Entenda: O Engodo do “Multiplicador Bancário”

 

Antigamente, os bancos eram Caixas de Depósitos de dinheiro.

Não era seguro deixar dinheiro debaixo dos colchões, e as pessoas entregavam o dinheiro para as Caixas Fortes, que viriam a ser os grandes bancos de hoje.

Você entregava o seu dinheiro, o caixa anotava numa caderneta de depósito e colocava o seu dinheiro, junto com o dos demais clientes, na Caixa Forte do Banco.

Aí surgiu uma das grandes descobertas dos economistas da época.

90% do dinheiro depositado nunca saía do lugar.

A grande movimentação do retira e deposita se concentrava nos 10% de cima do dinheiro.

Isto foi visto pelos economistas e banqueiros da época como uma grande oportunidade de lucro.

Os economistas e banqueiros poderiam emprestar 90% do dinheiro e cobrar juros.

Sem você perceber.

Um ganho extra para os banqueiros. Leia http://pt.wikipedia.org/ sobre o Multiplicador Bancário.

Um banco poderia emprestar assim, dez vezes o que os depositantes lhe confiaram.

Mas para esta “lei do multiplicador” funcionar é preciso mentir, faltar com a ética, e correr um risco enorme que pode causar crises como esta que estamos passando.

Nenhum outro setor da economia, como Siderurgia, Serviços, pode se alavancar 10 vezes. O problema era obviamente o enorme risco que os economistas da época e banqueiros estavam se expondo. Por isto banqueiros contrataram estes economistas para fazerem lobby no governo.

O Estado deveria criar um Banco Central, um órgão estatal para socorrê-los quando esta mentira fosse descoberta.

Onde está a mentira?

Quando você lê o seu extrato bancário, dizendo que tem R$ 3.300,00 depositado em sua conta corrente, somente R$ 300,00 está de fato depositado no banco naquele momento.

O resto foi emprestado a juros, que você por sinal sequer receberá, apesar do dinheiro emprestado ser seu.

Você não tem um depósito de R$ 3.300,00 como induzem você a acreditar.

Você tem somente R$ 300,00.

Os R$ 3.000,00 restantes são um “a receber do banco”, com a “garantia” do dono do banco.

Uma bela diferença!

O extrato bancário é uma mentira.

O seu “saldo” não está portanto num lugar seguro, razão inicial de nossos avós depositarem o dinheiro, somente R$ 300,00.

O resto foi emprestado para a Grécia, American Airlines, e quem sabe quem.

Criou-se uma forma legal de estelionato, onde o dinheiro é roubado temporariamente para poder gerar este “Multiplicador Bancário”.

E é esta alavancagem que gera crises financeiras, nada a ver com crises do capitalismo, como os marxistas lhe fazem crer. As crises existem devido ao Socialismo estatal, devido à cumplicidade do Estado em ajudar banqueiros e economistas, e não os demais setores do país.

Vejamos o caso concreto do Banco do Brasil, um banco acima de qualquer suspeita.

Ele tem hoje 140 bilhões de depósitos à vista incluído poupança, que também é à vista.

Mas ele só tem 9 bilhões de dinheiro disponível.

Se todos quiserem sacar, como fazem em momentos de crise, o banco quebra. 

Ou quando alguém sai na Bloomberg dizendo que 150 bancos estão quebrados inclusive o FDIC. Veja o idiota que disse isto em 2008.

É este “multiplicador bancário” que tem causado uma crise mundial após outra, desde que descobriram que só 10% dos depositantes querem ver a cor do dinheiro, em média.

Este engodo original já foi tão esquecido, que a maioria dos textos sobre Multiplicador Bancário, diz que isto é devido a uma lei do Banco Central.

Por que você acha que os economistas querem ter um Banco Independente da eleição democrática? Como tem gente ingênua no mundo inteiro.

Algo para se pensar.

(Lido por 1927 pessoas até agora)

UA-1184690-14