O Islamismo e a Distribuição da Riqueza

 

Um bom exemplo de como seria uma sociedade onde a riqueza é bem distribuída é o Islã.

Mas veja como ela está hoje.

No Islã os 10% mais ricos, aqueles que detêm normalmente 40% da renda, podiam casar até quatro vezes. A condição era demonstrar capacidade financeira.

Eu acho mais do que uma coincidência este número quatro, que bate com a regra de Pareto. 20% dos clientes trazem 80% das receitas.

Com quatro esposas, a próxima geração inicia zerada, ou cada grupo de filhos por esposa com 10% do PIB.

Melhor que imposto de herança ou imposto progressivo sobre fortunas.

No cristianismo isto não é possível e, por conseguinte, a riqueza dos 10% passa diretamente para a segunda geração na proporção de 1 para 1 e não 1 para 4.

Portanto, não é exatamente o capitalismo ou socialismo que também concentram renda na mão do Estado, os grandes culpados pela má distribuição da riqueza, mas sim a monogamia.

Mas em regimes não monogâmicos, 30% dos homens mais pobres conseguem pelo menos uma mulher para casar, algo negado no islamismo histórico.

Mas algo me diz que 1000 anos de renda bem distribuída no islamismo não melhorou a situação dos mais pobres, não aumentou a meritocracia nem a democracia, como previam Karl Marx e Piketty.

E a um custo genético tremendo para 30% dos homens, algo que nem Hitler fez.

No capitalismo temos algo semelhante quando ricos se separam quatro vezes, e como sabemos não há patrimônio que resista a quatro advogados de família. Mas é isto que queremos.

Algo para se pensar.

 

(Lido por 225 pessoas até agora)

14 Comments on O Islamismo e a Distribuição da Riqueza

  1. Existem provas que até 10.000 anos éramos basicamente polígamos, que é o dimorfismo sexual, onde o homem se tornou 4% mais alto que a mulher.
    Pássaros monogamicos são da mesma altura. Com a agricultura passamos a ser monogamicos, e é aí que surge o homem tipo P.

  2. Calma Djalma, ninguém está a favor da poligamia ocidental. Somente apontando que uma das consequência da monogamia é a acumulação da riqueza para aqueles que terão menos filhos que no islamismo.

  3. Exatamente. Os ricos continuariam beneficiando seus filhos, dando a melhor educação, mas isto é melhor do que dar dinheiro

  4. Caro professor, penso que 4 esposas é de interesses também das mulheres. Pelo menos quando o marido é um TDAH, difícil de suportar. As mulheres podem repartir fraternalmente um marido, cada semana uma suportaria o chato de galochas.

    Mas estou interessado na questão da repartição de renda, via ação estatal. Em 1988, com a Constituição Cidadã (segundo um cidadão que morreu quando usava um helicóptero de empreiteira como transporte público), As heranças, mais do que repartição de renda, são repartição de renda acumulada. Como a tributação direta é menos injusta que a tributação sobre o salário, via consumo de mercadorias (ICMS), alguns estados tentaram estabelecer um tributação forte sobre as heranças. Logo em seguida a RESOLUÇÃO N. 9 – DE 1992 estabeleceu alíquota máxima para o Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação em oito por cento, a partir de 1º de janeiro de 1992.

    Ora, considerando que houve um brutal enriquecimento dos mais ricos nos últimos 22 anos, uma boa forma de distribuir renda pode se dar pelo aumento da tributação dos defuntos ricos, nas pessoas de seus herdeiros! 9%, 10% 11% e 12% nos próximos 4 anos, permitiria uma redução na fome do gigante Pantagruel por tributar a renda do salário.

  5. Você acabou de confirmar o que eu disse: que ter opnião divergente no Brasil é quase um crime. Sobre a “anta”, imagino que você estava se olhando no espelho quando escreveu aquilo. Eu é que digo: até nunca mais, adiós!!!

  6. Não estou a fim de polemizar quer com vc, quer com qualquer outro. Entretanto, três reparos: a) o fato de eu ter ridicularizado seu argumento referente ao dinheiro não significa que eu priorize a economia em relação à família; sua conclusão é absurda; b) gerar conhecimento através da discussão e do debate pode acontecer mas depende com quem vc debate; com uma anta certamente não acrescentará nada ; finalmente c) vc errou redondamente quanto ao meu posicionamento político. Parafraseando o Maluf, eu diria que é possível existir um anti-petista como eu, mas mais anti-petista, impossível. Adeus!

