O Que Nossos Presidenciáveis Fariam Nesse Caso?

 

Para poderem escolher melhor em 2018, vou iniciar uma série apontando o que cada Presidenciável faria se já estivesse no poder.

É um exercício de futurologia, sem dúvida.

Qual seria a reação de seu candidato a essa notícia de uma Renúncia Fiscal no valor de R$ 667 bilhões?

Boulos, D’Ávila, Haddad ou Wagner seriam frontalmente contra qualquer Renúncia Fiscal.

Eles fazem parte daqueles que acham que todo imposto é um direito adquirido do Estado.

Ciro Gomes, desenvolvimentista que é, concordaria com incentivos fiscais a setores “estratégicos”.

João Amoêdo é contra a cobrança desses impostos, de início, mas reduzir impostos exige aprovação da maioria do Congresso, porque implica reduzir despesas.

A melhor proposta é a de Flávio Rocha, que em vez de renúncia aumentaria o prazo de pagamento dos impostos.

Com R$ 667 bilhões seria possível aumentar o prazo do IPI e o ICMS em seis meses, irrigando as empresas com precioso capital de giro. Idem com o Imposto de Renda por um ano, como antigamente, em vez de na fonte.

Nem Renúncia seria, porque o Estado receberia esses R$ 667 bilhões depois de um ano, e o efeito no capital de giro seria para sempre.

Isso elimina Meirelles, Alckmin, Temer, Álvaro Dias, que poderiam ter implantado algo parecido mas nunca o fizeram quando puderam.

Nunca li um paper acadêmico de Giannetti ou Paulo Guedes nesse sentido, “renúncia de prazo”, o que elimina também Bolsonaro e Marina.

Um a zero até agora para o Flávio Rocha.

 

(Lido por 1480 pessoas até agora)

8 Comments on O Que Nossos Presidenciáveis Fariam Nesse Caso?

  1. Não há alternativa sem reduzir o Estado. Leiam hoje – 2feira – a coluna “Conteúdo do Leitor” no Infomoney.

  2. Todos os que estão na foto não vencerão. Mas tenho convicção, que está dupla vencedora, dará um novo rumo positivo para o Brasil.

  3. CONCORDO COM O SR. DIMAS NASCIMENTO ACIMA. É NECESSÁRIO UMA DIMINUIÇÃO BEM DRASTICA DO ESTADO E ISSO INFELIZMENTE SÓ OCORRERÁ QUANDO HOUVER UMA CONVULSÃO SOCIAL NO BRASIL. AQUI TEMOS MUITAS CLASSES QUE SE ACHAM NO DIREITO DE VIVER ÀS CUSTAS DE QUEM PAGA IMPOSTOS. A ÚNICA MANEIRA DE SE EVITAR UMA CATÁSTROFE SERÁ UMA INTERVENÇÃO RÁPIDA, DECISIVA E IMPARCIAL POR QUEM PODE FAZER ISSO AGORA.

  4. Só haverá diminuição do tamanho do Estado quando houver caos. Uma tragédia.

  5. Posso estar enganado, mas pelo que li da notícia, a desoneração vai se dar de forma específica, por setores. Acredito que o Amoedo, por ser liberal, não deverá apoiar discriminação tributária. Além disso, diversos candidatos já se disseram favoráveis a substituição da matriz tributária, o Amoedo e o Flávio Rocha defendem a criação do IVA, por exemplo, então, acho que essa questão de renúncia ainda não é definitiva.

  6. Professor Kanitz, ao dizer que o Amoedo é contra os impostos e que por isto todos eles não seriam cobrados não é uma forma simplista? Ou ele efetivamente declarou que abriria mão de toda e qualquer renuncia fiscal?

Comente

Seu email nao sera publicado.




UA-1184690-14