A Ignorância Como Pecado

 

Muitas religiões condenam atitudes como a cobiça, a inveja, a idolatria, adultério e roubo.

Curiosamente, somente as religiões orientais condenam a ignorância como um mal a ser extirpado.

Naquela época, ignorância não significava desconhecer Kant, Platão, Aristóteles, ou os livros clássicos.

Ignorante era aquele que não sabia cuidar de si.

Era aquele que não aprendia com suas próprias experiências, que não aprendia com seus erros.

Hoje, ignorante é aquele que não aprende o que nossos intelectuais escrevem.

Mas as religiões orientais dão ênfase ao auto conhecimento e à integração dos sentidos com a realidade.

Aprender e ser ensinado são bem mais distantes do que se imagina, a grande diferença entre o Ocidente e o Oriente.

Todo leitor já deve ter visto na TV e no cinema um guru budista dizer algo enigmático ao seu pupilo, para que ele decifre sozinho o significado.

No Ocidente dos intelectuais, se um aluno chegar às suas próprias conclusões será reprovado na certa.

Ensino é repetir o que os professores acham que tem de ser aprendido.

Observar por si mesmo a realidade, pensar, refletir, permitiria que os nosso alunos contestassem algumas mentiras ensinadas.

A ignorância começa justamente aí, aprender a não ser enganado.

Quando se estuda o caráter nacional brasileiro, percebe-se que a característica central do brasileiro é a de imitar o estrangeiro no intelectual.

Casa Grande e Senzala diz aptidão para imitar.

Borges Lagoa diz que somos copiadores.

Em Raízes do Brasil, Sergio Buarque de Holanda afirma que somos desterrados na nossa própria terra.

Não sabemos observar a nossa realidade, ficamos lendo livros de Karl Marx, Maynard Keynes e Milton Friedman para pegar as três grandes vertentes políticas, e achamos que as leis são transculturais, universais.

Assim, nosso intelectual não precisa pensar. Basta repetir algumas frases em inglês e francês. Très chic!

Nosso povo é presa fácil daqueles que prometem fazer tudo em nome deles.

Por isto temos tanta corrupção, enganação e nossos serviços públicos não funcionam.

Não poupe para a velhice, porque nós cuidaremos de você.

Não se preocupe com sua saúde, que nossos médicos cuidarão de você.

Não eduque seus filhos com seus valores pessoais, que nossos professores os educarão com outros valores que não os seus.

Não se preocupe em trabalhar com esmero, que nós lhe daremos seguro desemprego.

Não aprenda a se defender dos bandidos, que nossa polícia cuidará disto.

Um país para dar certo não depende de 100 intelectuais no poder, inteligentes e preparados para comandar a sua vida.

Quanto mais outros pensarem por nós, decidirem por nós, mais ignorantes ficaremos.

Noventa por cento de um jornal não discute o que você deveria fazer com sua vida, mas sim o que governo e seus intelectuais estão pensando em fazer para ou contra você.

Países que dão certo são aqueles que acreditam e incentivam a sabedoria do povo.

commom sense dos ingleses é a sabedoria do povo, não a sabedoria dos intelectuais dominantes.

Hoje, nosso povo não decide absolutamente nada.

Não é o povo que decide onde aplicar seu FGTS, nem seu fundo de aposentadoria.

Nem quem será o professor dos seus filhos ou quem será seu médico.

Ele não aprende nem a entender contratos, porque a maioria dos contratos é com o próprio governo.

Leia o contrato que você assinou com o FGTS para cuidar do seu dinheiro.

Com o governo é tudo contrato de adesão, não tem discussão.

Estão condenando nosso povo à eterna ignorância.

É a falsa consciência em reverso.

Precisamos criar uma nova religião neste país, uma que coloque como primeiro mandamento o combate à ignorância, para salvar o povo de seus falsos salvadores.

Aqueles que pregam o altruísmo para tirar dinheiro dos seus filhos.

Portanto, como primeiro passo pare de ler estes meus artigos e comece a observar o que estão fazendo com você e seus filhos.

Aprenda a poupar, a cuidar da sua saúde, do seu fundo de desemprego e aposentadoria.

Eu sei que isto é chato e difícil, mas você um dia vai me agradecer.

  

(Lido por 566 pessoas até agora)

4 Comments on A Ignorância Como Pecado

  1. Ontem uma colega de aula fez a seguinte pergunta:
    – Posso deduzir que ….?
    Está tão explícito que não devemos deduzir, se quisermos ser aprovados, que, quando a dedução ocorre, talvez pela obviedade, é preciso ter permissão para mantê-la.

