Empresas Familiares e Corrupção Brasileira

[pullquote]Empresas de Capital Democrático, sem um dono controlador, dificilmente corrompem[/pullquote]

 

 

 

Tempo de leitura: 45 segundos

 

 

Mais uma empresa de controle familiar, a Gerdau, é acusada de corrupção, se juntando à Odebrecht, OAS, Camargo Corrêa, todas as empresas de controle familiar.

A decisão de corromper é tomada fora da empresa, normalmente no almoço da família aos domingos.

O controle de mais de 51% do capital significa que ninguém mais precisa ser consultado. 

Empresas de Capital Democrático, não têm um dono controlador, mas dezenas de milhares de pequenos acionistas, onde 51% teriam de concordar com a corrupção.

E nas Empresas de Capital Democrático, o presidente não é um membro da família Gerdau ou Odebrecht, mas deveria ser um administrador profissional, formado nos cursos exigidos pela nossa profissão, que inclui Ética, Direito Criminal, e vários casos concretos das consequências da corrupção.

Nada disto é ensinado na maioria dos cursos de engenharia e economia, profissões mais frequentes de nossos presidentes de empresas.

Uma das razões da corrupção no Brasil é que nós ainda não fizemos a transição da empresa familiar, onde um dono manda, para uma empresa de Capital Democrático, chamada erroneamente de Capital Aberto. 

A IBM apesar de ser a maior fornecedora de computadores para o governo brasileiro, jamais aparece como pagadora de propinas. 

Estas empresas são dirigidas por administradores que recebem salários elevados e não têm incentivos como donos a se envolver com corrupção. Não compensa.

Não é por acaso que a Petrobras também é uma empresa com um dono só, o Ministro da Fazenda e a Presidência da República, e a Dilma fez o que queria.

Por que o Brasil ainda não fez a transição da empresa de controle familiar para a empresa de controle democrático, onde a intenção de corromper teria de ser às claras e aprovada por 51% dos acionistas?

Porque infelizmente, a lei 7988 de 1945, a Lei que criou a Profissão de Economista, mandou fechar todas as nossas escolas de administração, sic.

E as milhares de empresas que estavam tentando se profissionalizar ficaram sem profissionais na área.

Esta mesma lei gerou empresas ineficientes, incapazes de competir, e precisando corromper para sobreviverem. 

Esta mesma lei é uma das razões da perpetuação da empresa familiar, do empresário manda-chuva, das inúmeras falências de empresas familiares, como a Matarazzo, por falta de corpo técnico, que não temos até hoje por sinal.

Já leu o parágrafo 9 da lei? Ainda não?

Você jamais entenderá a verdadeira história do Brasil, nem do verdadeiro “golpe” que deram neste país e que perdura até hoje.

O link está acima. 

(Lido por 424 pessoas até agora)

UA-1184690-14