  7. penso que o senhor julio winck foi sim que aproveitou e mal a oportunidade de manter sua opinião dentro dos limites do respeito, se não gostou das palavras do senhor rafernandes, é uma questão meramente subjetiva, o que não justifica ofender a militância petista ou pouco caso fazer do islã, até porque Ele não merece nem deve ser referido de forma tão grosseira como o senho fez. me permito supor até que o senho tenha saudadedaquels anos.

  8. Caro Rafernandes, imagino que você deve ser o tipo extremamente pragmático, objetivo e 100% focado em metas. Parabéns, vá em frente. Eu prefiro buscar sempre o equilíbrio de todos os aspectos da vida. Mas, se você coloca preocupações econômicas acima de tudo, inclusive da própria família, eu respeito, sem problema. O que não fica muito bem é você discordar de um comentário da forma debochada como você tratou o meu acima. Outra coisa, o Prof. Kanitz escreve muitíssimo bem mas não é perfeito, tanto é que ele abre espaço para os comentários, e se você não sabe a diferença entre absorver informação e gerar conhecimento, eu te explico, meu caro: informação é obtida na simples leitura, conhecimento é gerado quando discutimos e debatemos de forma respeitosa certo assunto. Você parece um militante petista com esse seu comentário debochado. Moderação faz bem. Foi um desprazer conhecê-lo!

  9. WOW!!!!! A gente sempre tem mais alguma coisa para aprender….segundo o nosso amigo Winck, quem criou o dinheiro foi “a mente egoista e escravocrata de um certo tipo de ser humano”. Às vezes eu me espanto em constatar ser possível alguém ter sido alfabetizado e, ao cabo de alguns anos de escola, ser ainda capaz de produzir uma pérola dessas. Ainda por cima num blog como este. Faça-me o favor, Sr. Winck…

  10. Não entendi bem onde vc quis chegar com essa argumentação mas parece estar em linha com a idéia de que a poligamia está de acordo com as leis da biologia, segundo as quais quanto maior a variabilidade genética, maiores as chances de adaptabilidade da espécie. Assim, quanto mais vc espalhar o seu DNA, melhor para a espécie. Minha mulher ficou furiosa com essa teoria altamente científica!!

  11. Caro Djalma, queria ver você “curtir” a poligamia islâmica se tivesse nascido pobre em qualquer país do Oriente Médio. O máximo que você iria arranjar seria um cargo de homem-bomba, para depois ser recebido por Alá no paraíso com 70 virgens.

  12. As necessidades sexuais dos homens é muuuito diferente das mulheres, por suas naturezas. Os cristãos tem ‘valores’ diferente dos muçulmanos (homens e mulheres). Apreciado professor parabéns pelo posicionamento e incentivo à poligamia ocidental. Mulher é bom, é ótimo.

  13. Professor, sinceramente, o ser humano é muito mais complexo do que isso. Nem todos os homens têm disposição (e muita paciência) para aturar os humores diferentes de 4 mulheres. Muitas vezes, por mais que se goste de mulher, já é duro aguentar os momentos de mau humor de uma única mulher, imagine várias esposas. Outra coisa, seres humanos são muito diferentes, com perspectivas diferentes e separados por 4 temperamentos bem antagônicos, alguns são mais egoístas e muito ambiciosos, outros prezam mais o convívio e harmonia familiar etc. Veja que muitas vezes até irmãos não se entendem. Outra coisa deve ser levada em conta, por mais absurdo que seja, mas tem pessoas que não gostam de sexo e nunca casam. Nunca conheci uma pessoa que não goste de música, mas pessoas que não gostam de sexo é mais comum do que se imagina. Acho que dessa vez o senhor complicou e foi bem pouco claro. A vida não é só criação de riqueza, até porque a natureza não criou o dinheiro, mas sim a mente egoísta e escravocrata de um certo tipo de ser humano.

Comente

Seu email nao sera publicado.




UA-1184690-14