A Nova Luta de Classes Já Começou

[pullquote]Não queria trabalhar toda a minha vida para pagar os impostos que muito só vai honrar milhões de dívidas que sua geração nos deixou como legado.[/pullquote]











Clara G escreve esta carta para o Presidente Holandde da França. Se você tem menos de 30 anos leia. O original em francês está aqui

 

“Sr. Presidente da República,

Primeiro, vou apresentar-me: sou Clara G, 20 anos, do segundo ano na Sorbonne. 

Escrevo é para explicar porque vou embora da França.

A pesquisa ViaVoice publicada em abril revela que “50% dos jovens entre 18-24 anos e 51% dos 25-34 anos de idade querem se mudar da França”.

Isso provavelmente vai chocá-lo, mas a primeira razão são estes impostos.

Não queria trabalhar toda a minha vida para pagar os impostos que só vão honrar os 1.900.000 milhões de dívidas que sua geração gentilmente nos deixou como legado.

Se essa dívida tivesse sido usada para investir e planejar o futuro do país, se eu tivesse a possibilidade de desfrutar um pouco, não iria me chatear em pagar.

Mas estas dívidas só serviram para permitir a sua geração viver acima das suas possibilidades, para garantir um generoso bem-estar que eu não terei direito.

Meu trabalho vai ter que pagar a sua pensão, já que vocês não se preocuparam em acumular capital, e todos os custos de saúde.

Eu li há poucos dias um estudo do economista Patrick Artus: “Com o baixo crescimento potencial e o o envelhecimento da população, o jovem francês tem a perspectiva de ficar estagnado para sempre”

Admitia que não é um projeto de vida muito gratificante.

Mas a coisa mais deprimente é saber exatamente o que será feito da minha vida se eu ficar na França.

Depois que eu me formar, com meus lindos diplomas inúteis, provavelmente vou juntar-me às fileiras de jovens desempregados.

É por isso, Sr. Presidente, eu acho que vou deixar a França.

Eu irei para onde?

Alemanha, Canadá ou Austrália. Ou, para um país em desenvolvimento. Na África, por que não?

Ao contrário de você, eu não vejo a globalização como uma ameaça, mas como uma oportunidade.

Mas certamente esta oportunidade não está na França, que faz de tudo para proteger onde os seus ministros e companheiros socialistas passam o tempo.

Eu quero viver em um país onde há crescimento, onde os salários aumentam, em que ser rico não é considerado um pecado mortal, especialmente num país onde há um sentido tanto individual como coletivo que amanhã será melhor que hoje.

Você pode dizer que eu perdi o sentido mais básico da solidariedade nacional, eu sou terrivelmente materialista e egoísta.

Mas o meu egoísmo é nada comparado com o egoísmo demonstrado por seus antecessores e de si mesmo, que sacrificaram a nossa geração, desperdiçando dinheiro público para não ter que tomar decisões difíceis.

Eu pensei que, Mr.Hollande, você iria “mudar as coisas” e que você daria alguma esperança aos jovens que não pode prescindir.

Vi hoje que apesar de seus grandes discursos inflamados sobre a juventude, em um ano a França envelheceu dez anos.

 Que pena! Que confusão!

Isso é o que você queria dizer, Sr. Presidente, já que sou mau cidadão um expatriado eu quero ser.”

Clara

 

(Lido por 47 pessoas até agora)

16 Comments on A Nova Luta de Classes Já Começou

  1. “Entretanto, aqui realmente precisamos mais do pensamento no coletivo…” São pessoas assim que ferram com um país. =/
    Luis, para poder ajudar os outros precisamos antes ficar ricos. Um pobre ajudando um pobre não é lá muita coisa, agora um rico ajudando um pobre, aew sim podemos fazer uma diferença. País como Austrália, Canadá Nova Zelândia, como postado no texto, são países no qual o governo incentiva o empreendedorismo e o capitalismo ao máximo possível, e com esses recursos eles investem no social. Pensamentos como o seu só leva ao empobrecimento de toda a população, no qual ficam 6 horas na fila para receber o ticket governamental para receber ração. Sério mesmo, procure uma forma de tirar essas idéias marxistas de sua cabeça, o Brasil está ferrado D+ por conta desse pensamento.

