O Mito Do Basta Reduzir Os Juros

[pullquote]A função Social do Capital é gerar empregos e produtos para a população.[/pullquote]

A maioria das pessoas que não estudou administração financeira, acha que o Banco Central pode reduzir os juros simplesmente por decreto, e que nada aconteceria de ruim, só de bom. Santa ingenuidade!

Acham que os investidores irão aceitar os juros menores numa boa, e não mudariam de posição, tipo comprando ações de empresas, que rendem dividendos de 3% por ano, correção monetária de 5%, mais crescimento de 6%.

Vivem lendo livros americanos.

No Brasil, quando nossos desenvolvimentistas conseguira desviar recursos que normalmente iriam para o mercado de capitais e de investimento de empresas, para serem aplicados em títulos do governo.

Fizeram isto oferecendo juros estratosféricos de 25% ao ano, como no governo FHC. Investir na Bolsa, só malucos e éticos como eu.

Então, por que estes recursos não voltariam à sua origem se os juros caírem?

Segundo Celso Pastore, porque todo “agente econômico” se preocupa com seu fundo de aposentadoria, e se os juros caírem, ele terá que comprar mais títulos públicos e não menos.

Só que a maioria dos brasileiros não tem essa preocupação, só os americanos e Miller & Modigliani.

Decida você, quem está mais certo. Isto porque ambas as teorias têm um fundo de verdade.

Mas qualquer que seja a sua resposta, não faz parte da função Social do Capital financiar tecnocratas no governo, pagando salários atrasados com dívidas públicas.

A função Social do Capital é gerar empregos e produtos para a população.

Cite um único produto criado pela nossa Dívida Interna Estatal.

Portanto, uma forma de reduzir os juros é chamando o blefe dos banqueiros, e saldando, de fato, boa parte da dívida.

E aqui vem a pegadinha, que ninguém jamais escreveu, nem eu. Portanto, preste atenção.

Quando a dívida vai reduzindo de 55% para 50% do PIB, os juros vão caindo de 18% para 16%, mais ou menos proporcional.

O que acontecerá quando a dívida cair de 40% do PIB, que é o nível de agora, para 20% do PIB?

Aos 20%, ele cai não mais proporcionalmente, mas cai praticamente para zero. Digamos 0,5%, como é hoje no Japão e nos Estados Unidos.

A pergunta é: por que estes 20% são mágicos?

Talvez no Brasil seja mais alto, tipo 25 a 30%. Mas o que acontece nestes níveis?

Vocês que são jornalistas, perguntem a qualquer administrador financeiro do Brasil.

Todos sabem a resposta há mais de 500 anos, menos os desenvolvimentistas que vocês entrevistam até dizer chega.

Será um furo jornalístico.

Há 500 anos ninguém noticiou algo igual.  Ou aguardem o próximo blog, e aí o furo será só meu.

 

(Lido por 29 pessoas até agora)

UA-1184690-14