Nem Capitalismo, Nem Socialismo


Os festejos sobre a queda do Muro de Berlim cessaram com a Queda de Wall Street em 2008.

Muitos, como Krugman, acham que regulamentos mais fortes do Estado, Keynesianismo e acadêmicos no comando poderão domar este Capitalismo fracassado.

A Crise da Europa de 2010, causada por dívidas públicas e não privadas, dívidas contraídas para financiar déficits públicos mostram o outro lado.

Ambos os Capitalismos, o de Mercado e o Capitalismo de Estado fracassaram, e você que é jovem vai torcer por qual, qual o futuro que te espera?

Primeiro vamos ver o que fracassou.

1. A ideia de Alan Greenspan e de muitos neoliberais, que o mercado se autoregula, se auto corrige. Não aconteceu.

2. A ideia que o Banco Central, o FED, o SEC, a Sarbanes Oxley, leis e regulamentos, que controlariam o capitalismo de mercado, estabelecendo regras de comportamento. Não aconteceu.

3. A ideia que professores das melhores universidades dos Estados Unidos e o professor que mais havia estudado a Crise de 1929, Prof. Bernanke, poderiam evitar crises futuras, usando os conhecimentos da ciência e controlar o futuro. Não aconteceu.

4. A ideia que 120 intelectuais e acadêmicos estrategicamente colocados no FMI, BIS, FED, SEC, BC, BNDES, Ipea, Petrobras, Ministério da Saude, Anvisa, Ministério do Planejamento do Brasil, cresceríamos como a China. Não aconteceu.

Agora veja a tônica das soluções para a crise de 2008.

1. Imprimir bilhões de dólares em moeda chamados QE 1 e 2, o que é um crime contra a credibilidade da moeda, por intelectuais nos garantem por A mais B que não gerará inflação no futuro. Será?

2. Que precisamos de mais leis como a Dodd-Frank, mais órgãos supervisores, Basileia II e IV, mais órgãos de fiscalização. Será?

Uma das grandes descobertas da ciência da Administração foi que controlar o produto depois que ele foi produzido não funciona. 

Testar produto por produto para saber se ele está dentro do 1% permitido de margem de segurança, dentro dos regulamentos e punir os funcionários faltosos, que é o modelo que se propõe para esta crise, não funciona. 

Por isto, desde 1980 administradores focam fiscalizar os insumos e não o produto final.

Os insumos sendo de qualidade, os processos sendo de qualidade, o produto também o será.

Hoje, nem testamos os produtos que saem de linha. Nem ligamos o motor.

Este deveria ser o caminho para resolver a crise do sistema financeiro de 2008.

Avaliar melhor os insumos, e os processos.

Criar padrões mínimos de competência na hora de admitir funcionários.

Cientistas de física que nunca estudaram ética nos negócios, nerds quantitativos com suas teorias de “cópulas gausianas”, que nunca aprenderam Administração Creditícia, nem Administração Financeira, é obviamente a causa desta enorme crise financeira. Um erro que precisa ser corrigido.

E como estes indivíduos são promovidos? Que treinamento tiveram?

Pode-se notar que nenhum dos diretores da Lehman Brothers teve Cursos de Liderança, como Administrar uma Crise, Contabilidade de Custos. Quatro dos cinco Diretores eram bacharéis em economia, nunca aprenderam a administrar um banco.

1. O mundo não consegue ser entendido e controlado por 120 intelectuais bem intencionados e honestos, vindos das melhores universidades. O mundo é complexo demais para uma elite entender.

2. O mundo precisa é de 120 milhões de “administradores socialmente responsáveis” treinados para garantir que os insumos do Capitalismo de Estado ou de Mercado sejam de qualidade.

3. Não existe esta tal mão invisível do mercado pregado pelos neoliberais, nem a mão visível do Estado provou ser capaz de resolver a crise depois que ela ocorreu.

4. Não existem Medidas Macroprudenciais, Planejamento Centralizado, Políticas Monetárias que funcionam.

O mundo precisa de Micro-Management, presente, visível, na figura de um profissional treinado eticamente para tal. A opção é sua. 

(Lido por 203 pessoas até agora)

UA-1184690-14