  2. “Entretanto, aqui realmente precisamos mais do pensamento no coletivo, e não na individualidade, uma vez que, uma minoria da população concentra grande parte da riqueza da nação.”

    Percebe que esse é o mesmo discurso dos socialistas mais ferrenhos? E é com esse discurso que eles justificam a cobrança cada vez maior de impostos, que sacrifica o futuro dos mais jovens.

    No Brasil, se tirarmos a corrupção (vamos supor que temos corrupção em níveis “aceitáveis”), ainda teríamos um enorme problema com rombo causado pois estão “desperdiçando dinheiro público para não ter que tomar decisões difíceis”. A questão que ela coloca não é sobre corrupção, são as aposentadorias extremamente altas bancadas com recolhimento de impostos da população, gastos do governo com coisas inúteis como propaganda, entre outras coisas.

    Temos os mesmos problemas no Brasil, agravado pela corrupção.

    Entenda que o problema não é a má distribuição de renda, ou concentração da riqueza por uma minoria, o problema é o uso errado do dinheiro do contribuinte, que sufoca principalmente os mais pobres.

  3. No texto existem algumas relações com o Brasil. Entretanto, aqui realmente precisamos mais do pensamento no coletivo, e não na individualidade, uma vez que, uma minoria da população concentra grande parte da riqueza da nação. No Brasil,o governo e o sistema estão altamente infectados com a corrupção, diferente da França onde a percepção de corrupção é baixa. Lá, eles têm um direcionador das políticas públicas, aqui, é esse caos onde tudo anda e para. Ela tem razões para sair da França,mas se viesse pro Brasil, tenho certeza que não duraria 6 meses.

  4. Qualquer semelhança quanto a pagar dívidas que não contraímos por vontade própria é mera conincidência não acham?Alguém aqui vê semelhança com um tal Brasil?

  5. O endividamento público das gerações passadas a ser arcado pelas gerações seguintes é um assunto em que o Sr. Kanitz vem batendo repetidamente neste Blog.

    Me surpreende alguns comentários. Parece que os posts antigos deste blog não foram bem compreendidos.

    O texto dela foi bastante objetivo e racional. Ela não quer trabalhar para sustentar os benefícios dos outros, algo que fazemos no Brasil. Expressou bem sua opinião na passagem “Mas o meu egoísmo é nada comparado com o egoísmo demonstrado por seus antecessores e de si mesmo, que sacrificaram a nossa geração, desperdiçando dinheiro público para não ter que tomar decisões difíceis”.

    Pior ainda as acusações idiotas para com a garota: “patricinha, filhinha de papai”, principalmente por “revolucionários de sofá” (vídeo irônico muito bom sobre isso : http://www.youtube.com/watch?v=E-vTN_UuDmM&feature=c4-overview&list=UUddYq41_tZ1FnLlguLT6-Ow ).

    Quer mudar alguma coisa?

    Se for pela via democrática, se candidate!

    Organize em grupo ou partido, divulgue suas ideias e peça voto!

    Bem simples! Comece tentando mudar sua cidade, como vereador.

    Reclamar é fácil, difícil é arregaçar as mangas e de fato fazer alguma coisa! Aliás, a democracia no Brasil funciona muito bem. Nós costumamos acusar os políticos, mas eles são nosso espelho do Povo.

    Entretanto, ser revolucionário de sofá e achar que isto serve de alguma coisa é pura estupidez!

    Daí a sensatez do texto da Clara G..

    Como ela não é uma revolucionária do sofá e nem pretende trabalhar para sustentar a máquina francesa, decidiu ir embora.

    Simples! Fico triste quando vejo que muitos pensam que vestindo a camisa do “che” e se declarar comunista serão pessoas de atitude.

