O Estilo João Doria de Administrar

João Doria

 

Quero deixar claro que defendi sua candidatura de primeira hora” Doria é um Show” , e votei nele.

Mas me preocupa sua falta de conhecimento da administração, e que nenhum de seus assessores é formado em administração.

Eu até já lhe disse pessoalmente que seu desconhecimento da origem da palavra “gestor” lhe seria prejudicial, e não deu outra, vide a charge abaixo.

Doria está usando uma técnica de administração de 1870, Managing By Walking Around.

Em 1860 muitos donos de empresas ficavam encastelados nos seus escritórios, e não mais discutiam ou observavam a realidade.

MBWA foi a solução.

Até hoje donos de terras ensinam seus filhos, “É o olho do dono que engorda o gado”.

É esse o método que Doria está usando, visitas surpresas, acordando mais cedo do que seus funcionários, conversando com o escalão de baixo.

Esse estilo voltou em 1970 na HP, Managing By Wandering Around, ou MBWA.

Dois professores de Harvard Business School Anita L. Tucker Sara J. Singer fizeram um estudo sobre essa técnica.

The Effectiveness of Management-By-Walking- Around: A Randomized Field Study

Concluíram que “We find that the program, on average, had a negative impact on performance“.

MBWA não somente não funciona mas tem um impacto negativo na administração em geral.

Se ele quer ser Presidente da República, ele terá que mudar. Micromanagement e Corpo a Corpo bastou a Dilma.

MBWA jamais funcionará para administrar um país do tamanho do Brasil.

MBWA funciona para pequenas empresas e possivelmente uma Prefeitura.

MBWA tem efeitos efêmeros.

Até parece que dá certo, mas a longo prazo é um desastre.

Desmoraliza o segundo escalão, atrasa a comunicação de problemas importantes para a “próxima vez que Presidente Doria passar por aqui”.

 

(Lido por 3203 pessoas até agora)

14 Comments on O Estilo João Doria de Administrar

  1. É apenas uma correlação. Sarcasmo não vale. Ou sei lá… até vale quando é o único argumento que resta num debate. 🙂

  2. legal pra fazer “de vez em quando”. Se tornar frequente, o tempo de planejamento, tão ou mais importante, fica prejudicado…

  3. Muitos Top Managers ainda usam este modelo de gerenciamento. Gera resultados a curto prazo sim mas pode desmotivar ao longo do tempo. De qualquer forma ninguém jamais viu um prefeito agindo de verdade, conhecendo sua cidade bem de perto e tomando as ações devidas. Quando a situação está ruim (e aqui péssima), o modelo de gestão MBWA é muito eficiente. Parabéns ao Doria!

  4. Parece que o senhor anda com preguiça de se aprofundar nos assuntos. Seu texto não consegue convencer o leitor do título da matéria. Pena.
    Sergio Tegon

  5. Achei realmente o artigo muito superficial, analisando apenas uma característica de sua gestão. Vamos dar um tempo para o nosso prefeito mostrar resultados concretos. Estou torcendo!

  6. Prezado Kanitz,
    Não vou comentar por não ser administrador, sei que vc esta com a razão.Mas venhamos e convenhamos,, antes nunca na historia deste pais um prefeito ou outra autoridade fez, mas este esta fazendo.Vamos sim aconselha-lo para que sua performance seja ótima, Esqueçamos a presidência vamos focar na prefeitura de São Paulo, que fará uma diferença absurda frente ao resto do pais!!!!!!!!!!!!!!!!

  7. Interessante texto para reflexão, uma vez que os comentários parecem ter mais propriedade do que o próprio conteúdo do qual partiram. Não concordo totalmente com o estimado professor. Sem menosprezar seu conhecimento e experiência, parece neste assunto limitado a parte do todo.

  8. Concordo parcialmente. Não sei se apenas delegar tarefas surta o efeito desejado. Talvez umas rasantes como ave de rapina dê algum resultado prático. Enfim cada um tem o seu modo de gerenciar

  9. Pode ser que ele esteja tentando usar a técnica da Toyota, de ir ao “gemba”, ou seja, ir onde o trabalho é feito, para entender o processo e fomentar melhoras contínuas. Esse é um processo muito diferente de simplesmente “ir ver se os funcionários estão trabalhando direito”, e mais a ver com criar uma cultura de independência e aplicação de método científico na resolução de problemas. Mas eu duvido que seja isso o que se passa na cabeça dele, o que é uma pena.

  10. So esqueceu que tal prefeitura é de uma das 5 maiores cidades do mundo. Só um detalhe.

  11. Existe uma coisa intangível nessas visitas e que não pode ser calculada nem estimada. Há uma grande influência no aspecto psicológico dos “não visitados” que os faz ter medo se serem visitados. Podemos fazer um paralelo com o sistema de sorteio de revistas nas saídas dos funcionários nas grandes empresas. O sorteio aleatório, (1 a cada 100 ou 500 funcionários, por exemplo) desestimula 90% a sairem com algo da empresa. No meu entender, funciona sim! Apenas não pode ser medido.

  12. MBWA jamais funcionará para administrar um país do tamanho do Brasil.
    Concordo.

    MBWA funciona para pequenas empresas e possivelmente uma Prefeitura.
    É numa Prefeitura, e por isso ele está usando.

    MBWA tem efeitos efêmeros.
    Depende da continuidade de postura do Doria.

    Desmoraliza o segundo escalão, atrasa a comunicação de problemas importantes para a “próxima vez que Presidente Doria passar por aqui”.
    Se aplicar numa Coorporação sim, mas em se tratando de um meio gerido por políticos,
    onde provavelmente o segundo escalão foi formado por negociações políticos/partidárias
    o efeito é diferente. Tipo, é essa forma que eu quero alinhar vocês a minha forma de gerir.

Comentarios encerrados.

UA-1184690-14