salários integrais.

E assim por diante, até chegarmos ao deficit atual de R$ 560 bilhões por ano.

Deficit previsível desde 1923.

Deficit escondido por todos os nossos Ministros da Fazenda.

Deficit que somarão um total R$ 15 trilhões nos próximos 30 anos, por baixo.

E tem imbecil que ainda acha que os aposentados atuais não têm um problema.

O de provavelmente morrerem de fome porque essa dívida é impagável, e portanto não será paga.

Em vez de nossas contribuições serem investidas por 30 anos, para que tivéssemos recursos financeiros para arcar com essa previsível obrigação no futuro, nossos Ministros da Fazenda as usaram para “cobrir o deficit”.

Em vez de investir em empresas e debêntures de longo prazo.

Por isso nossos juros são estratosféricos.

Suas contribuições foram literalmente roubadas por todos os nossos Ministros da Fazenda do Brasil, como forma de financiar o deficit que eles até hoje dizem que não existe.

Pena que nunca estudaram, nem nossos intelectuais, a Administração Responsável Das Nações.

(Lido por 1067 pessoas até agora)

UA-1184690-14