    Vejam o exemplo deste rapaz : http://www.youtube.com/watch?v=pts3A_cV40M

  6. Menina,

    Procure alistar-se no próximo voo para Marte, porque aqui na Terra este lugar que vc procura não existe. Em todos os países, ou se tem corrupção desenfreada, que exige mais e mais impostos, ou se corrupção desenfreada com genocídios, ou ainda corrupção desenfreada com sistema de espionagem de sua privacidade.
    É só escolher.
    Marcos

  7. Eu gostei desta matéria e da opinião da escritora ; foi divulgada por algum órgão de imprensa brasileiro? creio que é um problema também dos brasileiros pois nós não concordamos com a má utilização do erário público em obras super faturadas, licitações fraudulentas, entre outras. Contudo, mesmo não concordando, temos de bancar todos os custos da má administração e como se não bastasse, nem podemos protestar! este é o meu manifesto.
    obrigado

  8. Exatamente! Achei interessante ela não querer ir embora para os EUA, engraçado…

  9. Garota inteligente,citou até a Africa e não citou o Brasil,mais um governo petista e o Antunes muda de opinião,ou virá politico e vai trabalhar no instituto lulla(com letras minusculas mesmo).Será lobistas de banqueiros e empreiteiras como o chefe

  10. Oh meu caro Antunes, não nos revotemos com a Patizinha … rs ….

    Enquanto nós lutamos no Brasil, mesmo que ainda pouco … estamos lutando.
    Enquanto aconteceu a primavera Arabe, Revolução da Libia, Egito.

    Ela estava em casa ocupada arrumando o cabelo.

    E Mestre Kanitz … isto não é o exemplo de luta entre as classes, a luta entre as classes começou quando nós nos revoltamos não em ajudar uma classe mais necessitada, e sim quando nos indignamos a sustentar uma classe de politicos corruptos e corruptores, quando temos que sustentar a maquina publica, quando nos temos que pagar cerca de R$ 1.000,00 para um professor, 1.400,00 para um policial, ter a população se considerando bem remunerada quando ganha cerca 2.500,00 enquanto deputados e senadores recebem mais de 25.000,00

    Isso merece uma verdadeira luta entre classes.

    AAHH … e um recado …. Vem pro Brasil Clara G ….. aqui não acontece nada disso que ta acontecendo na França.

  11. “Ou a França muda suas políticas sociais ou vou embora”. É uma piada? Não quer pagar impostos meu bem? Não gosta do bem estar social? Prefere a África? (Essa foi a maior piada). Parabéns por ter publicado este texto. Fiquei mais comunista do que já era.

  12. E ela acha que indo pra Alemanha ou Canadá não vai pagar imposto pra pagar dívida também? Como tá enganada. O problema é sistêmico.

  13. Perfeito, Antunes ! Parece discurso mesmo de filhinha de papai inconformada…confunde os problemas do sistema e da própria globalização (capitalista) com as ações “socialistas” (que não são de fato) francesas. O mesmo discurso caberia bem nos EUA e alguns outros países desenvolvidos da europa que não são nada “socialistas”. O mundo tem que rever seus conceitos e tb suas ações políticas e tentar uma outra via que não seja uma dessas duas…bem, hoje eu fico com a social-democracia (apenas pq é o termo atual mais adequado) dos países escandinavos…há 70 anos conseguiu implantar algo inimaginável…capitalismo-social ou socialismo-de- mercado, como queiram…e a China está caminhando para algo parecido….estudem e verão ! Abs. Galhardo.

  14. Texto impecável. Até chegar nesta parte … (…) Eu pensei que, Mr.Hollande, você iria “mudar as coisas” e que você daria alguma esperança aos jovens que não pode prescindir. (…)

    Me parece que tudo que está ocorrendo por lá está de acordo com o que pensa o presidente (e a maioria que votou nele !). Então, pode-se argumentar que o modelo está errado mas não que as decisões do governo estejam em desacordo com o que foi inicialmente proposto (e o mesmo vale para o Brasil e o seu governo petista).

  15. antunes73, ela é tão jovem e já tem mais visão que você!

  16. Covarde. E preguiçosa. Digo isso pois só considero válido a desistência e fuga apenas após uma árdua luta. Que não parece o caso. Filhinha de papai que apenas começou a cair na real e já vai procurar um lugar pronto. Não passa pela cabeça dela o potencial político que esses 50% que ela cita poderem mudar seu país? Tão jovem e já desistiu? Tão jovem e não conhece o significado da palavra “revolução”?

Comments are closed.

UA-1184690-14