  2. Kanitz este é um dos artigos que deveria estar entre os mais divulgados. Seria bom que a ignorância fosse mal vista, e a busca do conhecimento internalizada na cultura.
    As religiões têm grande papel na formação da cultura. Porém na cultura ocidental as religiões predominantes não tinham o interesse de um povo culto e sim de um povo obediente. O que vigora até hoje.
    A religião se diz completa, e se é completa não precisa se adequar a nada, as pessoas é que têm que se adequar a ela.
    Como vivemos no mundo real (e não no idealizado) se cria um conflito interno entre as realizações do mundo real e as realizações da espiritualidade, que não permite inovações.

  3. “Portanto, como primeiro passo pare de ler estes meus artigos e comece a observar o que estão fazendo com você e seus filhos.

    Aprenda a poupar, a cuidar da sua saúde, do seu fundo de desemprego e aposentadoria.

    Eu sei que isto é chato e difícil, mas você um dia vai me agradecer.”

    Acredito que foi desafiador … isso é louvável, então na contra mão eu o desafio …. pare de escrever, para de ensinar e ajudar as pessoas a refletirem !!!!

    Kanitz , você coloca sua opnião independente de venha a ler, assim como você utiliza títulos marcantes, para que assim o artigo seja lido até o fim, e eu acho muito interessante sua estratégia, assim como André Manfredini nosso companheiro leitor colocou a biblia ensina muito sobre dinheiro, saude, familia entre outros, porem o senhor não é um teologo logo seu objetivo não duvidar da eficiencia da biblia, ou da religiao e sim forçar as pessoas a chegarem as suas proprias conclusoes. Logo eu digo, você continuara escrevendo e nos contiuaremos lendo por que precisamos de duvidas ….. porque o que nos move não sao as respostas … e sim as perguntas.

    E frisando o fato inicial de pensamento intelectual no brasil, durante minha graduação foi solicitado um trabalho … um Artigo, eu o fiz da forma que mais gosto, como tinha um conhecimento na linha de pensamento do trabalho não utilizei nenhum livro nem site para reforçar meu ideal. Logo a primeira pergunta do meu professor foi : Cade as referencias Bibliograficas ? … eu respondi não utilizei nenhum livro, e ele me desanimou totalmente me respondendo. Não posso aceitar trabalho que não tenham embasamento bibliografico.

    Se eu não posso expor minha teoria, meu pensamento, meu ponto de vista, Pra que eu estou estudando ?

    Bom … pra me formar, peguei alguns livros, sites, e readaptei o meu trabalho.

  4. Querido Kenitz, pude perceber que o amigo não enquadrou as religiões cristãs como orientais, em que pese terem sua origem no oriente médio (região da Palestina) e, nesse sentido, vou esclarecer alguns pontos com versículos Bíblicos: O meu povo (de Deus) perece (sofre, é destruído), porque lhe faltou o conhecimento… – Oséias 4:6a; A sabedoria é a coisa principal; adquire pois a sabedoria, emprega tudo o que possuis na aquisição de entendimento – Provérbios 4:7; Com a sabedoria se edifica a casa, e com o entendimento ela se estabelece – Provérbios 24:3; O temor ao Senhor é o princípio do conhecimento; só os loucos desprezam a sabedoria e a instrução – Provérbios 1:7; Porque melhor é a sabedoria do que os rubis; e tudo o que mais se deseja não se pode comparar com ela – Provérbios 8:11; Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria -1 Coríntios 1:22; e mais uns 350 versículos sobre o assunto.Quanto a administração de finanças olhe o ensino de Jesus: “Porque isto é também como um homem que, partindo para fora da terra, chamou os seus servos e entregou-lhes os seus bens e a um deu cinco talentos (medida monetária da época), e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade. Mateus 25:14 e 15; Meu prezado articulista gostaria de convidar o amigo a comprar um Bíblia com linguagem atualizada e iniciasse a leitura no Livro de Provérbios e, se desejar, pudesse conversar comigo sobre qual a sua avalização sobre o que a Bíblia diz e ensina sobre o conhecimento, sabedoria e administração financeira; Para que vc tenha uma ideia, Howard Dayton (escreveu “O Seu Dinheiro”) pesquisou sobre finanças bíblicas e descobriu que: na bíblia toda existem mais de 2.350 versículos que tratam de administração, contabilidade e finanças. No Novo Testamento 215 versículos estão relacionados à fé, 218 falam de salvação e 2.084 versículos tratam de administração, contabilidade e finanças. Se vc acredita que Deus (do cristianismo) existe, com certeza Ele não ia querer seus “filhos” ignorantes. Deus o abençoe.

    Das 38
    parábolas de Jesus, 16 tratam
    de dinheiro.

    Será que Jesus estava interessado no dinheiro das pessoas?

Comente

Seu email nao sera publicado.




UA-1184690-14